sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Senado gasta R$ 40,6 milhões com tratamentos médicos e dentários

Milton Júnior
Do Contas Abertas
Os gastos dos senadores com serviços médico-hospitalares, odontológicos e laboratoriais quase duplicaram neste ano, em relação à despesa de todo o ano passado. Em 2009, a Casa Legislativa reembolsou cerca de R$ 26,5 milhões aos parlamentares e servidores que precisaram de algum tipo de tratamento. Neste ano, até o último dia 11, a despesa já atingiu cerca de R$ 40,6 milhões. Atualmente, não há limite para despesas médicas que beneficiam o parlamentar em atividade, cônjuge e dependentes com até 21 anos ou até 24, se universitários. O benefício também é extensivo aos ex-senadores que exerceram mandato como titular e aos familiares.
(..)
Ao todo, os Três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) já desembolsaram cerca de R$ 1,9 bilhão na saúde de seus servidores. Estima-se que até o fim deste ano o valor fique próximo a R$ 2,3 bilhões – mesmo montante gasto nos 12 meses do ano passado. Para se ter uma ideia do volume empreendido, basta lembrar que, em 2009, o Ministério da Saúde aplicou cerca de R$ 2,4 bilhões no programa federal de “vigilância, prevenção e controle de doenças e agravos”, de incentivo financeiro a estados e municípios na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e controle de surtos e epidemias como a dengue e a malária.
Leiam a notícia completa em

Pitaco do Blog
Esses 40 milhões gastos com a saúde física e mental dos nossos Senadores seriam suficientes para se contruírem 10 hospitais municipais em Araguari. Ou não?
 

11 comentários:

Anônimo disse...

"E assim caminha o Lulismo"... seria esta mais uma outra forma que arrumaram também para desviar fundos? Bom, isso eu não sei, mas tudo indica que basta apresentar declarações médicas falsas e se torna possível dividir os lucros entre eles. Qual será a próxima palhaçada? Vamos aguardar, pois o circo está montado, aliás, agora é que vem o segunda parte do grande espetáculo que o povo tanto pediu.

Quanta emoção!

Marcos disse...

Anônimo, isso não é só o Lulismo. Isso é o Brasil.
Esse tipo de irregularidade existe em quase todos os municípios e estados também.
Veja, o que mata não é a despesa em si mesma. Mas sim a falta de transparência. Sem saber como e com quem foi gasto, não dá pra controlar.
Vou citar um exemplo bem próximo. Em Araguari, a Câmara não presta contas à população. Os vereadores possuem verbas para contratar assessores e fazer despesas com a divulgação do mandato. Pois bem, de quanto é essa verba? Como ela é gasta? Como são feitas as prestações de contas? Eu pedi informações e não recebi respostas. Por isso, estou denunciando o fato ao Tribunal de Contas.
Na Câmara Legislativa de Brasília, um certo deputado gastou toda a verba de gabinete com compra de gasolina. Constatou-se que, se ele usasse realmente a gasolina "adquirida", ele poderia fazer umas 500 viagens a Goiânia, ida e volta.
Em suma, o que quero dizer é que, independentemente de quem esteja no poder, os recursos públicos são mal gastos. É óbvio que um parlamentar possui direito a assistência médica e odontológica. Mas esse direito deve ser razoável, compatível com o cargo e com as possibilidades do Estado. Óbvio: deve ser claramente previsto em lei e sujeito a prestação de contas.

Edilvo Mota disse...

Marcos,

pelo planejamento que fizemos (eu, o diretor médico da SMS e professores da Unipac e UFU)para o Hospital Municipal em 2007, e que foi naquela época solenemente ignorado pelo poder público, os R$ 40,6 milhões dariam pra bancar o custeio mensal do hospital por 135 meses, ou longos 11 ANOS...

Edilvo Mota disse...

Em tempo: que tal o Senado e a Câmara desengavetarem a Emenda Constitucional 29 (ou melhor o PLC 01/2003) aprovarem, garantirem um orçamento decente para a Saúde, cobrarem fiscalização rigorosa em todos os âmbitos e...

UTILIZAREM O SUS PARA SUA ASSISTÊNCIA E DE SEUS FAMILIARES???

Alessandre Campos disse...

E qual o valor gasto "per capita" por habitante e por senador?

Será que somente os nobres poderosos tem direito a esse tipo de assistência a saúde?

Mas, será qque o dinheiro é gasto em saúde mesmo?

Edilvo Mota disse...

Alessandre...

recibos e notas frias não existem.

É pura imaginação sua...

Aristeu disse...

Acabei de chegar de Goiânia onde, via SUS, meu filho fez uma cirurgia de cabeça e pescoço. Tal procedimento, executado no Hospital das Clínicas da UFG, aconteceu depois de enfrentarmos burocracias e mais burocracias num prazo de 11 meses. O caroço, pra medicina chamado de quisto branquial aparentemente benigno, que era do tamanho de uma bolinha de gude, neste prazo, tornou-se do tamanho de um ovo de galinha. Uma coisa simples virou um bicho de sete cabeças onde até causava desmaios por estar pressionando a carótida, horta e jugular. Corre o risco ainda de ficar sem alguns movimentos faciais. Uma equipe médica muito competente, mas que recebe o paciente muito tarde. Existe o SAMU, Serviço Médico de Urgência, que filtra os casos através de uma Assistente Social e ali reside desconhecimento clínico e demora. Tem muito mais coisas, mas não adianta lastimar. Obrigado SUS, espero não contar mais contigo.

Aristeu disse...

Eu queria ser suplente de senador, mas com uma assistência desta eles se tornam imortais...

Anônimo disse...

Certamente Marcos, obvio que ocorre em todo o Brasil. Quando digo "Lulismo" me refiro à omissão, de saber que tudo ocorre bem embaixo de seu nariz, e quando vem à tona, o máximo que acontece é um simples pedido de renúncia ao mandato. Me refiro a um governo onde se tornou bom negócio ser político. Nos dias de hoje quando o assunto é enriquecer, o melhor negócio de fato é ter um vinculo forte a eles, você assume seu cargo, monta teu esquema, enche os bolsos, e depois pede exoneração. Outras coisas que eu deveria comentar, mas nem vale a pena. Gostaria muito que um dia olhassem pro cidadão "comum" da mesma forma que olham para os bolsos deles. E pra finalizar, deixo uma pergunta semelhante à do Alessandre. Porque é que somente funcionário público de alto escalão tem todo esse privilégio?

Anônimo disse...

Agora só falta aparecerem por aí com a boca cheia de dentes de ouro... rsrs

Alessandre Campos disse...

Edilvo,

Tem hora que queria acreditar que fosse só imaginação...

O caso do Aristeu ocorreu exatamente pq não existe prioridade a vida neste país. 11 meses de espera e descaso do poder público que administra o SUS e não a vida!

Quem sabe a CPMF resolva!!!

Salve-se quem puder!!!