segunda-feira, 2 de maio de 2011

Onde está o Ministério Público?

Entre tantas irregularidades praticadas até agora pelo novo modelo de administração, destaca-se, por exemplo, o aumento abusivo e inconstitucional dos tributos. Tudo feito sem a participação popular.
Em especial, a majoração do IPTU foi o caso mais escabroso. Para aprová-lo, o atual prefeito deve ter vendido a alma ao diabo, atropelando a democracia participativa e a Constituição Federal. Senhor prefeito, para quê tanto dinheiro se o município não oferece nada em troca à população? Ou o senhor acha que compra de votos é uma espécie de "serviço público"?
Pois bem. Apesar de vivermos uma administração recheada de irregularidades e crimes, o Ministério Público em Araguari permanece inerte. Parece que os representantes da instituição, em especial aqueles que se ocupam da fiscalização da gestão pública, vivem em outro planeta ou numa redoma de cristal inexpugnável. Burocratizados, com olhos e ouvidos e fechados, não sabem o que está acontecendo na cidade.
A postura do órgão fiscal da lei em Araguari parece ser diferente da adotada pela instituição em outros  lugares. É comum ao MP ter um setor próprio destinado a analisar as reportagens de TV, de rádio e de jornais, bem como os blogs, para, a partir dessas informações, adotar as providências administrativas e judiciais para sanar as irregularidades.
O que será que o Ministério Público em Araguari tem feito para defender o patrimônio público e a moralidade administrativa?  Essa, a pergunta que não quer calar. Chega de fazer vistas grossas para irregularidades escancaradas ou de firmar termos de ajustamento de conduta que, todos sabemos, jamais serão cumpridos pelo município. O Ministério Público não precisa ser provocado por nenhum cidadão. Tem uma missão muito nobre a cumprir. Guardião da lei, pode e deve agir de ofício (por conta própria). Mãos à obra, senhores!

3 comentários:

EFGoyaz disse...

Para mim, é muito (mas muito mesmo) estranho o comportamento do Ministério Público aqui em Araguari. Existem casos emblemáticos em que o MP se omitiu e, após ser "forçado" a agir, adotou medidas no melhor estilo "panos quentes". Me refiro principalmente ao fato da destruição do maior patrimônio histórico de Araguari, que é o ferroviário. A destruição do pátio da EFG aqui em Araguari, que é um patrimônio federal, tombado pelo estado de Minas Gerais, vem sendo vilipendiado pela atual administração, mais do que pelas outras. Escrevi inúmeras denúncias que nunca foram ouvidas. Aí comecei a escrever para BH, que pediu para que o promotor Sebastião Naves Filho visse o que estava acontecendo. Mas aos olhos dele, não estava acontecendo nada demais, só a abertura de uma rua, o patrolamento de um pátio ferroviário historicamente dos mais importantes do Brasil, furtos, ocupação irregular de patrimônio público, ou seja, nada demais. E foi tudo arquivado.
Nós, cidadãos, não podemos fazer nada para que o MP aqui em Araguari tome jeito? Hoje acho o MP a pior fatia do que existe em Araguari.

Anônimo disse...

eu também não entendo, fizemos uma denuncia ao mp sobre a sobrinha do vereador tiboca que e agente sanitário e estava desviada de função e não voltou para dengue, todos nos fomos obrigado a voltar, falarão que ela esta na vig sanitária. não cumpre horário e nem vai trabalhar, ganha o mesmo salário que ganhava no pronto socorro a noite , porque de dia trabalha no salão da irmã dela. porque ela pode escolher onde quer trabalhar e nos agente sanitários temos que passar o que estamos passando. que governo é esse que a promotoria não faz nada?

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 2 de maio de 2011.

Prezados Srs.,

(...)
Nós, cidadãos, não podemos fazer nada para que o MP aqui em Araguari tome jeito? Hoje acho o MP a pior fatia do que existe em Araguari.
(...)


Isso é muito, mas Muito Problemático !!! Vitaliciedade gravíssima.


(...) [2]
Algum dentre os Exmos. Srs. Drs. saberia informar-me a data do próximo Baile do Rubi ?!

Este evento tornou-se um esplendor em organização... deve demandar um tempão em dedicação né ?!

Quero - desde já - ver se descolo um ingresso... ( sic )
(...)

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.