quarta-feira, 18 de maio de 2011

Desabafo de um funcionário público municipal

Entre os comentários recebidos pelo blog, chamou-me a atenção o texto abaixo. Embora partindo de uma pessoa que não quis se identificar, entendo que as questões nele abordadas merecem ser aqui debatidas. Mesmo tendo ressalvas quanto ao anonimato, vejo que certas pessoas não possuem outra alternativa. Em especial, no caso dos funcionários públicos, a identificação pode gerar retaliações de suas chefias, conturbando o ambiente de trabalho.
Abre aspas:
"É a primeira vez que eu posto uma mensagem aqui. E o faço por pura indignação.Vejo que já a algum tempo alguns colegas meus fazem isso. Sou agente sanitário 2002 em Araguari. Na época da implantação do Plano de Cargos e Salários, na gestão anterior, alguns de nós observamos que a categoria dos agentes sanitários foi uma das que, percentualmente falando recebeu um dos menores aumentos da época. Organizamos uma comissão e fomos até o então prefeito, Marcos Alvim, e colocamos a nossa insatisfação pelo ocorrido. No mesmo momento ele deu ordem aos seus secretários que refizessem nossos cálculos e prometeu-nos um aumento melhor. Depois observamos que não veio o que havia sido acordado ali; veio menos, entretanto fizemos um acordo para trabalharmos em regime de 6 horas, que era muito melhor para o trabalho e de certa forma, fez com que concordássemos com o aumento dado na época mesmo que inferior a outras categorias. Ficou assim até o atual governo. Depois que Senhora Iara assumiu a Secretaria de Saúde nossa categoria perdeu o regime de 6 horas. Tivemos a troca de praticamente todos os supervisores sem que o trabalho dos mesmos fosse avaliado individualmente. As situações que apontam para atos de perseguição se tornaram frequentes. Os ciclos que o município acordou a tempos com o Estado (6 ciclos) não tem sido e não serão cumpridos esse ano, por motivo de que o regime de 8 horas é incompatível com a realidade de Araguari e também pela insatisfação dos próprios funcionários com o modelo que foi adotado pela atual gestão da saúde, colocando o município na iminência de perder verbas oriundas do Estado já que as mesmas estão condicionadas ao cumprimento de metas.Eu fico pensando o que Araguari ganhou com a troca dos supervisores uma vez que as metas estavam sendo cumpridas e o trabalho estava sendo realizado de uma forma que estava funcionando?O que Araguari ganhou com a colocação do regime de 8 horas pra uma categoria, que todos sabem, é uma das que foi menos beneficiada com a implantação do Plano de Cargos e Salários e cujas atividades por ela desenvolvidas no município são incompatíveis com tal carga horária?O que Araguari ganha com os atos que remetem a situações de perseguição, com a insatisfação que hoje reina praticamente em todos os agentes sanitários, excluindo-se alguns que se submeteram e foram recompensados com cargos e regalias? O que os atuais supervisores fazem em beneficio dos agentes? Nada, apenas se calaram.O que foi feito com os agentes sanitários hoje começa a refletir no trabalho que não flui, e da maneira como esta sendo conduzido dificilmente fluirá.Eu poderia falar o motivo injusto que levou a destituição dos supervisores sem análise individual de cada um. Poderia falar e provar o porquê o regime de oito horas não funciona, no combate a dengue, em um município com as características que Araguari tem. Poderia falar o porquê houve a diminuição dos casos de dengue e um aumento do índice larvário no município e o porquê, mesmo com um índice tão alto não temos tido uma enxurrada de casos da doença.Mas não, vou apenas deixar algo para que se alguém se interessar possa refletir:Pense. Estamos com um índice larvário realmente alto no município, segundo último levantamento 4.2. As equipes de combate a dengue estão muito atrasadas no cumprimento das visitas (teria que ser 6 ciclos por ano e provavelmente não vão fazer nem 4). Estamos na iminência da introdução do vírus tipo 4 no Brasil, já foram registrados casos no Rio esse ano; especialistas já falam que será impossível evitar a disseminação do tipo 4 uma vez que a população brasileira não tem anticorpos naturais contra tal tipo.O que acontecerá quando chegar tal tipo de vírus a Araguari, com o atual índice e com os ciclos não sendo cumpridos? Lembro que o tempo que o mosquito leva pra se desenvolver de ovo a larva gira em torno de 15 dias.Deixo o que relatei acima para reflexão de todos os interessados e se surgirem dúvidas tentarei esclarecê-las."

32 comentários:

Aristeu disse...

Isto é luz no túnel inteiro.

Edilvo Mota disse...

Depoimento elucidativo, cristalino, contundente.

Prognóstico sombrio, deprimente, lamentável.

Novos modelos, novos tempos, velhos atos de repressão.

Iconoclasta disse...

Ontem na sessão da Câmara o tempo fechou! Os vereadores da base levaram em votação na surdina um projeto do vereador Tibazinho que derrubaria os requerimentos feitos pelos vereador Tiãozinho quando este fez a leitura do relatório final da CLI denunciando as inumeras irregularidades na área da saúde principalmente com a movimentação de verbas públicas. Lamentável a atitude dos demais vereadores!

Tenho a seguinte dúvida, os vereadores podem derrubar requerimentos que pedem medidas punitivas no âmbito legal contra aqueles que foram comprovadamente irregulares nas suas atitudes? Pois existe toda uma documentação revestida de provas fundamentadas, que evidencia as atitudes ilícitas dos envolvidos diretamente.

Alessandre Campos disse...

A atual revisão do Plano de Cargos e Salários é um verdadeiro engodo. Todos os funcionários serão prejudicados mais uma vez.

Roselane disse...

Maecos já que você falou do anonimato, eu Roselane agente sanátario em Araguari, reafirmo o texto desta pessoa. Tudo o que essa pessoa falou sobre a situação do controle da dengue é verdade.Atualmente existe uma imensa insatisfação e preocupação por parte dos agentes com os caminhos tomados pelo serviço a partir de outubro.

roselane disse...

Marcos!!!!!!!!!!!!

Iconoclasta disse...

No inicio dessa gestão havia uma relação amistosa entre os agentes sanitários e o governo, pois o compromisso assumido com a categoria que a coordenação do programa ficaria a cargo de um agente sanitário foi no primeiro momento atendido juntamente com a redução da carga horária.
A categoria dos agentes sanitários faz um trabalho bastante similar aos agentes comunitários, o que por lei lhes seguram a isonomia salarial com o PSF.

"Art 85 da Lei Orgânica do Município"
§ 2º- A lei assegurará, aos servidores da administração direta, isonomia de vencimentos para cargos de atribuições e requisitos iguais ou assemelhados do mesmo Poder ou entre servidores dos Poderes Executivo e Legislativo, ressalvadas as vantagens de caráter individual e as relativas à natureza ou ao local de trabalho.

Sendo assim o atual governo manteve a redução da carga horária com o compromisso de futuramente regularizar o salário da categoria, pois os agentes do PSF trabalhvam com uma carga horária superior, isto é, 8 horas diárias, e a indisponibilidade financeira para tornar isonômico as duas categorias fez a atual gestão reduzir a cargar horária como forma de amenizar a situação até sua regularização. Isso na época foi bastante discutido com o governo, tendo a intermediação do Sintespa.
Havia então nesse período uma relação harmoniosa entre os agentes sanitários e o governo, mas com a nomeação da Iara Borges para a secretária de saúde a situação mudou completamente. Revestida de preconceitos contra o grupo, não teve a mesma habilidade que o ex-secretário Dr. Dilson. Já que este era bastante democrático nas conversas e atencioso.
A Iara não quis reconhecer o acordo tanto da redução da carga horária como também o fato do programa ser administrado por um agente sanitário. A primeira medida dela foi revogar a carga horária, depois exonerar a coordenadora do programa e logo após o processo eleitoral destituir todos os outros supervisores.
Eis o seu grande feito!!! Agora pergunta quais os beneficios que essa mulher trouxe para a categoria, cite apenas um, um só... Pois não consigo exergar.

Anônimo disse...

realmente o vereador tiboca protege essa sobrinha dele, quando nos agentes sanitários estavamos desviados de função e fomos obrigado a retornarmos a dengue, ele esteve varias vezes a sec de saude com sua sobrinha arrumando um lugar para ela ficar como não poderia ficar mais no pronto socorro, alegando que não poderia trabalhar na dengue porque ela é alérgica a botinha e não poderia trabalhar no periodo de manhã porque trabalha no salão da irmã dela, tem que trabalhar a noite, agora nossa carga horaria é das7 h as 11h 13h as 17h, ela não cumpri nem 6 horas quem esta deixando isso acontecer os diretores ou tiboca esta pagando o salário dela, vamos paralisar agentes até resolver esse problema, e ela não esta designada a trabalhar na vig sanitária, o que ela esta fazendo lá. resposta, nada nada nada ,só recebendo

Anônimo disse...

vamos reunir dez agente sanitários e ir pessoalmente ao ministério publico fazeruma denuncia a sobrinha do tiboca a vivian, a iara e o vereador tiboca , porque tivemos perseguição porque estavamos desviado de função e retornamos ao cargo a dengue , agora avivian continua desviada de função na vig sanitária , porque ela não esta designada ao cargo e continua ganhando o salário que ganhava no pronto socorro. e ainda não trabalha.

Iconoclasta disse...

Vcs acreditam que o Ministério Público está realmente preocupado com o caso da Vivian? Quanta ingenuidade! É mais fácil o Ministério Público tomar alguma atitude contra o grupo que for fazer a denúncia.

Iconoclasta disse...

Já cansei de repetir, a Iara não vai moralizar a situação, ela precisa da força do Tiboca na Câmara para votar contra os requerimentos da CLI como aconteceu na última sessão de terça. A Vivian faz parte desse jogo político. E no mais, aqueles que estão no campo trabalhando, fazendo as visitas domiciliares, enfrentando terreno com mato alto e todas as dificuldades inerentes ao trabalho está sendo ameaçado a produzir mais e mais... É claro, pois AQUELES QUE ESTÃO INSERIDOS LEGALMENTE NO TRABALHO TÊM QUE PRODUZIR PARA SUPRIR METAS DAQUELES QUE NÃO ESTÃO REGULARMENTE NAS SUAS FUNÇÕES.
É dificil de entender ou tenho que desenhar?

Anônimo disse...

a Iara pula de galho em galho ou de colo em colo depende da cara do fregues, isso compensa a falta de competencia

Marcos disse...

Preciso de mais dados sobre o interessante caso Vivian. O e-mail antoniomarcos0510@gmail.com está disponível para quem quiser me ajudar.

SER POLÍTICO E MORAL disse...

Iconoclasta, não é um jogo político, é uma politicagem, pois a POLÍTICA VISA O INTERESSE PÚBLICO, e com certeza resolver problemas particulares de péssimos funcionários públicos, caracteriza-se como uma ação contrária a qualquer interesse público. Além do mais dúvido que ESTAS PESSOAS SAIBAM O QUE É POLÍTICA, O QUE É MORAL E MUITO MENOS O QUE É PÚBLICO. COMO DISSE PLATÃO "O ERRO É FRUTO DA INGNORÂNCIA"

Iconoclasta disse...

Falo da política pragmática e não na sua abordagem filosofica.

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 19 de maio de 2011.

Prezado Marcos,

Pensar livre pensar:

(...)
É mais fácil o Ministério Público tomar alguma atitude contra o grupo que for fazer a denúncia.
(...) [2]

É que algumas coisas em Araguari são explicáveis apenas pela contra-indicação da tal da vitaliciedade, sempre solidária & conivente...

Em tempo, sejam anonimamente honestos consigo mesmos:
http://www.enquetes.com.br/popenquete.asp?id=972178

Contrariando Ditados Populares, quanto mais, PIOR!

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Anônimo disse...

Realmente, a perspectiva para os agentes sanitários de Araguari é sombria uma vez que o digníssimo Secretário Levi Siqueira se nega a reduzir a carga horária dos agentes alegando que se fizesse isso teria que abaixar o salário atual (se é que isso é possível), de forma que os agentes terão que continuar na extenuante carga horária de 8 horas, mesmo com todos os problemas que ela acarreta! Parece que não dá para esperar mais nada de bom desta administração. Nem vou comentar o caso escandaloso envolvendo a agente Vivian afinal ela parece ser protegida e eu não, de forma que a corda sempre arrebenta do lado mais fraco e já bastam as perseguições que sofremos no trabalho.

Anônimo disse...

FUNCIONÁRIOS DO CONTROLE DA DENGUE NA PROXIMA ELEIÇÃO VAMOS VOTAR NO TIBOCA, PORQUE SE TIVERMOS ALGUM PROBLEMA IREMOS TRABALHAR NA VIG SANITÁRIA A NOITE?KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Anônimo disse...

Gente, não é só a Vivian que está desviada de função. Isso tem aos montes, eu sei de um monte de gente desviada. Nada contra as pessoas concursadas como Serviços Gerais, Auxiliar de Creche, Recreadora, Agente,mas tem um monte de gente concursada nesses cargos e exercendo outras funções. Virou moda fazer um concurso pra depois "conseguir" dar um "jeitinho" e ir para outras funções. Tem gente que fala em dar oportunidades pras pessoas, mas que essas pessoas busquem passar em outros cargos, quando tem concursos publicos, caso contrário, devem permanecer fazendo a função ou cargo de origem (aquele maravilhoso nome que vem no contracheque)

Marcos, isso é ilegal, não é? O que eu faço pra denunciar esses casos e para essas pessoas ocuparem realmente o cargo que lhe é de direito.

Iconoclasta disse...

Esse caso da Vivian já foi denunciado no Ministério Público mais ou menos 3 meses atrás.
Agora eu pergunto, se o Ministério Público tem consciência do fato por que até agora não tomou providência? O maior problema desse caso especifico não é nem tanto o desvio da função, mas sim os inumeros privilégios que essa moça usufrui oriundos dessa prática imoral. Não cumpre horário, passa apenas o cartão nos horários de entrada e saída, já foi flagrada várias vezes fazendo trabalho particular em salão de beleza e ainda ganhava os 90% de adicional do Pronto-Socorro!!!

E os agentes sanitários que estão no controle do dengue? Trabalham 8 horas diárias, muitas vezes em péssimas condições de trabalho, com um salário defasado no plano de carreira, pressionado -quando não humilhado pela coordenação- à aumentarem a produtividade com ameaças veladas ou escancaradas.
Apenas para lembrar,essa moça não é a única agente sanitário que está desviada de suas atribuições existe muitos outros, o que torna o caso dela mais intrigante é o fato de acumular inumeros outros privilegios como já mencionados anteriormente.

Marcos disse...

Pelo que percebo, existem vários casos de desvio de função. Por isso, gostaria que essas informações (mais detalhadas) fossem passadas para o meu e-mail (antoniomarcos0510@hotmail.com). Asseguro que não divulgarei os nomes dos denunciantes. De posse de informações mais detalhdas, eu assumo a responsabilidade de elaborar as denúncias cabíveis. Convenhamos, não é fácil fazer uma denúncia somente com base em comentários anônimos.
A propósito, tive que passar a tesoura em alguns comentários que poderiam afetar a honra de algumas pessoas. O propósito deste espaço é tentar acompanhar o que acontece na gestão do Município, sempre com a intenção de melhorar cidade.

Iconoclasta disse...

O que mais irrita os agentes sanitários nessa situação é o fato de que periodicamente o municipio recebe visitas de fiscais do Estado, e estes cobram o término das atividades em prazo estipulado pelo programa. E o argumento dos fiscais do Estado para que o municipio entregue as atividades na data especifica é que Araguari possui mais que o suficiente o numero de agentes sanitários para o cumprimento de metas.

É evidente que a lista de agentes sanitários somados os concursados e contratados excede em muito o numero da necessidade.

Mas por que então o municipio tem dificuldades em cumprir as metas, já que possui no se quadro um numero até superior de agentes sanitários para tal finalidade?

Agora que entra a questão dos desviados de funções. Catalogados como agentes sanitários é um numero realmente consideravel mas que trabalham efetivamente no programa da dengue é bem inferior ao apresentado na lista.

Como a coordenação age diante dessa situação?
Pressiona os agentes sanitários que realmente trabalham na dengue a elevarem suas produções.
É óbvio! Alguém deve pagar o pato! Para que os privilegios continuem para alguns outros devem ser sufocados. Essa é a atual realidade no trabalho de combate a dengue em Araguari.

Para finalizar, como a Constituição e a própria Lei Orgânica do município exige concurso público para ocupação de cargos, a administração usa do seguinte artificio para driblar a lei; como a dengue é questão de saúde pública, o municipio insinua perigo de epidemia para abrir uma frente de contrato. Veja o que diz o artigo 34 da Constituição:
IX - a lei estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional
interesse público.

Dessa forma trabalho como na dengue e outros da saúde acabam sendo apenas uma porta de acesso, depois todos desviados pelo apadrinhamento.

Genial não acham?

Anônimo disse...

Estamos vivendo no trabalho de combate a dengue momentos de intolerância por parte da gestão atual. Eu realmente gostaria muito de dizer quem sou, mas no momento, prefiro não o fazer, não por covardia, mas sim por saber que se o fizer agora estarei ainda mais sujeito as agressões psicológicas, a falta de palavra, as mentiras e outras coisas mais que a atual gestão, principalmente na área da saúde, mais especificamente no combate a dengue, esta fazendo.Vou colocar mais algumas situações, que sei devem ser do conhecimento público, mas que vale a pena relembrar pois os que apanham nunca esquecem.
Quando da campanha para prefeito nós, agentes sanitários, acreditando na palavra dos candidatos Marcos Coelho e Jubão, fechamos um acordo verbal com os mesmos que, se eleito fossem, o coordenador do combate a dengue em Araguari, seria um agente sanitário. Foram eleitos. Na época tínhamos grande capacidade de mobilização e quando soubemos que o coordenador seria uma pessoa indicada pelo governo e que a promessa não seria cumprida, pois o indicado já estava no P.A. central tomando conta do serviço, paramos nossas atividades e imediatamente nos dirigimos até até o palácio, com o apoio do vereador Tiãozinho, fomos recebidos pelo jubão, que naquele momento permitiu que fosse realizada uma eleição entre os escolhidos dos agentes para o cargo de coordenador. A eleição foi realizada no Sintespa e disputaram a então na época supervisora de turma, Andréa, e o na época supervisor geral, Júlio. Venceu a Andréa por cinco votos de diferença, assumindo a coordenação e ficando no cargo até que o veterinário Rafael, exigisse para si tal cargo, alegando que era parte de suas atribuições o controle da dengue.

Anônimo disse...

Não tendo opção e sob forte pressão a Andréa não teve opção, segundo meu ver, senão deixar o cargo.
O Rafael assumiu, mas o relacionamento dele com a equipe e da equipe com ele era péssimo, chegando quase que, em determinados momentos, a agressão física. Foi feita sua remoção do cargo e ficamos alguns dias sem coordenador, dando continuidade ao trabalho os supervisores gerais Welington e Júlio.
Depois de passados alguns dias, poucos antes das eleições para deputado, fomos todos reunidos no ginásio de esportes e nos foi colocado o retorno da carga horária de 8 horas pela secretária Iara e, creio eu, para amenizar a situação, que ficou tensa, nos foi permitido eleger novamente o novo coordenador. Estavam presentes as seguintes autoridades e todas deram seu aval para que se fizesse a escolha: A secretária de saúde, Iara; o secretário de administração Levi; o procurador do municipio, não me recordo do nome no momento; o vereador Tiãozinho; e o presidente do sintespa, Cristiano. Disputaram o cargo o supervisor de turma Flávio e o supervisor geral Júlio. Venceu o Júlio, com praticamente unanimidade. Por algum motivo que eu desconheço não lhe foi permitido assumir a coordenação e poucos dias depois das eleições os supervisores foram chamados para uma reunião com a secretária Iara e foram todos destituídos. Inclusive o coordenador que nós elegemos e que não assumiu.

Anônimo disse...

Muitos podem pensar: Por que os agentes sanitários queriam um coordenador que viesse deles?
Pra facilitar a vida deles?
Pra ser omisso quando eles errarem?
Não, não era para isso.
Era para não deixar que pessoas que não tinham conhecimento do trabalho assumissem e fizessem acontecer o que aconteceu (Destituição em massa dos supervisores sem análise individual)
Para que a carga horária de 6 horas fosse mantida beneficiando os agentes mas, antes de tudo toda a população do município, possibilitando o cumprimento de metas e a diminuição da infestação.
Para que não se colocasse lá um servidor que não tivesse um mínimo de conhecimento do nosso trabalho.
Para acabar com regalias que, como é de conhecimento de todos nós agentes, acontecem principalmente dentro do P.A. central.
Para não deixar que servidores que alegavam ter problemas de saúde ou outras coisas e por isso não podiam trabalhar no campo, assumirem cargos de supervisão.
Para evitar as perseguições e pressões que somos vítimas diariamente.
Era para isso dentre outras coisas que na época da campanha para prefeito fizemos tal acordo.
Acordo que hoje não é cumprido.
Sei muito bem o porque da destituição dos supervisores. Eles, tinham capacidade de mobilização de toda a classe, principalmente os dois supervisores gerais Welington e Júlio, e o supervisor de turma Claudimir, juntos podiam, com o respaldo da grande maioria do grupo, se oporem a situações que hoje os atuais não tem condições de fazer por desconhecimento do trabalho ou por não poderem em função de terem sido colocados lá pela atual gestão da saúde.

Anônimo disse...

Marcos, que tipo de providências o Sr. irá tomar caso sejam denunciados outros casos de desvio de função?Quero ter a certeza de que meu nome não será exposto, caso sejam tomadas algumas atitudes em relacao aos desviados citados.

Marcos disse...

Anônimo das 22h59, os casos de desvios de função devem ser comunicados ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais. No caso, como os desvios podem estar ocorrendo na área da saúde, podem ser denunciados ao órgãos federais (MPF, CGU, etc.), na medida em que podem afetar a prestação de um serviço custeado em grande parte com recursos federais.
Quanto à preservação da fonte (nomes dos denunciantes), mesmo eu não sendo jornalista, a própria Constituição garante esse sigilo. Além disso, por ser advogado não sou obrigado a dizer os nomes dos denunciantes. Então, fique tranquilo quanto a esse aspecto.
Registro ainda um detalhe importante: qualquer pessoa pode oferecer denúncia ao Tribunal de Contas do Estado e ter sua identidade preservada. O procedimento é simples e não exige grandes formalidades. Basta redigir a denúncia e encaminhar ao endereço do TCE/MG. Já trabalhei com várias denúncias no Tribunal de Contas em que os nomes dos denunciantes foram preservados.
Depois, vou disponibilizar um modelo de denúncia para quem quiser usá-lo.
Eu sei que a sensação de impunidade nos tira o ânimo. Contudo, não podemos desistir de melhorar o país. Se trabalharmos para mudar as cidades, estaremos contribuindo para melhorar o próprio país.

Anônimo disse...

caso vivian, ontem ela esteve na sec de saude as 17h ,55min para passar o cartão, ela falou para nós que o sec de administração o sr levi siqueira falou para ela passar o cartão e retornar para casa. temos testemunhas disso. que absurdo só porque ela é sobrinha do vereador tiboca ela pode fazer isso e a administração aceita. e temos prova que ela esta fazendo um cursinho a noite por isso ela não cumpre horárioagor marcos vamos denunciar tce/mg, temos até o endereço do cursinho que ela esta frequentando, depois que termina as aulas ela retorna a sec de saude para fechar o cartão.

Anônimo disse...

sr sec levi siqueira você uma pessoa que se fala que é uma pessoa justa aos funcionários tenta compreender todos nossos problemas , por favor me explica isto. ou só para ela que pode ter essas mordomias dentro da prefeitura, ou vou ter que arrumar um vereador para mim também ter essas mordomias?

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 20 de maio de 2011.

Prezados Araguarinos,

(...)
...ou vou ter que arrumar um vereador para mim também ter essas mordomias?
(...)

Simplesmente DEPLORÁVEL !!! E já ouvi isso várias vezes por aí. INACREDITÁVEL !!!

Viver sob Cidadania Tutelada tem um alto custo.

E um dia, a fatura ( ou quem faturou - e qual foi a moeda utilizada para adimplemento ) torna-se de domínio público...

E DAÍ ?!

Parece que ninguém mais tem brio, honra e VERGONHA NA CARA mesmo ...

UAI sô... Os fins justificam os meios, né?! ( sic )

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Anônimo disse...

Senhores:
O interessante é que só esta semana foram contratados pelo menos 5 agentes, sem passar por qualquer processo, simplificado ou não.
Além disso, convém notar que há agentes sanitários contratados para o combate à dengue que estão dirigindo viatura da zoonose em desvio de função.
Além de termos concursados desviados temos também vários contratados apadrinhados dirigindo em vé de trabalhar no campo.

Anônimo disse...

realmente na sec de saude tem vários funcionários desviados de função, tem agente sanitários trabalhando de vigia a noite, agente sanitários trabalhando de motorista, e outras cargos a mais.