terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Fora de foco 4

Diz, ainda, o Correio:
DEFEITO DE INFORMAÇÃO
Mas, de fato, há erro. De informação. Cabe à Prefeitura informar corretamente à população sobre o verdadeiro conteúdo das mudanças efetivadas no Código Tributário Municipal. O que corre solto pela cidade não traduz corretamente a realidade. É coisa de oposição rasteira, movida por pura maldade, ou por falta de conhecimento ou ainda maldade.
Pitaco
O defeito de informação está escancarado.   Contudo, não se resume somente à falta de informação sobre o conteúdo das mudanças. A população deveria ter sido chamada para participar do debate e influenciar nas mudanças, como mandam as regras democráticas. 
Faltou informação desde o início. Coisas que a maior parte da população não soube:
- contratou-se uma consultoria sem licitação para elaborar o projeto, sendo que, na prefeitura, existe um corpo jurídico (obviamente de comissionados) que deveria dar conta do recado;
- em nenhum momento, o prefeito e a então presidente da Câmara deram publicidade ao projeto. Noticia-se de tudo (parabéns, pêsames, mudança de nome de ruas, etc.), mas o mais importante fica escondido para ser aprovado na calada da noite;
Por fim, o que corre pela cidade não é maldade. É, isto sim, a antecipação do que está por vir, ou seja, fala-se no aumento irrazoável de alguns tributos. Não é só. As receitas agora majoradas serão geridas por pessoas irresponsáveis (vide gastos com altos salários, despesas com comissionados, gastos com publicidade, aumento de despesas com terceirizações e aluguéis, etc). Só isso já é suficiente para justificar a ira santa de parte da comunidade araguarina.

2 comentários:

Aristeu disse...

Um cadastro urbano bem feito e arraigado num banco de dados com informações adjacentes, como em Brasília, permite saber, por exemplo, a renda de cada família bem quanto, em cada rua se paga de luz/água/telefone. Ora, para fins de justiça social, um imóvel que gasta, nestes três itens básicos um certo valor, poderia ancorar o IPTU numa proporção deste valor gasto. Assim, nem levantamento cadastral seria necessário para uma atualização decente!

Anônimo disse...

Mas Aristeu, depois que vc depara com a layout da pagina virtual do jornal "O Correio" não dá para acreditar que eles sabem construir um banco de dados com informações detalhadas e precisas.