sexta-feira, 1 de abril de 2011

Irregularidades no processo seletivo para contratar estagiários

O governo Marcos Coelho não se emenda mesmo. Nem os sucessivos erros são capazes de servirem com fonte de aprendizado.
Desta vez, o problema foi na realização de processo seletivo para contratação de estagiários. Segundo o Correio de Araguari, nenhum dos candidatos obteve a nota mínima de 60% do total de pontos possíveis. Em face disso, a Prefeitura resolveu considerar aprovados todos os candidatos que obtiveram, no mínimo, 37,5% de respostas certas.
Aparentemente, o procedimento foi correto. Mas, são só aparências.
Nos processos seletivos, existe uma regra que não pode ser afastada. Trata-se da vinculação ao edital. Logo, se o edital previa uma nota de corte de 60%, a Prefeitura deveria ter reprovado todos os candidatos, convocando novo processo seletivo.
A "saída" utilizada é passível de contestações. Quais seriam os critérios objetivos que nortearam a fixação da nova nota de corte (37,5%) após a realização da prova? Por que não 37%, 38% ou qualquer outro percentual? Isso gera várias dúvidas quanto à lisura do processo. Afinal, a fixação dessa nota mínima pode, em tese, ser utilizada para beneficiar possíveis apadrinhados.
Além disso, há um outro aspecto relevante. O percentual da nota de corte influencia, diretamente, a quantidade de candidatos. Quanto menor a nota exigida, obviamente, maior será o número de concorrentes. Assim, se a nota mínima de 37,5% fosse conhecida desde o início, o processo teria mais candidatos. A medida adotada pela Prefeitura, então, reduz a competição, que deveria ser a mais ampla possível. Da forma como agiu, o novo modelo de administração, com certeza, violou o princípio da igualdade entre os estudantes em condições de participar do processo seletivo e pode ter violado os princípios da impessoalidade e da moralidade ao fixar uma nova nota de corte após a realização da prova e o conhecimento das notas obtidas pelos candidatos.
Pior: a Comissão do Processo Seletivo Simplificado nº 001/2011 não agiu sozinha. Contou com a anuência da Comissão Especial do Poder Legislativo que acompanhou o processo seletivo. Assim, só nos resta recorrer ao bispo...

4 comentários:

Oposição inteligente disse...

O que nesse governo não é objeto de irregularidades? Mas isso não é algo assustador, basta observar um pouco os nomes "importantes" que figuram na administração; começar pelo próprio chefe do executivo parece um ogro de terno, a retórica é triste, ou melhor, ausente. Ai vem o seu vice que se vendeu, não precisa dizer mais nada. Esse não têm voz a muito tempo. O secretário de Administração é o pastor Levi, que prega em cima do púlpito que não se envolve com política mas que apresentou o Marcos Coelho para os seu fieis da Igreja nas vésperas das eleições e é também o 1º secretário do PMDB da cidade. Quer mais? Fez parte daquele grupo do ex-prefeito Milton lIMA que perdeu os seus direitos políticos por 8 anos. O secretário de obras só sendo membro da familia mesmo para assumir uma pasta, pois parece mais um bêbado que uma pessoa com capacidade de gerenciar prestação de serviço de qualquer natureza. A secretária de saúde Iara só deixou que abrissem uma CLI na saúde, só isso. A saúde já anda a beira do abismo irritando centenas de pessoas que dependem do serviço ainda deixa ficar mais exposta ainda mas de forma negativa, é de uma genialidade incrível. Esse governo é bizarro!

funcionária perplexa(antonia) disse...

Quando pensei que nada mais me assustaria neste governo hoje 1 de abril fiquei perplexa ao descobrir que estava de férias sem ter recebido comunicado algum nem verbal nem por escrito e pior trabalhei no dia de hoje imagine se tivesse acontecido algum acidente seria um grave problema para a prefeitura, e não foi só eu outros servidores passaram pelo mesmo, agora me responda isso é ou não um gravíssimo erro.

antonia disse...

Pensei que a história de não saber o valor do mínimo era o final do poço, hoje no dia da mentira descubro que não temos é um abismo sem fim.O pior é que a administração e quando reclmamos somos alvos de perseguições, como foi o caso de 4 funcionários esta semana que foram perseguidos simplesmente por reinvidicarem seus direitos, dois desses funcionários eu conheço e sei de sua responsabilidade e eficiencia no trabalho, porém isso não importa a eles se expoem ao ridículo e nos perseguem e ainda deixa os funcionários dos departamentos em situação difícil tendo que explicar o que não explicação.

Anônimo disse...

Comissão especial?

Taí... falou em "comi$$ão" sempre aparece candidato.