sábado, 5 de março de 2011

Sindicato e identidade

Na contramão do provincianismo coronelístico, servidores públicos arranharam a imagem dos poderosos, que jamais tiveram sua vaidade contestada. Fizeram História no último dia 3, protestando pacificamente, por melhoria nas condições de trabalho, respeito e aumento salarial. Reivindicação justa feita com um protesto organizado e ordeiro como manda nosso Estado DEMOCRÁTICO de Direito.“Foi uma honra participar, lavar a alma, mostrando a toda população araguarina, nossa indignação, contra o” Novo Modelo Facista”.
Nossa economia, sempre fechada, baseada na agricultura, e via de regra, dificultando empreendedores de fora, evitou que o trabalhador criasse uma mentalidade, uma consciência de classe, o que torna nossa comunidade anacrônica em meio às atuais relações de trabalho. A conjuntura socioeconômica e cultural de nosso município criou para o trabalhador o “mito” de que o patrão é quem deve direcionar os rumos, as melhorias e as condições de trabalho. Transferiu a responsabilidade para o patrão, “docilizando” o operário.
Tal conjuntura criou sindicatos fracos e vinculados ao patrão, como é o caso do SINTESPA, que muito depende da boa vontade do empregador. Apesar de estar engatinhando ainda, que seja pela própria motivação do servidor, em termos de ação, percebemos algumas melhoras. Sim, a manifestação foi condicionada pelos servidores insatisfeitos, talvez mais que pela vontade do SINTESPA, mas seria contraditório dizer que o sindicato não faz nada, já que nós somos o Sindicato. Ainda na contramão dos movimentos sociais é contraditório manter um sindicato que depende do patrão. A diretoria deveria rever essa condição, talvez aumentando a contribuição sindical, o que certamente não agradaria, mas poderia ser posto em análise.
Voltando ao trabalhador que é o mais prejudicado nas relações de trabalho, não devemos lhe imputar totalmente a culpa da inércia em relação à sua condição de explorado. O Modo de Produção Capitalista revestiu-se de alegorias que visam amenizar e mascarar as relações de trabalho. A Psicologia do Trabalho e alguns assistencialismos vulgares impedem que o proletário se insira na condição de explorado. Cria-se panoptismos, em que o discurso discretamente leva um trabalhador a vigiar outro, facilitando assim, uma secção que individualiza o trabalho e falsamente faz o trabalhador sentir-se independente das relações daquele ambiente. Seu sucesso, sua promoção, dependerá dele mesmo. Dividir para conquistar, sutilmente e em pequenas dosagens contínuas.
Partindo destas premissas, creio que o maior problema dos sindicalistas - claro, daqueles que queiram fazer mudanças - é inserir no trabalhador o sentimento de construtor de sua própria História, de sujeito ativo e pertencente a um organismo do qual ele é parte fundamental e agente transformador. Tocar na ferida e fazer entender que seja médico ou serviços gerais, se recebe salário, é proletário e encontra-se na situação de explorado. Alguns vão torcer o nariz, devido à elitização de algumas profissões, e no caso de um sindicato, como o SINTESPA, que abrange várias carreiras, é tarefa árdua, não direi impossível, afinal até semana passada era impossível mobilizar 500 servidores.
Não tenho a pretensão de achar que o trabalhador brasileiro chegue ao nível intelectual do operário francês, por exemplo, que tem na sua estante pelo menos um livro de Sartre. Há uma distância cultural muito grande, e já teríamos de entrar na questão do ensino brasileiro. Tenho a singela pretensão de fazer os atuais e futuros sindicalistas de nossa comunidade entenderem a complexidade das relações de trabalho, as quais se complicam ainda mais com sindicatos de servidores públicos que já envolvem a política. Mas sabemos também que o ser humano é um ser político; portanto, desvincular política do ser humano é quase tentar extinguir a existência do Homo Sapiens.
O primeiro passo é criar uma identidade própria, arraigar-se como sindicato sem assistencialismo ou paternalismo e fazer o mesmo com o servidor. Creio, senhores e senhoras, atuais e futuros sindicalistas, que a semente foi lançada, resta aos senhores e senhoras saberem cultivar. Porém, cultivar para todos e saber repartir a colheita.
Estamos fazendo História! Estamos acordando! Viva o trabalhador, viva o Servidor Municipal de Araguari!

“A necessidade de uma história mais abrangente e totalizante nasce do fato de que o homem se sente como um ser cuja complexidade em sua maneira de sentir, pensar e agir, não pode reduzir-se a um pálido reflexo de jogos de poder, ou de maneiras de sentir, pensar e agir dos poderosos do momento.” (Peter Burke)
Wellington Colenghi
Servidor que certamente receberá advertência por ter participado da paralisação do último dia 3.

21 comentários:

Edilvo Mota disse...

P A R A B É N S !!!!

Sandrinha disse...

Vc a cada dia se fortalece mocinho...e os fracos não perseguem os fortes.
Tem mostrado sua força e liderança junto a sua classe...
Assim como Antonia, Dilsin e tantos outros
Só nos resta admirar mais e mais vcs todos.
PARABENS!!!

Eliane morel viana disse...

Colenhi parabéns!!! a cada dia vcs estão vivendo e aprendendo,esse texto muy rico,acredito que nem o prefeito vai entender seu texto.Realmente vi a força que vcs têm, a cada dia aumenta e vai tomando uma dimensão, pela primeira vez Araguari prensenciou um marco histórico dos funcionários públicos e melhor com apoio da população,quando eu ouvi Evando Sodré me emocionei, parece que Araguari retrocedeu políticamente não sei por que tantos policiais tomando frente com todos seus aparatos como se vocês fossem bandidos,sendo que à manifestação pacífica mas a tropa de choque alí para para dizer somos fortes temos armas e vamos proteger o PODER ou seja os PODEROSOS,parabéns à todos funcionários que esteve alí, "bem vamos embora que esperar não é saber,quem sabe faz a hora não não espera acontecer".

Alessandre Campos disse...

Os funcionários públicos tem sua própria identidade. Estão descobrindo sua força. Sabem que o uso desta força inteligente e pacífica detém qualquer tanque de guerra.

Funcionário público, antes de ser profissional é um cidadão araguarino sem ter recebido esse título da Câmara dos Vereadores, mas por ser filho desta cidade, por nascimento ou por adoção (filhos do coração).

Cumprimos nossos deveres, mas temos consciência plena dos nossos direitos.

Não vamos nos amedrontar com as perseguições daqueles que se acham poderosos, pois, quanto mais sobem pelo impulso da vaidade, maior será o tombo.

A Deus pertence a Justiça. A Deus pertence a vingança.

"Ó Senhor, Deus da vingança, ó Deus da vingança, resplandece! Exalta-te, ó juiz da terra! dá aos soberbos o que merecem"(...)(Salmo 94)

Aristeu disse...

Incrível como que um ato corriqueiro de democracia e de direito pode-se transformar em ato heróico.

Roselane disse...

Concordo com você Aristeu é um ato corriqueiro e deveria acontecer sempre, afinal todos têm o dever de exigir seus direitos. Mas em Araguari corriqueiro é o ato das pessoas ficarem esperando esmolas.
E apesar da minha felicidade ,pelo número de pessoas ter superado minhas expectativas, ainda há muitos colegas servidores que esperam por esta esmola.
O colega Colenghi esta certo quando denuncia a mentalidade paternalista e assistêncialista e infelizmente é a mentalidade da maior parte de nossa sociedade araguarina.
A população espera dos governantes o assistêncialismo, não cobram seus direitos, pois, acham que os governantes fazem caridade. Alguns pessoas chegam ao cumulo de esperar as eleições para a repugnante troca de favores por voto.
Portanto, quando aproximatamente 500 pessoas se reunem para exigir seus direitos, procurando uma conquista e não uma concessão, o ato que é corriqueiro, passa para a esfera do extraordinário. Espero que meus colegas que não participaram do nosso ato democratico na próxima oprtunidade participe e comecem a compreender que é melhor conquistar seus direitos do que receber um favor. Na vida pública não há espaço para troca de favores,pois, somos cidadões e cada um deve cumprir com o seu dever diante da SOCIEDADE.
Colega, Parabéns pelo texto!

Anônimo disse...

Numa cidade como Araguari, onde os gestores municipais agem como se estivessem nos tempos da ditadura, toda e qualquer manifestação contra estes dirigentes deve ser tratado como um ato especial e deve ser comemorado; infelizmente, nossos ''corenéis'' ainda ficarão no poder por mais de um ano de forma que continuaremos a lutar por nossos direitos e não desanimaremos ante a falta de respeito dos atuais gestores e da apatia de alguns funcionários que se omitem e temem as represálias que são constantes.

Colenghi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Colenghi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Você fala tanto que é, está e será perseguido que, este governo, se não fosse tão "pamonha" faria com que provasse suas alegações. Seja menos sensacionalista e mais objetivo. Pare de falar e denuncie oficialmente aos órgãos competentes as "agreções" que a todo instante insinua estar sofrendo. Caso tenha feito (oficializado) alguma denúncia, parabéns e, desconsidere o comentário acima.

Claudimir (As persguições continuam... disse...

Querido anônimo das 22:07, 1º daria para explicar o uso do anonimato para defender o governo? O que vc teme? Seu uso seria justificável em uma situação de oposição ou divergência, que poderia acarretar alguma forma declarada ou não de retaliação, mas longe do seu caso que defende o governo.
2º EU FUI PERSEGUIDO, ESTOU SENDO PERSEGUIDO E PROVÁVELVEMENTE CONTINUAREI SENDO PERSEGUIDO! E ESTOU NA JUSTIÇA BUSCANDO A REPARAÇÃO DOS DANOS SOFRIDOS PELO "NOVO MODELO". Deu para vc entender! IDENTIFIQUE-SE!

Claudimir (As persguições continuam... disse...

Ah nem! É desanimador! Entrar aqui para defender o governo ainda anônimo! Puta merda! Fico imaginando se fosse oposição, estaria teclando debaixo da cama.
Deveria acabar com cargos comissionados, são aventureiros tempestivo que nada somam para o serviço. Agora se for funcionário comum da prefeitura, piora ainda mais a situação, pois qual funcionário estaria satisfeito com política adota desse governo em relação ao funcionalismo? Só se for bastante alienado, mas bastante mesmo, para não falar burro declaradamente!

Claudimir (As persguições continuam... disse...

Na coluna Drops do Ronaldo César Borges que escreve no Gazeta do Triângulo faz um comentário com o tema "Reeleição" veja o que ele escreve:

"Fala-se muito numa suposta recandidatura de Marcão nas próximas eleições. Pessoa próxima a ele me afirmou que dificilmente o prefeito namoraria a idéia, mesmo faltando praticamente um ano e meio para a deflagração do processo eleitoral. Segundo esse interlocutor, Marcão passa por um processo de desgaste de difícil recuperação, com vistas às eleições seguintes."

Se o governo já reconhece sua impopularidade temos que afirmar que esse fenômeno foi simplesmente obra da sua própria ineficiência e incapacidade a frente das coisas públicas, em parte alicerçada pela sua mentalidade privatista - a qual o Colenghi bem já explicou em um tópico único - e também devido as mazelas provenientes da composição partidária a qual fez e faz parte. Disso ele paga muito mais aos compromissos políticos inchando e onerando a maquina pública do que governando com austeridade para o cidadão araguarino.
Bom... Se o próprio governo já admite um desgaste e possivelmente diante dessa premissa não brigará por uma reeleição, temos que preocupar muito, pois qual vai ser o rumo da sua política daqui pra frente já que não mais almejaria continuar no poder. Está ai algo para se pensar.

Edilvo Mota disse...

Alguma dúvida sobre quem será a CANDIDATA do atual prefeito?

colenghi disse...

Ah, eu gosto de pamonha. Meu Caro anônimo, tenho vários processos contra a atual administração. Processos trabalhistas e por danos morais.
Ia até postar o número dos dois nos tópicos acima, mas decidi consultar meu advogado para ver se é viável e legal.
Enquanto isso, percebemos algumas estratégias dos anônimos, ora atacam o Edilvo, orra voltam o ataque a outros...e assim vão tentando desestruturar aqui.
Claudimir, não jogue pérolas aos porcos, ainda mais porcos anônimos.

Colenghi pamonha e Raça do Inferno disse...

Fui tirado do quadro de supervisão sem justificativa plausível da gestora e suas diretoras. Fui acusado de insubordinação sem nunca ter assinado uma advertência.
Algumas horas depois, a gestora dá uma entrevista dizendo que vai te óbitos por causa da dengue.
Uma semana antes daa eleição uma figura forte da súde disse a mim ao Claudimir e ao Júlio, que precisavámos eleger um certo candidato a deputado, e por sermos lideranças no combate a dengue, deveríamos trabalhar a idéia com nosso pessoal.
È não fui perseguido, inventei tudo...

Colenghi disse...

Edivo,
aqui no bairro Goiás, onde cresci e moro até hoje, farei de tudo para tirar votos da candidata do prefeito. Eu e o Claudimir somos bem conhecidos e muito queridos aqui na comunidade, inclusive onde trabalhamos por anos. Temos família aqui...aliás é um fato que quemestá no poder esquece...funcionário tem família, amigos, vizinhos...
Vou falar até com a família de um ex acessor dela que moa na rua 4...
que entem, afinal ´democracia!

Anônimo disse...

Primeiramente quero felicitar a todos servidores municipais que participaram dessa manifestação séria e necessária...Uma cidade onde os professores municipais não recebem mais do que R$ 850,00 de salário, já quase em fim de carreira, enquanto o governo Estadual já paga um piso de R$1.320,00 reais para 24 horas aula é uma vergonha... Gostaria que um dia nossos governantes pensassem que educação antes de tudo é um investimento e não um gasto...É somente através de uma educação de qualidade que nosso país poderá um dia alcançar um grau maior de desenvolvimento e acredito, será um país menos injusto, dando maior qualidade de vida e dignidade para seu povo...De que adianta tanta falácia dos nossos governantes se a realidade está estourando nas nossas caras....Servidores doentes, sobrevivendo com dificuldade e recorrend cada vez mais a emprestimos bancários para manter suas familias...Dificil acreditar na palavra de nosso prefeito e nas suas inumeras desculpas que o municipio não tem recursos necessários para nem sequer começar a discutir politicas salariais...Sem falar nos planos de carreira, que além de nunca terem saido do papel, ainda não é respeitado pelo proprio poder publico...Que fim terá Araguari se seguir nessa rota...Com certeza quem acaba pagando por tudo isso será o povo, o maio benefeciário do serviço público...Enquanto isso assistimos a uma inércia do governo, um descaso com a saúde e à educação, além da arrogância e da prepotência de quem deveria estar ocupando um cargo público para bem servir à população e não enganá-la com "obras" que nunca terminam, recursos que nunca aparecem, melhorias que não existem e um total desmerecimento do funcionalismo...Que pena, Araguari merecia coisa melhor!!!!!!!!

Claudimir (As perseguições continuam... disse...

Editei um clipe em homenagem aos servidores públicos que participaram da manifestação.

Link: http://www.youtube.com/watch?v=Vz7QoHL1dmQ

OBS: Copie o link e cole no navegador

Anônimo disse...

parabéns para vcs servidores, não intimida com ameaças dessa administração, fiquei sabendo depois que terminar a cli da saude , muitas pessoas irão perder seus cargos, vamos aguardar? vcs ficarão surpreso com as demissões. aguardem?

Anônimo disse...

E a Iara dizem ter afastado por motivo de saúde, mas cremos que na verdade foi que a mesma não aguentou a pressão e ter uma CLI nas costas. Dizem que ela não volta, pois houve até solenidade de posse na Saúde, empossando o novo secretário, que dizem ser sobrinho do prefeito. Que vexame, Iara nem ficou 1 ano.
Quero ver o que va aa essa CLI< com ou sem boi de piranha que passou em concurso em Brasília.