sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Um mês depois, jovem que ofendeu nordestinos vive escondida

Segundo parentes, Mayara Petruso evita lugares públicos e deixou a faculdade; Ministério Pública decretou sigila da investigação

Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo | 03/12/2010 11:00

Um mês após postar mensagens de ofensa contra nordestinos na internet, a estudante Mayara Petruso ainda evita aparecer em público. Ela deixou de sair de casa sozinha, largou o curso de Direito na FMU e, segundo a família, foi obrigada a se refugiar longe da casa da mãe, em virtude de ameaças que ainda sofre.
Depois de perder o emprego, Mayara diminuiu também a frequência de encontro com o grupo habitual de amigos e ganhou fama de “a menina que não gosta de nordestinos” na cidade onde morava com a família, em Bragança Paulista, interior de São Paulo.
A família também ficou reclusa. Alegando terem recebido ameaças por e-mail e telefone, a mãe e a avó da garota se dizem assustadas ao verem pessoas estranhas rodeando seu pequeno comércio, na periferia de Bragança. Orientada pelo advogado que defende Mayara, a família optou não limitar o contato com a imprensa....Leia mais

2 comentários:

Edilvo Mota disse...

O que uma cagada não faz com a vida da pessoa...

Aristeu disse...

Mas não era pra ser assim. No caso é ela uma pessoa doente que merece cuidados humanos. Acho que seria a vez e a hora de alguns nordestinos, e olha que são tantos, mostrar à mesma quem são eles. Principalmente não vingativos, ao contrário, gente que perdoa com facilidade. Os nordestinos estão em todas as fases de nossas vidas. Os nordestinos, em maior percentual, estão também no exterior. São porteiros, compositores, cantores de maior grau na MPB, pedreiros, presidente, humoristas e pessoas persistentes. Ninguém consegue ter tanto apego à vida e à terra como eles. E as mulheres? Como são fortes. Como são fontes de resistência. "Só deixo meu Cariri no último pau-de-arara..."