quinta-feira, 7 de abril de 2011

Sarney cobra segurança em escolas

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AM), cobrou na manhã desta quinta (7) ações do governo para garantir a presença maior de forças policiais nas escolas, além da inclusão no currículo escolar da questão da segurança pública.  Sarney classificou de “terrorismo” o assassinato de crianças na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio. “De certo modo, isso é um ato de terrorismo quando a gente procura atingir pessoas civis. O que não é da nossa tradição atos dessa natureza. Precisamos parar de uma vez com isso para que isso não floresça”, afirmou.
Fonte: Blog do Cláudio Humberto (clique aqui para ler)

Pitaco do blog
Do fundo do meu coração, senhor Sarney ceda alguns dos seus seguranças (pagos por nós) para as escolas públicas ou renuncie a alguns benefícios indevidos (aposentadoria, custeio de mordomias, etc.), doando o dinheiro economizado para a área de segurança pública. Essas medidas valeriam mais que discursos oportunistas.

3 comentários:

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 8 de abril de 2011.

Prezado Marcos,

Sugestão para leitura pedagógica:
Honoráveis Bandidos...

Ainda bem que trata-se de ficção! Mas, nem a Ciência explica.

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Sandrinha disse...

Discurso oportunista...
Promessas e mais promessas...
Atitudes???
Nenhuma!!!
De Brasilia para todo o resto do país...

Edilvo Mota disse...

O que não deveria ter florescido, Sr. Sarney, nem prosperado neste país, é a horda de canalhas que submeteram o povo humilde a toda (má)sorte de penúrias e carências, para formação de currais eleitorais.

O que não deveria ter florescido, Sr. Sarney, é a conivente omissão da parcela privilegiada da sociedade civil, que financia, tolera e incentiva canalhas na política.

Matar milhões de falta de esperança, via corrupção, é tão grave quanto a trágica chacina do Rio.

Em tempo: o Senado Federal, irresponsável e conivente na falta de ação e omisso na proposta de políticas públicas eficazes (segurança, saúde, educação)cobra de quem?!?!