quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Poder é serviço e não regalia!

Dilson Martins de Oliveira *

No domingo, dia 9, na Igreja Nossa Senhora do Rosário, a celebração envolveu o batismo do nosso Senhor Jesus. E o sacerdote frisou a relutância de João em batizar Jesus visto que ele, João, é que deveria ser batizado por Jesus. E relembrou-nos o sentido do batismo – Compromisso, Aceitação, Trabalho, citando a frase título desta explanação.
Para explicar relatou a crença dos homens pela vinda de um ente rico, poderoso, cercado de facilitadores em razão do poder que eliminaria qualquer tipo de “serviço”. Ao contrário, Jesus não mostra armas, não tem empregados, não exibe riqueza, muito menos dá ordens. Assim, Jesus condicionou o sentido do título do nosso texto.
Agora o bicho pega! De forma clássica, as posses de nossas autoridades têm não apenas agradecimentos a Deus, mas também, a citação bíblica de que todo poder emana dele. Que o acento do poder é obra divina. Por pouco, não se intitulam a presença e vontade de Deus na terra. Até aí tudo bem, pois, nada acontece mesmo sem a permissão do Altíssimo.
O lamentável é que o livre arbítrio deu margem para os nossos eleitos usufruírem dos pontos que lhes são convenientes. Desta forma, o poder tem sido transformado em regalia e não em serviço.
Enquanto nossas necessidades são expostas e escancaradas por nossos próprios iluminados, estes mesmos, aparecem empenhando na melhoria de gabinetes, obtenção de móveis novos, prédio próprio e é claro, mais modernos. Recentemente, alguns empossados iniciaram fazendo “justiça” logo no primeiro dia de “serviço” - uma recomposição de 62% nos próprios salários. Também, reestruturar isoladamente setores da máquina pública pode, o resto é com a Lei 041/2006 (Plano de Cargos e Carreiras). Vale lembrar que nossa prestimosa procuradoria “vai muito bem”.
E se depois de tudo a coisa ainda ficar feia, um reajuste tributário, um arrocho na folha de pagamento é coisa simples, rápida e silenciosa. Basta para isso, afirmar necessidades emergenciais e executar o procedimento o mais rápido possível. Convencer que apesar da amargura do remédio ele só nos trará benefícios. Motivo pela rapidez que foi ministrado - Tapam-se os olhos, fecham-se as narinas e enfiam goela abaixo.
E se ninguém percebeu, as necessidades do povo ficaram no esquecimento!
Não é rara, frente à inoperância, a aclamação por mais poder para a concretização das “melhorias” – Se eu fosse Prefeito... Deputado...Senador... Presidente... Observação: é aconselhável ter muito cuidado ao fazer questionamentos e, estar preparado para uma batalha se atrever a fazer cobranças! Inconscientemente dada nossa fragilidade temos aflorados egoísmo e inveja vendo-os ostentar as benesses do dinheiro e da fama. Em breve os estaremos vendo “forçosamente e a contragosto” tendo de readequar seus salários.
E para fazer justiça, vez e outra, aqui e dali, um e outro “serviço”, digo, projeto é apresentado e até sancionado. Pena isto não significar muita coisa. Talvez dependa da cara do freguês. Exemplificando; este mesmo jornal noticiou (14 de janeiro 2011, página 3) a construção de estacionamentos em parte dos canteiros centrais da avenida Minas Gerais, na área próxima ao Centro Universitário Presidente Antônio Carlos. Apesar do “mundo desenvolvido” empenhar na diminuição do uso de veículos automotores em benefício da saúde das pessoas e do planeta. Aqui, os trechos naturais mais belos de nossa cidade (canteiros centrais das avenidas Minas Gerais, Belchior de Godoy e Mato Grosso) poderão estar com os dias contados.
Contudo, segundo o sacerdote, poder é serviço e não regalia! Indistintamente, nenhuma de nossas excelências foi pressionada e/ou forçada a nos pedir autorização para nos representar. Sabiam das nossas necessidades e aflições, inclusive, “somente” por este motivo dispuseram a lutar para mudar esta triste realidade. Ironicamente também, há casos em que a disputa é mais financeiramente dispendiosa do que todo dinheiro oficialmente ganho no mandato. Isto nos leva a pensar que o altruísmo destes entes na terra é mesmo digno de contemplação e honrarias, ou, será que estão é a perseguir regalias?
E vejo que: qual João somos nós! Peças importantes no projeto de crescimento e progresso de nosso lugar e também da humanidade. E qual Jesus é nosso escolhido! Ungidos no batismo de suas posses com: compromisso, aceitação e trabalho em benefício do Povo.

* Funcionário da prefeitura de Araguari e Ex Diretor Sindical

Artigo publicado originalmente no jornal Gazeta do Triângulo, edição de 18/01/2011.

Pitaco do blog
Para aqueles que ainda não leram, resolvi publicar este artigo escrito pelo Dilson. Como em outros textos, o autor faz um análise crítica da gestão do município. Reportando-se a diversos fatos, fundamentadamente ele vai traçando um perfil (nada animador, diga-se de passagem) da administração pública em Araguari.
Como a nossa intenção é conhecer um pouco do que se passa no poder para, depois, mostrar para os leitores, a contribuição do autor será sempre bem-vinda. Assim, espero ter a honra de poder publicar aqui outros textos dele.

14 comentários:

Edilvo Mota disse...

Entra governo, sai governo...

Entra legislatura, sai legislatura....

E NADA MUDA!!!

Aristeu disse...

E todos que lá estão se revestem do cristianismo, à excessão de uns poucos que, mesmo sem acreditar em Deus, servem mais.

Anônimo disse...

Gostei da sua reflexão Aristeu, pois ela é muito verdadeira!
Pra falar a verdade, o sincretismo religioso dessa atual gestão me da náusea. Tem gente por lá que acredita que o seu poder é de caratér divino pela postura de arrogância que emanam.

Rodolfo Paranhos disse...

Há rumores de que Uberlândia já foi menor ou de mesmo porte de Araguari um dia. Se isto for verdade:
Vejamos como está Uberlândia hoje, e me dá pena de Araguari a cada dia que passa. Não sei se seria adequado, se estaríamos fugindo do foco, mas gostaria de pedir ao Marcos e aos amigos para falarmos um pouquinho da cidade vizinha. Me interessei, pois nada sei sobre isto e obviamente os legisladores de lá ou até mesmo o executivo tem poder adquirido com serviço como diz o artigo.

Edilvo Mota disse...

Prezado Rodolfo... é fato!!

Nasci em Uberlândia há exatos 52 anos (27.01.1959) e cresci andando pelas ruas da cidade, de ponta a ponta. Vendendo refresco, revista, pudim, pirulito, indo à escola, correndo atrás de bola.

Há 15 anos estou em Araguari, onde colecionamos (minha família e eu) grandes amigos.

Uberlândia deu um salto de desenvolvimento no início dos anos 70, principalmente pela atitude de lidenranças políticas de expressão, como Homero Santos (deputado federal por diversos mandatos e responsável, junto com outros cidadãos como Jacy de Assis, pela federalização da UFU), Rondon Pacheco (governador de Minas), Virgílio Galassi (prefeito, deputado federal, prefeito, prefeito) e mais recentemente, Odelmo Leão (deputado e prefeito), Luiz Humberto Carneiro (deputado estadual) e Gilmar Machado (deputado estadual e federal com destacada atuação no Congresso Nacional, tendo inclusive presidido a Comissão Mista de Orçamento).

Naquela cidade, apesar das divergências em campanhas, o centro das atenções é a cidade e não o próprio umbigo. Em 2004, participando de (mais uma) audiência sobre o Orçamento da União, promovida por Gilmar Machado, assisti uma cena de civilidade política; durante o evento chegou o então prefeito eleito Odelmo, que venceu Gilmar Machado no segundo turno. Ao lhe ser dada a palavra, Odelmo foi rápido e disse: "Gilmar, vim apenas lhe cumprimentar pela organização do evento e registrar que você foi um adversário leal na campanha; conte comigo no que precisar e espero que Uberlândia possa continuar contando com seu apoio em Brasília".

Dito isto, Odelmo se despediu e foi embora.

Deu (mais ou menos) pra entender a diferença????

Marcos disse...

Primeiramente, parabéns, Edilvo pelo aniversário e por ter se mudado para Araguari (atitude mais sensata do que torcer para o São Paulo, por exemplo...hehehe).
Assino embaixo tudo que você disse. Essa diferença de comportamento da classe política em Uberlândia é muito boa para a cidade.
O bairrismo uberlandense é tão notório que até aqui em Brasília é conhecido. Uma colunista daqui afirmou, tempos atrás, que Uberlândia é um exemplo. Lá, depois das eleições, não existe mais a divisão entre os vermelhos e os azuis. Vale dizer: todos, independentemente da coloração política, caminham juntos pelo bem da cidade.
Em Araguari, infelizmente isso não acontece. O que se vê é uma falta de continuidade de políticas boas para a cidade. Tudo que o governo anterior fez não presta. A teoria da terra arrasada aplica-se, como uma luva, na política araguarina.
Agora, quando o assunto é a perpetuação das mutretas, não tenham dúvidas de que o código de "ética" de parte da classe política araguarina continua prevalecendo. Assim, dificilmente, se verá um novo governante investigando de verdade as irregularidades da gestão anterior.
Assim, caminhamos mais lentamente que Uberlândia. Até parece que eles, os uberlandenses, é que são governados por um coelho. Até que a troca de governantes não seria má...

Edilvo Mota disse...

É, Marcos...

mas o LEÃO ruge forte...

Anônimo disse...

Gente alguém sabe que fim levou o projeto SOMA, se bem me lembro no final de 2009 e começo de 2010 foi um auê para aprovar este projeto, agora mais de um ano depois encontramos as avenidas da cidade neste estado de calamidade, não estou entendendo nada.

Colenghi disse...

Pensando nas palavras do Aristeu...
Estranho é a repúdia que alguns me apontam quando digo que sou ateu. Não acredito em existência de deuses ou entidades. Acredito que maior que o homem é a sociedade como um todo.
Todos que me perseguiram se dizem católicos fervorosos, mandam rezar missa em ação de graças por causa de um cargo rifado...
Eu não acredito em deuses, mas ando mais certo que muitos religiosos por aí....

Ianis disse...

UBERLÂNDIA-MG, 28 de janeiro de 2011.

Prezado Colenghi,

O Brasil é um País laico !

Admiro um HOMEM que assume escancaradamente que não acredita em DEUS, que não há necessidade de fé, e que tudo é obra própria ou do acaso. ( Espero que nunca entremos em auto-combustão... )

Sou CRISTÃO !

Odeio ( ??? ) quem se diz Cristão, frequenta e participa de atividades afins, e rouba, trai, engana, explora, mente, mata ou manda matar à sua livre e impune vontade... e ainda o fazem reunidos em grupos sociais de dois, três ou muito, muito mais...

Ah... e devemos nos lembrar da DOUTRINA: A Autoridade é um dom concedido por vontade de DEUS.

É ! E não se deve discutir os atos - nem mesmo os ilícitos - de nossas AUTORIDADES...

Bem que poderiam mesmo entrar em auto-combustão!

Ê Cristão !!!

Atenciosamente,
Janis Peters Grants.

Edilvo Mota disse...

Ao lado da hipocrisia generalizada, utilizam-se Deus, Jesus Cristo, toda plêiade de santos e artifícios para fazer das religiões plataformas politiqueiras e/ou fonte de enriquecimento.

ECC's, EJC's, VNC's, retiros, grupos de jovens, de idosos, disso, daquilo... tudo com a única finalidade de galgar cargo político. Compram votos patrocinando eventos de cunho (supostamente) religioso, compra votos também no balcão, nos quintais, etc, etc...

E na surdina, praticam descaradamente as antigas e eficazes formas de corrupção, aprendendo com mestres da arte. Se alguém resolve listar os picaretas do setor, vai gastar muito tempo. E tem picareta de toda crença, ao gosto do freguês.

Crença (ou não crença) na divindade é opção. Já regilião funciona como latrina, onde se despejam os detritos da semana (vide a tal confissão) e neguim (ou branquim) sai prontinho pra outra rodada de sacanagens semanais.

Uma metáfora malacabada do "lavou tá limpo".

antônia disse...

Acredito na existencia de um ser supremo, pois do contrario não faria sentido ainda continuar neste mundo cheio de mentiras, hipocrisias e injustiças, quando a do homem falha que é frequente, conto com a deste ser supremo. Em tempo, frequentar um templo religioso não faz de ninguem melhor, pelo contrario templos religiosos historicamente são os lugares de onde ocorreram as maiores injustiças cometidads mundo a fora. Matam em nome de "Deus", mentem em nome de "Deus", o meu Deus é bem maior que tudo isso e ele não quer me ver na igreja, tenho certeza que prefere uma pessoa que se diz "ateu", porém honesta a uma que viva em igrejas prejudicando seus irmãos.

Rodolfo Paranhos disse...

Caro Edilvo,

Obrigado por atender meu pedido. Sempre ouvi falar que existem políticos em Uberlândia que trabalham bastante, sempre visando o desenvolvimento do município. Deve ser admirável presenciar um episódio igual a este, citado por você sobre o reconhecimento do Odelmo para com a atitude do Gilmar. Dá pra entender bem o foco da questão, que não é apenas o comprometimento com o município e a população de um modo geral, mas também ser dotado de reputação ilibada e ética política. Deveriam servir de exemplo não só em Brasília.
Quanto a Deus em meio à política, creio que exista políticos que são de fato servos de Deus e legisla dentro da sabedoria em busca por dias melhores ao coletivo e fazer a vontade divina, e aqueles como havia sido dito anteriormente, utilizam a santíssima divindade para "maquiar" uma falsa crença para obter popularidade política nas horas das eleições. Mais uma vez obrigado Edilvo, e não esqueci do prometido não... minha vida tá meio enrolada, mas em meados do início de fevereiro devo te ligar para brindarmos alguma nobre causa, quem sabe a chegada do Grande Rivaldo ao nosso tricolor?!

Abraços!

Aristeu disse...

É. Tudo bem dito! O importante de tudo é pensar que Deus acredita em mim!