quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Mais mudanças

A Câmara vai ganhar um reforço jurídico de peso com chegada de Hamilton Júnior em substituição à vereadora Eunice Mendes. Afinal, dizem que, por méritos próprios (quase genéticos), antes mesmo de se tornar bacharel em Direito, ele já era assessor jurídico de um município próximo a Araguari.
O interessante é que a vereadora condicionou sua ida para o Executivo à permanência de seus assessores na Câmara. Isso encheu de dúvidas um dos leitores do blog. Ele quer saber. Será que as pessoas de confiança dela são, necessariamente, de confiança, também, do suplente Hamilton Júnior? Será que, por não fazerem nada (ou p. nenhuma), os assessores de um servem para os outros? Pior: será que a preocupação em manter os empregos dos assessores  é apenas política ou tem algum reflexo financeiro para a vereadora?

6 comentários:

Anônimo disse...

Hamiltinho foi omelhor aluno da Unitri.

Aristeu disse...

Com tanta sorte assim ele deve ter sido aluno sim da Unidunitri - Salmamê - Minguê!

Alessandre Campos disse...

Muda as (os) caras, mas as atitudes são as mesmas.

Paulo disse...

Em primeiro lugar sou Paulo Bolsas colunista no jornal correio e admirador deste importante blog. gostaria aqui de dar parabéns lo pelo grande conteúdo de informações e o modo transparente e imparcial que transmite.

eeeeee disse...

Melhor aluno ,mas... atitude será! executivo manda eu cumpro,são os cumprades da vida.

Edilvo Mota disse...

Um fato curioso nos intriga.
Se em alguns órgãos da prefeitura (FAEC, SAE, Saúde) existe o cargo de vice-presidente, presidente adjunto e secretário adjunto... porque, na saída do titular o vice ou adjunto não assumem?

Penso até que os cargos (vice e adjunto) seriam dispensáveis, por medida de economia.

Porém, em sendo mantidos (os cargos), deveriam ser valorizados; até para que se justificassem.