domingo, 12 de junho de 2011

Desvio de foco proposital

Infelizmente, a questão do IPTU virou caso de política. Numa hora, a oposição canta vitória. Noutra, o grupo palaciano é quem comemora. Na briga entre a maré e o rochedo, o marisco é quem leva a pior. Resta ao cidadão, com medo, correr para os bancos e cumprir a obrigação tributária.
Essa polarização política da questão não é boa. Perde-se o foco.
Isso me entristece. Em especial, no caso do IPTU (do novo Código Tributário). Antes de ser político, o problema é, sobretudo, jurídico. Independente do que vier a ser decidido judicialmente (por ora, nenhum dos dois lados tem vitória definitiva), tenho absoluta convicção de que a forma de aprovação e o conteúdo do novo Código contrariam gravemente a Constituição Federal e outras leis. Esse é o problema maior. A briguinha política só serve para criar uma cortina de fumaça.
Precisamos trazer para a mesa de discussões, sem paixões políticas, a questão jurídica. Nessa seara, vemos uma população sendo violentada cotidianamente pelos governantes de plantão. Aumentam-se tributos sem observar os direitos e garantias míninos dos contribuintes. Atropelam-se a ética e o direito.
Pior: os recursos públicos tungados do povo, em grande parte, não se destinam ao bem comum. Estão servindo, infelizmente, para enriquecer empresários e políticos, reais detentores do poder na cidade.
Portanto, o desvio de foco serve apenas para ocultar a realidade. Não existem vencedores nesse caso. Perdedores muitos. Somos todos nós, contribuintes. "Representados" por governantes totalmente descompromissados com a ética e o direito, ainda temos que fazer "vaquinhas" tributárias para bancar as comemorações daqueles que nos roubam. 

Um comentário:

garliene arts disse...

Isto que é o novo MODELO DE ADMINISTRAÇÃO?? Colocando o povo neste desconforto de brigas pessoais e egos individuais?? Sabemos que a vontade do povo é pagar o IPTU ,mas não com este percentual de 300% de aumento. Usar a maquina publica de forma incoerente com a verdade ??Eu como cidadã de Araguari e tenho muito orgulho da nossacidade , repudio a atitude mesquinha de quem neste momento detem o poder. Lembrando que a cadeira do Executivo não é fixa e nem eterna.Nos o POVO estamos aguardando com a certeza de serem justos nas ações.