quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Usuária do Twitter responderá na Justiça por crime de preconceito contra nordestinos

A OAB-PE (Ordem dos Advogados do Brasil de Pernambuco) vai entrar com uma ação nesta quinta-feira (4) contra uma usuária do Twitter Mayara Petruso, que ganhou fama na internet após publicar comentários ofensivos contra o povo nordestino. Após a vitória de Dilma Rousseff nas eleições presidenciais, a jovem postou “Nordestisto [sic] não é gente. Faça um favor a SP: mate um nordestino afogado”.
De acordo com Henrique Mariano, presidente da OAB-PE, a entidade está concluindo a reunião de provas contra a jovem que, ainda segundo a OAB, é paulistana e estudante de direito. Ela responderá pelos crimes de racismo e incitação pública de ato delituoso -- no caso, homicídio. O processo será entregue ao Ministério Público Federal. O crime de racismo, além de inafiançável, tem pena que varia entre dois e cinco anos de cadeia. Já o de incitação pública a delito varia de três a seis meses de detenção.
Caso a estudante faça estágio na área de Direito e tenha registro na OAB-SP, a OAB-PE entrará com um processo administrativo para cassar sua licença. "Como uma acadêmica de Direito promove um ato tão degradante?" questionou o presidente da OAB-PE.
Henrique Mariano afirma que a ação tem como base uma reportagem de “O Diário de Pernambuco”. No texto divulgado na segunda-feira (1), a publicação relata como os usuários brasileiros do microblog trocaram provocações após @mayarapetruso (o perfil já foi deletado) ter manifestado com a frase preconceituosa sua insatisfação com a vitória de Dilma.
Os tuiteiros reagiram e criaram a campanha #Orgulhodesernordestino, que ficou entre os termos postados no Twitter em todo o mundo, segundo os “Trend Topics” do microblog. Também ganhou destaque o site Xenofobianao, com imagens de tuítes dos internautas que fazem críticas ao nordeste e nordestinos. Também no fórum de UOL Jogos, os usuários debatem o tema e destacam mensagens de preconceito na web.
Diante da reação em massa, a jovem escreveu no início da semana um pedido de desculpas em sua página no Orkut: “minhas sinceras desculpas ao post colocado no ar, o que era algo para atingir outro foco, acabou saindo fora de controle. Não tenho problemas com essas pessoas, pelo contrário. Errar é humano. Desculpas mais uma vez”. Nesta quarta (3), o texto já não é mais exibido; aparentemente, sua página foi invadida e o conteúdo, trocado.
Fonte: http://tecnologia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2010/11/03/usuaria-do-twitter-respondera-na-justica-por-preconceito-contra-nordestinos.jhtm

Pitaco do blog:
Ainda falarei mais desse assunto importante. Por ora, quero dizer que isso que está acontecendo é reflexo do jogo sujo proposto pela oposição ao governo Lula. Num dia, as agressões eram veiculadas pela internet. No outro, apareciam, maquiadas, no programa eleitoral e nas entrevistas do candidato do bem. Assim, caminhou a oposição, sem propostas, mas disposta a agredir. Queria a vitória ainda que isso custasse a divisão do país: o Sul e Sudeste do bem e o Nordeste do mal. Essa tática ofendeu a índole pacífica da maioria dos brasileiros. Sabemos conviver bem. Aceitamos e respeitamos as diferenças. A derrota, nesse contexto, era inevitável. Se o país fosse um pouco mais sério, a cadeia também seria inevitável.

4 comentários:

Edilvo Mota disse...

Divergências de opção política são aceitáveis e necessárias à democracia.

A repugnante atitude dessa estudante de Direito é um exemplo mal acabado dos rumos que tomou a humanidade: intolerância e ódio subjugaram o debate.

Porém, há que se fazer um parêntese para não jogar na vala comum dos imbecis e intolerantes, todos aqueles que não comunguem nossas opções políticas ou que tais.

Votei em José Serra por convicção e tenho restrições ao modus operandi do PT no poder (o que aliás não difere muito do que temos visto Brasil afora).

Entretanto, findo o processo eleitoral, havemos de respeitar a vontade popular e, acima de tudo, torcer para que o governo Dilma tenha sucesso (será o sucesso de todos nós). E, acima de tudo, fiscalizar sempre, sem intolerância mas sem complacência com mensalões, cuecas (vermelhas ou azuis), etc.

Tenho amigos (e inimigos, penso) tanto no PT, quanto no PSDB, PMDB, e P's afora. E nem PT, nem PSDB são, por simples osmose, reinos de puros ou impuros em sua totalidade. Existe canalha por todo canto.

Como cidadão, repudio de forma veemente a atitude impensada e preconceituosa da moça; o que de resto tem sido, infelizmente, a tônica entre uma juventude sem limites.

Crimes hediondos vêm se repetindo numa escala assustadora. E se nós, pais, não temos pulso (ou no discurso collorido, "saco roxo") para educar os nossos filhos, o resultado fora de casa não poderia ser outro.

Uns bons puxões de orelha na infância, quiçá tivessem evitado esse deslize da moça.

Aristeu disse...

As pessoas fazem de um tudo para aparecer na mídia e talvez este seja mais um ato que certamente não gerará aplausos, mas um repúdio do tamanho da ofensa.

EFGoyaz disse...

Excelente o comentário do Edilvo. Vi essa notícia hoje de manhã e pensei que ela seria tolerada/esquecida ou virar mais uma briga PSDB X PT. Que bom que a OAB do PE (e acho que a OAB de SP e de todos os estados do país deveriam apoiar também) vai apresentar denúncia contra essa menina, que vergonhosamente é uma estudande de Direito(!!!) (e contra vários outros imbecis que fizeram o mesmo).

Alessandre Campos disse...

Essa retórica de que a oposição é o mal ou mau do (ao) Brasil é o reflexo da intolerância e o ódio ao contraditório.

É preconceituoso e arrogante vincular a ação de uma criatura isolada atribuindo isso a oposição no Brasil.

Cada um tem o livre arbítrio e faz o que bem entender e responde por ses atos e pelas conseqüências geradas, bem como, cada um sabe distinguir o joio do trigo.

Uma coisa é certa: o PT, o Lula e a Dilma não são "trigo" por serem governo, como não foram "joio" quando estavam ao lado da oposição e faziam o jogo sujo promovendo a bagunça(greves, invasões, passeatas, quebradeiras, etc.).

Cada um com sua verdade momentânea.

E a moça do twitter que responda pelos seus atos na forma da lei.