domingo, 8 de maio de 2011

Indignação com a derrubada das sibipirunas

A propósito do post sobre o corte das sibipirunas da Praça Manoel Bonito (clique aqui para ler), trago o desabafo do leitor Leandro Cezar Maniezo. Abre aspas:


"Não dá pra entender uma atitude dessas. Desde o início da reforma da praça já vieram com a notícia de que as árvores não estavam em harmonia com o ambiente local. É impensável um planejamento desses. Em Araguari é totalmente descabida esse pensamento de que árvore é problema. A árvore cai em cima do carro quando venta mais forte, a árvore suja, a árvore quebra o calçamento, a árvore nao pode se aproximar da fiação eletrica, tudo, tudo contra as árvores.A CEMIG corta as árvores abaixo da linha da fiação eletrica, impedindo e aniquilando seu crescimento. O plantio e reposição de árvores praticamente inexistem, e quando são feitos, sao feitos de qualquer maneira. Em várias cidades que a gente vai, existe um harmonia imensa (o que pelas autoridades locais não é entendido como harmonia) entre a arborização e os equipamentos urbanos. Em Belo Horizonte (vide fotos abaixo) temos um excelente exemplo disso; pelo menos na área mais central da cidade; árvores imensas que sobrepoem suas copas bem acima da fiação eletrica, imensas avenidas tomadas por arvoredos gigantes, onde a via de rolamento se transforma em um grande túnel verde. Será que lá não venta? Será que as folhas das árvores de lá não caem? E suas raízes, ficam onde???

A Secretaria de Meio Ambiente de Araguari pensa que plantar árvores na cidade é apenas colocá-las num buraquinho no chão. Cito como exemplo o plantio de várias quaresmeiras ao redor da E.E. Artur Bernardes em Amanhece. Abriram um buraco de alguns centimetros de diâmetro e colocaram as mudas lá (teve até evento pro plantio, rsrsrsrs), fizeram até um morrinho de terra ao redor das mudas. Dias dpois, todas as mudas foram arrancadas, quebradas, acredito que pelos alunos. Ora, vejamos alguns pontos: quaresmeira é uma espécie pequena, indicada pra calçadas onde existe fiação elétrica (se bem que isso é conversa fiada, é só ir fazendo as podas necessárias até que os galhos nao encostem mais na rede elétrica) e em toda a calçada da escola nao existe poste , nem fios eletricos, poderiam plantar árvores de porte maior, talvez sibipirunas, ipês, patas de vaca... outro ponto importante é a maneira do plantio, pois é necessário que para se plantar árvores em calçadas sejam colocadas manilhas, a fim de direcionar as raízes para áreas mais profundas do solo, evitando estragos maiores no passeio e no asfalto. Outro ponto é que mudas de árvores pequenas precisam ser protegidas, a fim de evitar que as pessoas arranquem ou quebrem.

E o que dizer das nossas grandes avenidas, que poderiam ter três vezes mais árvores do que tem atualmente e parece que não há perspectivas de mudanças?

O corte dessas sibipirunas foi um crime! 

E agora depois do crime, será que o destocamento será feito, ou deixarão que o tempo desapareça com as provas de que ali existiam grandes e frondosas sibipirunas que estiveram presentes em grande parte da história da cidade?

E os imensos quebra-molas?
E as verbas perdidas?
Que projetos a médio e longo prazos a prefeitura tem para a cidade?
Até quando esta cidade continuará vivendo do imediatismo?

Indignado!"


Fotos mostrando arborização na cidade de Belo Horizonte




Fotos fornecidas por Leandro Cezar Maniezo
Pitaco do Blog
A existência de árvores de grande porte é plenamente possível no ambiente urbano. Basta que se tenham os cuidados necessários com elas, podando-as periodicamente, por exemplo. Mas isso exige planejamento e trabalho, ações incompatíveis com o tipo de gestão adotado pelo "Novo Modelo de Destruição".

15 comentários:

Aristeu disse...

Não basta plantar árvores - há de se cuidar das mesmas. Em Brasília uma árvore caiu sobre o carro do meu filho proporcionando-lhe perda total e eu fiquei a lamentar pelos pássaros sem aquele abrigo.

Leandro Cezar Maniezo disse...

Sobre as fotos acima:
Fotos 1,2 e 3: Avenida Barbacena, bairro Barro Preto, próximo ao centro de Belo Horizonte; observem que na foto 2 o calçamento do canteiro central foi reformado respeitando o sistema radicular das árvores. Para que a reforma fosse feita não foi necessário suprimir nenhuma destas belas árvores.
Fotos 4 e 5: Avenida Augusto de Lima, idem acima. Na foto 4 observa-se um canteiro central, que não deve ter mais que um metro de largura, no entanto existem árvores de grande porte muito bem conservadas e um belo projeto de ajardinamento do canteiro. Em Araguari, com certeza, este canteiro seria impermeável, todo de concreto. Na foto 5, uma grande figueira plantada sob a fiação elétrica.

Em Araguari esse tipo de arborização é que deveria existir!

Ao Marcos, obrigado por divulgar aqui as fotos!

Aristeu, aqui em Araguari, uma árvore caiu sobre o carro de um advogado, e ele, profundo conhecedor das leis, disse que ia processar a prefeitura!

Iconoclasta disse...

observem que na foto 2 o calçamento do canteiro central foi reformado respeitando o sistema radicular das árvores. Para que a reforma fosse feita não foi necessário suprimir nenhuma destas belas árvores.

Talvez alguém ainda não saiba, para ampliar a imagem basta clicar nela.
O projeto calçamento do canteiro ficou excelente! É uma vergonha para o "Novo Modelo", bem que a imagem acima poderia ensiná-los mas agora já é tarde, tudo destruído!

Edilvo Mota disse...

Quem não cuida bem de gente, não haveria de cuidar bem de árvores...

Anônimo disse...

gostei desta Edilvo.

Edilvo Mota disse...

Com tanta viagem pra BH, bem que algum garotinho ou garotinha poderia ter copiado o "modelo" de preservação de árvores...

Paulo C. Morais disse...

foi realmente criminoso o corte das Árvores!!!!!!!!

Ronaldo disse...

Sinceramente, pessoal, não compreendo porque derramar lágrimas depois do corte. Nada foi feito enquanto elas estavam de pé e sob ameaça. Queria entender melhor o que passa em nossas cabeças. O tratamento que estamos permitindo que seja dado à nossa cidade é criminoso. Estamos chorando o leite derramado. Irrecuperável!

EFGoyaz disse...

Discordo demais do amigo Ronaldo. Ele próprio foi uma das poucas vozes que publicou que seria um erro o corte das sibipirunas e que o corte foi embargado. Temos que nos indignar sim, seria o mesmo que ficar calado após um assassinato anunciado. Não podemos deixar passar. Tem que ficar claro que esse tipo de autoritarismo do governo não cabe mais na nossa sociedade.

Aristeu disse...

Então quer dizer que todo crime consumado deve ser esquecido? Por isto que temos tanta impunidade. O perdão, neste caso, só é válido 70 vezes 7, ou seja, já passou da conta.

Marcos disse...

É verdade. As árvores não poderão ser ressuscitadas.
Entretanto, alguém tem que ser responsabilizado. O município terá que ser punido de alguma forma, replantando árvores, recolhendo alguma indenização para fundos ambientais, algo assim.
Também as autoridades que atropelam as leis ambientais e urbanísticas deverão ser pessoalmente responsabilizadas.
No mínimo, aqueles tocos deverão se transforma num MONUMENTO À INCOMPETÊNCIA DO PREFEITO E DOS SECRETÁRIOS ENVOLVIDOS.

Edilvo Mota disse...

Permitiriam-nos replantar, cada um, uma árvore naquele local?

Ou tal ato,
de fato,
seria tido como desacato?

Colenghi disse...

Edilvo:
Pelo que conheço do Novo Modelo, seria certamente INSUBORDINAÇÂO.

EFGoyaz disse...

Todos os envolvidos nesses tipos de crimes contra o patrimônio público de interesse histórico devem passar por cursos para explicar certinho a importância. Não adianta só falar, eles não compreendem. Assim como o Silvio Póvoa, que está todo dia lá no Ministério Público, outros envolvidos terão que aprender por meio de curso, explicar direitinho que não é nada contra eles, e o que esse tipo de atitude vai gerando pra cidade. Eu sou um que gostaria de assistir um curso assim.

Anônimo disse...

Gente para que tanto drama.Já cortaram as arvores...o negocio agora é plantar outras no lugar.Visitem nossa visinha em Goias...Catalao. O prefeito cortou as antigas e replantou tudo.Tá tudo lindo e pintadas com cal. Vale a pena.