sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Direito de Resposta

Carta enviada ao Jornal Diário de Araguari pelos representantes dos servidores públicos municipais (agentes de endemias) que atuam na Secretaria de Saúde. 

Resposta à coluna Curtas do dia 02 de Dezembro de 2010.
Nós ex-supervisores do combate à dengue, viemos através deste, esclarecer algumas afirmações feitas na coluna curtas, que a nosso ver, foram levianas e tendenciosas, no intuito de denegrir nossa imagem perante a sociedade araguarina.
Consta na coluna que nossa saída foi motivo da fomentação da CLI. Infelizmente, não temos esse poder. O que levou a CLI foram fatos denunciados ao vereador Sebastião Vieira por outros funcionários da saúde que não se encontram lotado no combate a endemias. Salientamos ainda, que não temos qualquer contato com informações vindas do TFD, ignorando inclusive, a metodologia de funcionamento deste. Nossa participação no processo, ocorreu no âmbito democrático em que cidadãos acompanham e fazem valer sua representatividade.
Quanto a acusação da coluna (que inclusive não é assinada),que reproduziremos à neste trecho: “Falando nisso, os “agentes da dengue”, que foram retirados da função de coordenadores, efetivados por uma ação irresponsável da gestão M.Alvim, estiveram na câmara cobrando a CLI. A CURTAS ouviu de uma pessoa da área que as mudanças na coordenação foram justas, pois alguns teriam privilégios indevidos.” Bem, certamente a coluna poderá se for o caso( Judicialmente), informar que privilégios são esses. Afinal, o termo junto á população pode gerar dupla interpretação e denegrir ainda mais nossa já prejudicada imagem.
Trazendo alguma luz as acusações, salientamos que todos os Supervisores destituídos (o informante da coluna nem usa o termo correto), foram promovidos ao decorrer de vários anos de serviços prestados, e que antes do plano de cargos e salários, ganhávamos apenas 10 horas extras para supervisionar turmas. Com o advento do plano de cargos e salários, passamos a receber função gratificada para o desempenho da função. Essa gratificação é garantida pelo artigo 97 do plano de cargos e salário e é destinada àqueles servidores de carreira que exercem função que exige trabalhos além de sua atribuição inicial do cargo. Nada de privilégios, apenas cumpriu-se a lei. Todos os supervisores destituídos passaram por capacitações técnicas ao longo dos anos. Alguns já eram supervisores antes da entrada o governo Marcos Alvim. Nunca ouve nomeação de supervisor sem critérios técnicos. Somos técnicos, não políticos.
Quanto à nossa saída, mai um erro gritante por parte da “pessoa  ligada à área”, nossa saída nada teve de justa.  Desgastamos nossa imagem com a truculenta diretoria da Saúde, a partir do momento em que começamos a cobrar as promessas de campanha feitas pelo novo modelo. Foi nos prometido que votaríamos num coordenador, que do meio de nós através de sufrágio, ainda foi-nos prometido jornada de 6 horas, condições de trabalho, revisão de planos de cargos e salários no primeiro mês de mandato do Novo Modelo. Desde o advento do Novo Modelo, nada foi cumprido, e logo após a entrada da atual gestora, que provavelmente nada entende de democracia e parece não ser afeta ao contraditório e sim , aguerrida usuária da mão-de-ferro, perseguiu-nos e como não é adepta ao diálogo, achou mais prático retirar-nos do cargo. Mas  judicialmente a Prefeitura terá que responder pelos atos da secretária.
Sugiro, e isso todo bom repórter deveria saber, que ouçam os dois lados da história antes de publicarem inverdades, onde apenas alcoviteiros tendenciosos. Destilam seu veneno e promovem “fofocas’ que tiram a credibilidade da imprensa. Estaremos procurando a  redação deste jornal, depois de ouvir aconselhamento de nossos  advogados, no intuito de que nossa versão também seja publicada. Infelizmente, não é a primeira vez que esta coluna publica inverdades sobre nossa categoria, e gostaríamos de salientar que nosso trabalho é grosseiro, mas nossa alma não.
Wellington Colenghi Galdino – Servidor Municipal
Claudimir Lourenço Rosa  -- Servidor Municipal
Nossa opinião representa à de todos os colegas destituídos.

41 comentários:

Marcos disse...

Eu não sei qual a opção política do subscritor das Curtas do Diário. Aliás, nem sei se fazer "política" por meio de um jornal é eticamente aceitável.
De uma forma ou de outra, me parece que foi cometido um grande erro pelo colunista. Deixou-se de ouvir o outro lado. O bom jornalismo, a exemplo do Direito, exige a oferta do contraditório.
No caso, a situação se agrava. Como demonstrado na carta, a área de atuação dos agentes de endemias não é a mesma dos setores onde ocorreram as supostas irregularidades na realização de despesas públicas (adiantamentos para viagens destinadas a tratamentos fora do domicílio - TFD). Isso, por si, coloca em xeque a credibilidade da "informação" veiculada pelo jornal.
Pior que isso, ainda que os ex-supervisores tivessem denunciado essas supostas irregularidades, a infomação do jornal continuaria sendo tendenciosa. Por quê? Ora, porque todo aquele que toma conhecimento de irregularidades no serviço público possui o inarredável dever de denunciá-las a quem de direito.
Aí é que a porca pode torcer o rabo na CLI. Claro, se a Câmara quiser ir a fundo, deverá verificar se essas supostas irregularidades eram de conhecimento dos Secretários de Saúde e do próprio Prefeito. Se isso ocorreu e for devidamente provado (o que exige vontade moral e política), os resultados da CLI poderão demonstrar a presença de indícios da prática de crimes e de atos de improbidade administrativa por parte de altas autoridades do município.
Por fim, quero parabenizar aos servidores que elaboraram a carta. Objetiva e incisiva, ela joga luz sobre um assunto que vem sendo, maldosamente ou não, distorcido por segmentos da imprensa araguarina. Esses setores precisam, no mínimo, de um reciclagem técnica e, até, ética. É isso!

Edilvo Mota disse...

Por onde anda o CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE?

Quem são seus atuais membros?

Quem preside o Conselho?

Onde acontecem as reuniões? Em que dia do mês e em qual horário?

O Conselho se posicionou em relação a tais assuntos (afastamento de supervisores, adiantamentos de viagens, etc...)?

Respostas, por favor...

Marcos disse...

É, Edilvo, eis a pergunta que não quer calar.
Com a palavra os caras-que-estão-brincando-de-governar-a-cidade...

Aristeu disse...

Eu só queria saber uma coisa: Quais conselhos realmente funcionam? Tutelar, do Idoso, da Educação, da Saúde...

Anônimo disse...

Não tenho nada com isso, ou melhor tenho sim, Araguari viveu uma epidemia de dengue este ano era só ir no pronto socorro com fui várias vezes para amenizar os sintomas de dengue, pois peguei a abençoada doença que somente quem já teve(a maioria da população) pode dizer como é; se vocês são tão competentes como deixaram chegar nesse ponto.O cargo de supervisor não é uma indicação do Secretário de Saúde e do coordenador do setor? E se não estão trabalhando bem não é fato que essas pessoas tem que ser substituídas? Esse cargo não é vitalício e nem permanente, eu só não entendo por que tanto estardalhasso ou melhor entendo sim é somente porque mexeu no bolso, pois lhes foi tirado a gorda gratificação.Mexeu com os brios de alguns, imagina só eu supervisor por tanto tempo tendo que voltar para o setor e fazer o serviço igual ao restante dos agentes isso é muita humilhação não é mesmo. Se todos pensam tanto no serviço que foram tanto treinados, se tem tanta responsabilidade vamos arregaçar as mangas e fazer o que é devido para que não tenham tantas pessoas sofrendo com a dengue no próximo ano, ao invés de ficar fazendo politicagem com o exelentíssimo vereador Tiãozinho do Sindicato. Pois vocês dizem que não são políticos, mais é só o que fazem.Afinal ele é vereador ou é do sindicato, pois é, Sindicato é outra coisa que já não funciona, não é mesmo.

Anônimo disse...

O funcionário ao invés de buscar na ordem e no convencimento através da argunetação o crescimento da classe e de melhores condições de trabalho, fica prestando a ser marionete nas mãos do vereador presidente do sindicato. Afinal, alguém com o mínimo de raciocínio consegue enxergar o cristiano comandando uma entidade sindical. Só se for a dos puxa sacos.

Arregalem os olhos funcionários da prefeitura de Araguari! Não posso dizer que acredito na atual administração, pois, está sendo igual ou até pior que as anteriores. Do que foi o sindicato, este grupo não é a sombra daquele do passado. O cristiano e o vereador sindicalista só fazem enrrolar e trair os que o elegeram. Contudo, dos dois, o primeiro, que é advogado com inúmera clientéla graças ao nome da entidade está tendo e poderá ter as graças deste governo enquanto o mesmo pedurar. Já o vereador, ficará sozinho tendo pesadelos com a falta de votos nas urnas e ou imaginando como fazer hora extra pra garantir um reforço no salário. Afinal, tudo acaba! Até a ingenuidade e paciência dos trabalhadores da prefeitura.

Anônimo disse...

"...se vocês são tão competentes como deixaram chegar nesse ponto..."

Querido anônimo, vc deveria ler mais sobre o assunto, pois está sendo além de leviano muito superficial na sua abordagem. Dengue não depende apenas das ações de campo realizada pelos agentes sanitários. Deixa de ser torpe! Temos inúmeros fatores como condicionantes que contribuem incisivamente na elevação da incidência do vetor, como por exemplo crescimento urbano desordenado; falta de infra-estrutura nos bairros; políticas públicas que não saem do papel; aquecimento global como já apontou estudos científicos q acelerou o desenvolvimento dos estágios -ovo, larva,pupa e adulto- reintrodução do sorotipo 1 após mais de 15 anos e mais recentemente o sorotipo 4 -nessas reintroduções vc sabe o q é um mundo globalizado? - ; a não aplicação de uma lei já aprovada na Câmara que faculta o município a aplicação de multas naquelas propriedades com número elevado de criadouros com focos; a falta de material de trabalho que compromete o programa, vc já viu em q estado se encontra as mochilas dos agentes sanitários? Vc sabia que o Estado repassou uma verba para intensificação do programa de combate a dengue e q muitas das datas previstas para a aplicação dessa verba já venceram? ESSA CULPA É DE QUEM? FALA AGORA! Vc sabia que a categoria dos agentes sanitários desenvolveram um projeto para ser colocado em prática antes do periodo das chuvas, o qual foi entregue protocolado, mas q até então não saiu do papel pelos gestores da área? É INCOMPETÊNCIA NOSSA? VAI FALA! Se estão perdendo fundos por não aplicá-lo, não sabia q essa responsabilidade recairia sobre a categoria.
Vc q se julga bastante dono da verdade poderia explicar melhor todas essas situações.
Vamos ver se tem mesmo argumentos válidos ou apenas esbarra numa miséria intelectual.
E veja heim! Existe inúmeros outros fatores mas q não vou enumera-los agora, procure se instruir melhor, apenas lhe sugeri outros caminhos.
Ah claro! E mesmo diante desse quadro q desenhei especialmente pra vc, Araguari não está nem entre as 20 cidades do Estado de minas com maior incidência da doença, sendo q o Estado de minas não se encontra nem entre os 4 do país.
Essa visão estreita de ver a dengue apenas como uma questão de saúde e não como emaranhamento de causas socio-econômica e politica-cultural que leva a essas considerações pobres e inúteis.

Anônimo disse...

CONTINUANDO...

"Esse cargo não é vitalício e nem permanente"

Vc já tentou explicar isso para a secretária de saúde e mais alguns diretores da área? Talvez com conhecimento e discernimento do que é público e privado não teria levado a ações tão nefastas.

..." somente porque mexeu no bolso, pois lhes foi tirado a gorda gratificação"

Vc sabia q a gorda gratificação antes da implantação do plano de carreira girava em torna de apenas 10 horas extras? E que estas ainda eram pagas num valor irregular, isto é, num valor bem inferior, q depois mts funcionários foram buscar uma indenização na justiça. Vc sabia disso? Era tão gorda q poucos ousavam ocupar a função de supervisor, era uma dificuldade para completar o quadro exigido.
Vc sabia q os supervisores ficaram 1 ano sem receber a "GORDA GRATIFICAÇÃO" nessa atual gestão? Receberam horas extras pelo cargo num valor bem inferior -metade estipulado pelo plano de carreira - Vc sabia disso?

..." fazer o serviço igual ao restante dos agentes isso é muita humilhação não é mesmo."

Humilhação não é realizar as mesmas tarefas dos agentes e sim uma indignação com a forma que foram tratados. O q motivou as destituições? Elevação dos casos da doença? Imagina se cada Estado brasileiro aplica essa metodologia heim! Qualquer dúvida vc lê novamente o inicio do meu post.

..." Pois vocês dizem que não são políticos, mais é só o que fazem"
Onde vc vive meu caro anônimo? É claro q sou um ser político. Os gregos tratavam a política como um valor e não como um simples fato. A política foi inventada quando surgiu a figura do poder PÚBLICO.
Vc deveria saber mais sobre a polis, instituições sociais, convenções humanas. E isso vc só consegue ampliando sua leitura.
Sugiro para uma leitura os seguintes livros: a "República de Platão, a "Política de Aristóteles, Dois Tratados sobre o Governo de Locke, a teoria da tripartição dos poderes de Montesquieu" entre outros...

Colenghi disse...

Ah essas palavras do Corajoso anônimo...
Parece até que vejo quem está falando, mesmo sendo anônimo na acusação. Engraçado, no Brasil todo teve dengue, e na região à perseguição à servidores só ocorreu aqui. ANônimo, em vez de ficar postando à favor de diretores, bajulando...vem pra luta vem....AH! Minha gratificação não era gorda...recebia só 490 rteais há mais...pelo trabalho que tinha nem compensava.
Mas o que discutimos aqui não é dengue, mas sim a ofensa que o jornal nos causou.

Colenghi disse...

Em tempo:

"O cargo de supervisor não é uma indicação do Secretário de Saúde e do coordenador do setor? E se não estão trabalhando bem não é fato que essas pessoas tem que ser substituídas?"
Nisso aí concrdo contigo, está tão ruim que até o prefeito deveria ser substituído.

Anônimo disse...

Não pertenço à classe dos agentes e não vejo dentre as outras classes situação de progresso advindo deste governo.

O funcionalismo público da prefeitura de Araguari está entregue à própria sorte. Não temos por parte do executivo nenhuma ação de recondicionamente dos instrumentos diários de trabalho. Não há respeito pelo trabalhador. Não é motivo de preocupação do governo saber detalhes a cerca das pessoas que a vários governos atuam na prestação do atendimento ao público... e nem estou falando dos direitos legalmente adquiridos.

Não temos por parte do legislativo nenhuma ação inteligente, séria e honesta para o trama que vivemos. A esperança vinda com a vitória do Sebastião desapareceu logo no primeiro ano de mandato. Ele hoje é um político como os outros e ou pior, pois, perdeu o equilíbrio, o discurso antigo e principalmente está transformando amigos e companheiros em ferrenhos opositores à sua permanecia não só na câmara como também no sintdicato.

Que bom ver que existem grupos de servidores organizados e unidos em bem ajudar a cidade, construindo melhores situações de serviço e logicamente, na busca por progresso para suas carreiras.Infelizmente, estamos um tanto quanto sozinhos nesta luta.

Contudo, mais um ano vai embora e este como tantos outros governos que não valorizaram os servidores terá a nossa forte presença nas urnas e pelo que se dezenha, não será apoio. Os 11 vereadores também fazem parte da nossa vasta lista de demagogos, mentirosos e oportunistas.

Edilvo Mota disse...

Essa última postagem, provavelmente feita por um servidor público municipal anonimamente, pelo fundado receio de sofrer retaliações, dá bem a medida do quanto ainda é preciso avançar para a consolidação de um verdadeiro Estado Democrático de Direito.

O respeito ao contraditório deve (deveria) ser sempre a base da administração pública, sem prejuízo dos princípios basilares como publicidade, economicidade, eficiência, etc, etc...

De fato, não só os servidores públicos, mas também nós, cidadãos "comuns" (no jargão lulístico) estamos cansados de sucessivas administrações (seja no Executivo ou no Legislativo) que não priorizam o interesse público.

A seara política, e por tabela a ocupação de cargos públicos não concursados, se tornou terra de ninguém, recheada de gente despreparada técnica, moral e emocionalmente para a liturgia e o compromisso do ônus público.

A culpa disso é minha, sua e de todos nós, que toleramos a presença de gente sem respaldo moral, sem currículo e sem propostas consistentes fazendo as vezes de nossos "representantes" em todas as esferas da administração pública (aqui, lá e acolá). A culpa é minha, sua, nossa que fazemos "boca de siri" para desmandos, que recuamos ante intimidações, que "deixamos ficar como está" porque, afinal, "não sou eu quem vai salvar o mundo".

A permanecer esse estado de espírito, dia virá que realmente não mais se poderá fazer, senão assistir impassíveis a derrocada definitiva de todos os valores que deveriam ser o alicerce da administração pública e da efetiva "representação popular".

Perguntemos, cada um de nós, a si mesmo se, de fato, somos efetivamente "representados" por quem hoje ocupa o poder...

Edilvo Mota disse...

Quanto à CLI da Saúde, postarei no tópico específico...

Anônimo disse...

Sou um otimista e vejo que tudo no universo caminha para transformações melhores e positivas.
Araguari, devido aos novos eleitos de mentalidade e ações pré históricas ainda não acordou.
Foi preciso eleger um administrador de fato para comprovarmos que não são os títulos, diplomas e patentes que fazem um bom gestor público.
Ainda não fomos agraciados com líderes verdadeiramente comprometidos com nossa comunidade.
Nós servidores públicos somos os restos das mazelas feitas por pessoas comprometidas com seus umbigos.
São governos e mais governos iguais, razão por estar nossa cidade parada no tempro, se não, caminhando prá traz.

Marcos coelho não faz nada para mudar a realidade da máquina pública.

Marcos Alvim criou uma Araguari que só existia nos seus discuros. Mentiu e prejudicou os funcionários da prefeitura com um plano de cargos e salários que ele mesmo sabia que não poderia cumprir, isto, sem contar com as atrocidades feitas com o dinheiro público.

os outros anteriores não tenho muitas recordações, porém, observo que foram verdadeiros coroneis. Imagine como terá sido o Miguel prefeito se hoje como secretário já se acha deus, ou melhor, ele tem certeza que é.

Anônimo disse...

CADÉ O SINTESPA? CADÉ O TIÃO? ACABARAM AS PANELAS VAZIAS OU O DISCURSO CONVENIENTEMENTE TEVE QUE ACABAR?

Colenghi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Colenghi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Colenghi disse...

Quando pedi ao Marcos que postasse nossa resposta ao vil comentário do Jornal O Diário, não pensei em tanta repercussão. Primeiramente, não escrevi a carta tentando justificar a nossa retirada do cargo. O cargo é da secretária e ela fez como achou correto. Eu não tenho intenção do voltar ao cargo nesse mandato, por motivos óbvios. O que foi certo ou não, o que me deixou de ser pago, o assédio moral devido a exposição de nossa imagem, será em breve discutido legalmente.
Gostaríamos apenas, que setores tendenciosos da imprensa, ligadas ao governo, deixassem-nos em paz. Fomos acusados nas rádios nos jornais. Tivemos nosso serviço denegrido e chamado de "lambão" por um radialista. Mas tal fato é até bom, principalmente para o processo de danos morais.
O que ocorre por parte de uma teimosia anônima, são as tentativas de denegrir nossa imagem com a epidemia de dengue, a qual, foi macro-regional. Micro-regionalizar o surto, é sem dúvida um ardil sujo, que tenta descaracterizar vários anos de bons serviços prestados ao município, vinculando nossa imagem à epidemia , e ainda, desconsiderando outros fatores, como saneamento básico, cultura e muitas vezes, inclusive, falta de material de trabalho. Chegou à faltar lápis para o pessoal trabalhar. È só perguntar para qualquer agente de campo.
Outrossim, críticas ao Sintespa, algumas tendenciosas, outras com razão, necessitam de uma auto-análise por parte do próprio funcionalismo. Afinal, na última assembléia, estiveram poucos funcionários presentes, o que leva à crer que o restante está satisfeito. Faz-se um acirrada campanha contra o SINTESPA, mas não vejo niguém na luta para engrossar o caldo. Judicialmente, nunca deixei de ser atendido pelo DR. Cristiano e como eleitor o Sebastião Vieira jamais me deixou na mão. Mas vou atrás dos dois e cobro, por quê votei nos dois e eles tem de fazer valer o voto que confiei. Não vou no gabinete do Tião para pedir favorezinhos, mas para exercer a cidadania. SINDICATO, somos todos nós funcionários, não só o Cristiano ou o Tião. Nós somos o corpo do SINTESPA, se não nos movermos, nada saí do lugar. Não é só delegar poderes e esperar...é COBRAR, ir atrás. Levantar a bunda da sessão e fazer História, não passar por ela submisso.

Colenghi disse...

EM tempo
Para quem ainda não leu a coluna Curtas em questão:

http://www.4shared.com/account/photo/NQMx2mph/curtas_001.html

Anônimo disse...

Não fiquei sabendo de nenhum lugar que a diretoria do sindicato tivesse ido para esclarecer dúvidas e ou insentivar a ida das pessoas na reunião do dia 25 de novembro.

Nosso sindicato está morrendo e não é por causa dos funcionários. Se vocês agentes estão tendo maiores atenções, menos mal. Na minha opinião vocês estão sendo enrrolados não só pelo patrão mas também pelo sindicato. Afinal, é só vale alimentação e vale transporte o que sabem falar.

Falemos então da assembléia:

Não foi fácil ficar até o final e constatar o tião monopolizando o microfone para fazer propaganda dos seus requerimentos e muito menos ouvir o cristiano justificando e até defendendo o governo.

Será que ele esqueceu das leis que nos beneficiam e que estão sendo descumpridas? Todo e qualquer movimento sindical é cheio de atritos. Ser bonzinho, educadinho e eternamente pacientezinho não combina com quem diz ser um representante sindical.

Colenghi, Sendo você um dos que sempre acompanha as mobilizações da entidade, deve ter notado que o antigo discurso acabou.
Não houve organização, objetividade, planejamento. Isto porque, a diretoria do sindicato assim planejou.

Sabe Colenghi, esta assembléia foi só para cumprir "protocolo". O sindicato não realiza uma assembléia à muitos anos. Está perdendo a cada dia mais e mais filiados e não consegue convencer os servidores. É muito fácil dizer que está tudo difícil devido a não adesão das pessoas, que a culpa é dos funcionários.

O sindicato Não divulga suas ações justamente por que não existem. Não fala abertamente dos problemas justamente por que não convém.

Você e seus companheiros merecem elogios por conta da coragem e união. Você, com certeza, através de suas manifestaões ajuda muito a sua classe. Contudo, continue sendo honesto consigo mesmo e também com seus colegas e reconheça: O sintespa está acéfalo, mudo, inerte, apático.
Você acredita nos políticos de nossa cidade? Nossa entidade esta sob o comando de um!

Sinto constrangido por não ter coragem de revelar meu nome e mais ainda por permanecer representante de minha classe. Não concordo com desfiliações, pois, é isso que o governo quer. Espero que algo de bom venha a acontecer. Este tião que agora está, não é o mesmo que conheci.

Colenghi disse...

Prezado
Entendo o anonimato. Mas realmente não vejo a situação de sua ótica. Como disse e aliás sempre cobro do sindicato é uma postura mais agressiva e radical. Também já percebi que o SINTESPA é ruim de merchandising e pouco divulga das conquistas, deixando fácil o caminho das críticas. Mas, tais falhas não anulam a importância da entidade.
De meu ponto de vista sigo acreditando que se o funcionário cobrasse iagual minha categoria cobra, seria melhor para todos. Porém outras categorias são adormecidas. Nós agentes de endemias, estamos inclusive, planejando uma paralisação para janeiro, com apoio do SINTESPA, pois deve seguir a manifestação dentro dos trâmites legais.
Mas como já disse, não creio ser aqui o lugar para discutir sindicalismo. Mas eu mesmo, se um dia chegar a sindicalista, usarei as máximas marxistas...aí certamente vão reclamar que sou radical demais. Mas, "A luta de classes é o motor da História", até que me provem que Marx estava errado.

Edilvo Mota disse...

http://www.patrocinio.mg.gov.br/ouvidoria/

Prefeitura de Patrocínio-MG, disponibiliza em seu site oficial um link para colher pedidos de informações, sugestões e reclamações de usuários. É o canal OUVIDORIA.

Boa ferramenta para a gestão democrática e participativa.

Edilvo Mota disse...

Site da Prefeitura de Araguari possui o canal "FALE CONOSCO".

Taí...

http://www.araguari.mg.gov.br/2010/index_prefeitura.php?pg=contato

Marcos disse...

Sobre o sindicato, como funcionário público que sou, acredito que os filiados devem cobrar, exigir postura firme dos representantes do sindicato. Vejam, foi dito aqui: o sindicato são os servidores.
Em Araguari, mesmo não conhecendo com profundidade a situação, vejo um total enfraquecimento do sindicato e, por tabela, do funcionalismo. Claro, é essa a intenção da Prefeitura. Com sindicato fraco, ela tem os servidores nas mãos.
Para não dizerem que não motivei o que disse acima, cito alguns pontos que enfraquecem a categoria:
1. o excessivo número de comissionados. Isso retira a força do funcionalismo, na medida em que os comissionados não possuem interesse nenhum em pressionar o governo (afinal, estão lá de favor);
2. a falta de reserva de um percentual mínimo de cargos em comissão para funcionários de carreira;
3. a existência de dois regimes jurídicos (os comissionados, que são estatutários, e os efetivos, que são celetistas). Isso é uma situação absurdamente inconstitucional, mas não vi ninguém reclamar. Ora, se o regime estatutário oferece mais garantias, era para o servidor efetivo ser estatutário e não celetista. Afinal, quem necessita de garantias (estabilidade, efetividade, independência, etc.) para desempenhar suas funções é o estatutário;
4. terceirização desenfreada dos serviços públicos. Com isso, o sindicato perde receita e força política. Estranha-me o fato de o vereador Tiãozinho não brigar contra a terceirização. De que lado ele está?
São essas observações.
Antes de encerrar, quero agradecer à imensa participação de todos aqui neste espaço. Sintam-se à vontade para, dentro das regras de urbanidade, criticar, reclamar, denunciar... O espaço é público, ou seja, é nosso.

Anônimo disse...

Marco;

Concordo com você. São justamente estes pontos de omissão que acabaram com nossa entidade. Infelizmente a estrutura do nosso sindicato está ao desfrute pessoal do tião.

O Colenghi está infelizmente acreditando que terá autonomia como presidente do SINTESPA tendo o tião na executiva. Colenghi, não seja marionete e ou boneco aos projetos políticos do tião!

Gritos de greve para o ano que vém, caixão, panfletos apógrifos e até as velhas frases voltaram, pois, está a caminho duas eleições: Eleição para nova diretoria do sindicato e eleições para vereadores e prefeito.

Anônimo disse...

Prefeitura, sindicato, camara e issuu e aquilo
esquece gente
Esse povo so pensa em si mesmo e no maximo estão passando mel na boca de alguns visando somente votos para 2012
ano que vem é visitinha de Marcão e Jubão e terá caixãozinho na porta do sindicato
Ja vimos esse filme antes gente acho que ta na hora de começarmos a agir ao invés de continuar acreditando em contos de fadas
isso se não quizermos ver a bruxa no comando
ou o tião do caixão ganhando poderes com mais uma vereança isso sem falar do homem sem rosto(jubão) nos enganando novamente
chega desse filme de terror

Colenghi disse...

Anônimo(a)
Não disse em momento algum querer ser Presidente do SINTESPA, tenho outras coisas em mente e não envolvem permanece o resto da vida atrelado à Prefeitura. Não coloque palavras em minha boca.
Mas percebo uma motivação enorme em denegrir aqui a imagem do Tião...rsss. Interessante, até parece que só ele é vereador.
Quero apenas lutar enquanto estiver na Prefeitura. È Engraçado...hoje mesmo conversava com um colega da secretaria, sobre uma carta aberta, que resultou em nada na secretaria. Por algum motivo, que eu ainda não sei....o assunto calou repentinamente( Mistério), coisa que com o nosso caso específico não irá acontecer.
Não sou burro, tenho conhecimento Histórico e sei a sujeira do meio político. Alguns postam aqui achando que sou inocente acreditando na benevolência política. Não confio em nínguém politicamente, mas me agarro ao que ainda posso contar. Se eu fosse Marionete meu caro, estaria nomeu cargo até hoje.Se o Tião pisar conosco,coisa que eu duvido, ele terá o retorno.
Mas até agora, para nós da dengue, O Tião é Um mito, por quê foi o único que não nos abandonou.
Não sou inocente ao ponto de achar que só por quê escrevi uma carta vou ser presidente do SINTESPA, como alguns acharam.

Edilvo Mota disse...

Colenghi...

por falar em "Carta Aberta", sabe dizer que fim levou aquele assunto, já que alguns atores (ou coatores) eram os mesmos de agora?

Anônimo disse...

Colenghi
Vc não inocente!
Longe disso.
Vc levanta a bola do Tião na esperança que ele o abençõe com seu apoio ao cargo de presidente do SINTESPA
O problema senhor ingenuidade é que ele não vai fazer isso
já tem outro que será apadrinhado e abençoado
o outro tem retorno enquanto que você...VAI SONHANDO!

Colenghi disse...

Correndo o risco de ser redundante, reafirmo que a intenção aqui não era discutir sindicato ou atuação de vereadores. O fulcro da discussão à priori seria publicação da coluna curtas que tendenciosamente, manchou a imagem de ex-supervisores do combate á dengue.
O contraditório, as diferenças de opiniões conspiram para discussões salutares a qualquer democracia que queira se solidificar e prosperar. Nada mais sadio do que um embate, apesar de ter vivido na pele, a intolerância daqueles que não suportam o cidadão pensante, ainda mais, quando este cidadão é um servidor subalterno, ZÈ POVINHO.
Recorrem alguns à tempos passados, onde o sindicato seria mais atuante. Reivindicam o retorno de caixões, mais atuação, ou seja, uma mudança no direcionamento das ações do SINTESPA. Concordo plenamente. O que não cabe é a crítica pela crítica, faltando ainda com a imparcialidade. Será que essa volta ao passado do sindicato, não seria apenas com o mero interesse de por em evidência um antigo membro, que hoje se encontra perdido da luta?
Uma breve análise é necessária ao entendimento da conjuntura histórica de nosso sindicato. Em períodos anteriores, não houve luta sindical por parte dos ex-dirigentes. Houve uma guinada apenas quando o Tiãozinho assumiu a presidência.
Sendo Araguari, uma cidade sem tradição operária, torna-se difícil implantar de uma vez, a luta por direitos. Qualquer outra entidade sindical em nosso município é fraca. Somos uma cidade tradicionalmente agrária e com mentalidade provinciana. A imagem do coronel ainda é presente.
Desta forma com o advento do Tiãozinho do SINTESPA, o sindicalismo começa a “engatinhar” e a “balbuciar” algumas palavras. È um começo, talvez um marco. Se havia outra intenção por trás deste fato, aí caberá outra discussão. O jeitão truculento de fazer reivindicações, levou o Sebastião à uma situação confortável junto ao funcionalismo público municipal. Resultado refletido nas urnas.
Como o sindicalismo ainda engatinha, cada momento histórico é fundamental ao seu desenvolvimento. Necessário lembrar que na época do caixão, os protestos eram válidos, mas sem resultados, causando desgastes, à meu ver desnecessários. Assim como os Ludistas em 1811 e 1812, acreditavam que quebrando as máquina, estariam resolvendo e melhorando sua condição de vida, seus salários; A antiga administração do SINTESPA investia na exposição radical do EX- prefeito Marcos Alvim.
OS Ludistas viam nas máquinas o cerne de sua miséria, o que não era fato. A problemática é bem mais complexa. Aliás, já que tantos aqui são adeptos do sindicalismo, sugiro a leitura dos 3 volumes de E.P. Thompson : “A Formação Da Classe Operária Inglesa”, afinal para discutir é sempre bom ter argumentos.
Interessante notar que na época do caixão, em vez de quebrar máquinas tentava-se forçar M> Alvim com a exposição da imagem. Alguns anônimos que aqui postam e que faziam parte da antiga gestão do SINTESPA vão concordar que na época também não houve resultados concretos. Também nesse período, como hoje, não havia e não há participação do servidor municipal, que sempre foi passivo ante aos fatos.
A torpe insinuação feita à meu respeito, d e que eu pretendo galgar a presidência do SINTESPA é como de costume, infundada. Quanto eu ser marionete, quem me conhece sabe que não me dobro a nada nem ninguém. Mas pelo visto incomodo. Afinal, sem ser candidato já estou causando protestos... Tem Anônimo irritado, beirando a deselegância. Acho que irei pensar no caso.....
Entendo o funcionamento das entidades sindicais, conheço a história dos movimentos sociais. Sei do mutualismo entre sindicatos e o meio político onde o primeiro pode se tornar uma escada para o segundo. Aliás, já devo ter lido mais material sindicalista que muitos aqui. Sou Marxista, Sou fã de Foucault e Sartre. Portanto sei onde piso e até onde posso ir.

Colenghi disse...

Para terminar, entendo que Gramsci vê bem o papel do sindicalista:
“Analogamente, a classe operária - que, na visão de Gramsci, era a classe que então comandaria a mudança social - teria seus próprios intelectuais de novo tipo, que, no entanto, não é correto identificar aos intelectuais dos partidos de esquerda ou aos seus militantes. Tratar-se-ia, aqui também, de "funcionários" de uma nova e complexa superestrutura, que se pode supor como mais democrática e e até racional, expurgada - como no caso do americanismo, estudado pioneiramente por Gramsci - de restos parasitários do passado, que pesam como uma camada de chumbo sobre a estrutura produtiva.
Na sociologia gramsciana, os intelectuais de tipo orgânico, ao se desenvolverem, deparam-se com os de tipo "tradicional", herdados de formações histórico-sociais anteriores: clérigos, filósofos, juristas, escritores e outros. Estes intelectuais tradicionais têm um forte sentimento de continuidade através do tempo e vêem-se como independentes em relação às classes sociais em luta. De um certo modo, estas últimas tentam capturar para si estes intelectuais tradicionais no processo da luta pela hegemonia. No caso da classe operária, para Gramsci, a luta seria no sentido de afirmar um novo intelectual, não mais afastado do mundo produtivo ou encharcado de retórica abstrata, mas capaz de ser, simultaneamente, especialista e político. Em outras palavras, capaz de exercer uma função dirigente no novo bloco histórico.”
Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Intelectual_org%C3%A2nico

“Gosto da boa discussão, desde que seja embasada.

Colenghi disse...

EDILVO:
Eram sim as mesmas pessoas, ocorre que naquela época, por algum motivo até agora obscuro as vozes se calaram.

Edilvo Mota disse...

Cagaço é obscuro o bastante?

Naquela tentativa de linchamento de empresários de saúde contra o então secretário de saúde, em 2006, conheci de perto o que a conveniência, aliada ao medo, podem fazer com velhas amizades.

Anônimo disse...

As vozes emudeceram, o assunto derreteu e de novo agentes de saúde e sindicato preparam uma nova novela. O que de positivo para os funcionários do setor ocorrerá? Vejo que pessoas inteligentes habitam setores da prefeitura. Entretanto, esta inteligência está a serviço de que e quem? Tanto conhecimento por parte dos senhores e nada de concreto por parte da entidade que os representa! A ingenuidade não conhece os senhores mas pelo que sinto a maioria dos servidores sim, está aí uma esperança de real mudança!

Anônimo disse...

Eu acho que a secretária de saúde fez uma troca, ou seja uma mudança, em uma hora muito complicada. Pois a dengue esta ai, e com essas pessoas sem experiencias, ao contrario do que ela pensou só veio deixar o trabalho desses agentes sanitarios, menos motivados do que ja eram, assim passando a ser mais difícil de se executar.não sou funcionario da prefeitura, mais vejo o quanto o serviço saiu perdendo, agora sim é que se perdeu a força de vontade de continuar lutando por um serviço quase sem retorno. Até porque essa nova cordenação que colocaram pra cordenar, nao se sabe nem o que é dengue muito menos como se combater. Nessa confusão toda da pra ver claramente que foram perseguidos por lutar pelos seus direitos, assim eles os antigos supervisores sairam e entraram pessoas que nao tem experiencia no trabalho. Penso eu que a secretária deveria se preocupar mais com as coisas erradas que acontece ai tão perto dela,assim deixaria pelo menos a classe que no meu ponto de vista é a que mais trabalha, sendo um trabalho muito importante pra população,deveria sim estar trabalhando em cima de punição para os moradores de lugares com o foco da dengue, assim as coisas sim ia funcionar melhor e infelismente o brasileiro so toma juizo quando a situação é tocada la no bolso dele,não e o trabalhador que esta ali todos os dia na luta, é que tem que passar por esses tipos de problemas não. ESSA É MINHA OPINIÃO.

Anônimo disse...

Colenghi vc já contou para seus amiguinhos blogueiros quem vc realmente é?
Conte para todos que vc é um laranja do Tião e que seus pagamentos são feitos atravez de caixas de cerveja e que trabalhando na sua equipe o estresse é maior do que com qualquer outro coordenador pq seus gritos ferem os ouvidos e os sentimentos de todas nós
Conte também que os seus textos postados aqui na verdade não é você que escreve e sim o doutor Cristiano e o ignorante do Tião fica ditando o que tem que ser escrito
conte a todos que você é uma grande farsa

Anônimo disse...

Eu gostaria de saber pra onde vai o dinheiro do sindicato ja que tudo o que se precisa la não tem

Colenghi disse...

"Conte para todos que vc é um laranja do Tião e que seus pagamentos são feitos atravez de caixas de cerveja e que trabalhando na sua equipe o estresse é maior do que com qualquer outro coordenador pq seus gritos ferem os ouvidos e os sentimentos de todas nós"
Bom, primeiramente, certamente você percebe que seu post é ofensivo e detrata minha honra, seja subjetiva ou objetivamente. Mesmo sendo anônima, não é impossível de rastreio caso a necessidade de você provar isso.
Seu comentário é tendencioso, pois você provavelmente me conhece e sabe que tenho bacharelado em história(NA UFU, VIU?),e que tenho familiaridade com textos mais complexos. Infelizmente, não terminei a licenciatura para poder dar aulas.
Quanto á acusação de receber cerveja...complicado. Você prova? Se prova não pode ser de forma anônima. Gritos...só você ouviu. Todos com quem já trabalhei, aliás, todos do campo, não os beneficiados do escritório, que deve ser seu caso, ainda mantém comigo estreito laço de amizade. Fácil eu comprovar tudo, agora você anônima. Talvez, se você entendesse um pouco de DIREITO ( você não faz direito faz?) saberia que hoje em dia mesmo no anônimato,demandam processo.
Mas aqui no Blog, creio que uma simples intervenção do blogueiro se faz suficiente, nestes posts ofensivos. Mas por ora, dei apenas um print screen na tela de seu comentário.

Sandrinha disse...

Pessoinhas queridas...não é brigando entre si que conseguiremos o nosso verdadeiro intuito...sei que todos os que lêem ou comentam nesse blog buscam as mesmas coisas que é a transparencia seja no SINTESPA, Câmara de vereadores, Prefeitura e etc...
E pelo que estou percebendo isso está sendo desviado com ataques entre pessoas que deveriam se unir...Nós... O POVÃO... seja funcionario da prefeitura ou mesmo como eu... uma simples cidadã araguarina temos sim o dever de discutir nossos direitos mais de uma forma educada e sem ataques pessoais...Essas ofensas não nos levará a lugar nenhum...UNIÃO nos levará a um futuro muito melhor...por favor me desculpem a intromissão...se faço isso é por amar minha cidade e com isso amar também esse povo sofrido...

Anônimo disse...

Por quê a exoneração dos antigos supervisores teve uma repercussão negativa? Pela falta de transparência e planejamento no movimento desses cargos. Os efeitos dessas mudanças não ficaram restritas apenas aos supervisores, mas atingiu toda a categoria. Como assim?
A secretária Iara não agiu de forma transparente, foi uma atitude unilateral que asfixiou o direito da categoria de se expressar. Ninguém tava entendendo nada daquilo.
Fizeram uma lista com nomes daqueles que iriam ocupar as funções de supervisores, e estes ficaram apenas sabendo no mesmo momento em que os antigos supervisores estavam sendo destituídos. O processo foi todo embolado. Absurdo o amadorismo da secretária Iara.
Qual foi o critério da escolha? Na verdade não teve nenhum critério que obedecesse as normas técnicas do trabalho, buscaram fomentar a lista com nomes que eles tinham certeza que não negaria ocupar a nova função. Eis o critério! Contudo, mesmo aqueles que almejavam um dia subir de cargo ficaram assustados com o método aplicado, o que explica a dificuldade de recompor o quadro após a destituições dos supervisores. No primeiro momento praticamente TODOS relutaram em assumir a nova função para o desagrado dos gestores da saúde, notadamente, Iara, Lúcia e Iolanda. Teve turma que chegou a ficar duas semanas sem supervisor! Mas a linha ditatorial não deixava dúvidas do tipo: "Caso eu assumo a supervisão de alguma turma, quem garante que amanhã não faça o mesmo comigo, já que foram tirados em meio a bravatadas." Já podemos observar como ficou o psicológico de todo o grupo.
Então como fizeram para completar o quadro de supervisão? Entrou o plano B, a intimidação direta, a coação de Iara, Lúcia e Iolanda, que circularam as equipes pressionando para que o nome da lista assumisse a supervisão, e caso não quisesse, essa pessoa teria que indicar outro nome -lembrei aqui daquele filme sobre o nazismo (Fuga de Sobibor) tem um momento do filme que o cara da gestapo manda cada um dos prisioneiros do lado escolher outro nome para morrer.
Vocês podem perguntar, mas e o prefeito nessa história? O próprio prefeito revelou para os supervisores exonerados que a Iara teria dito a ele, o prefeito, que foram os supervisores que pediram para saírem das suas funções porque afirmaram não dar conta de combater a dengue na cidade. Agora lhes pergunto, essa secretária é profissional?
Depois em outras reuniões o prefeito aceitou todas as considerações da secretária Iara, e fez permanecer a decisão, sabemos que ele já tinha sido moldado pela Eunice Mendes que é amiga da secretária de saúde. Assim a situação ficou bastante favorável para a secretária.
Depois de passar por tudo isso, a secretária Iara mostrou grande preocupação com a categoria e marcou uma palestra motivacional. Tivemos que ficar sentados e ouvir sobre ética, moral e até história do sapinho por horas.

FLAVIO disse...

As questões de irregularidades e ilegalidades criadas pelo Novo Modelo de Administração são muitas. Por que, não abrimos uma discussão sobre o novo Código Tributário Municipal e a ineficiência da administração, que vai tentar impor aumento no IPTU sem a edição da Planta Genérica de Valores. Tenho algumas considerações sobre o assunto, para dar início às discussões.