quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Rios de Lama

Moradores ilhados e a Prefeitura...nada.
É essa a situação dos cidadãos que moram no Bairro Palmeiras do Império. Enquanto as águas sobem, a credibilidade do novo modelo de administração desce.
É pública e notória a omissão do poder público, responsável pelos rios de lama em que se transformaram as Ruas Coromandel, Araxá e outras. Parece que nem mesmo a audiência pública realizada pelo Ministério Público conseguiu resolver o problema da falta de infraestutura nas ruas do bairro.



Fotos tiradas pelo Repórter João Carlos de Almeida

6 comentários:

EFGoyaz disse...

Ministério Público? Araguari? rsrsr
Dizem que, entre as autoridades, todo mundo é amigo ou parente de todo mundo. Só não é amigo do povo mesmo.

Anônimo disse...

Ministério Público?!!! Isso ainda existe?!

Aristeu disse...

Convenhamos que o Ministério Público não pode dar conta de tudo. É fácil cobrar, mas será que se atos executivos pertencessem ao MP ele também não fracassaria? Tenho certeza que a Administração Atual não é a responsável exclusiva deste mar de água.

Edilvo Mota disse...

É necessário que a sociedade, de forma geral, adote uma permanente atitude de acompanhar as ações do poder público; valorizando os acertos e cobrando correção dos erros.

Particularmente, sempre repudiei a mania geral de incensar agentes políticos, tratando-os como estrelas ou semideuses. A babação de ovo gera sensação de onipotência e, por tabela, de impunidade.

Falta muito ainda para que nos tornemos uma sociedade efetivamente republicana, participativa e cidadã. Mas, convenhamos, é preciso começar.

Opinar, sem ofender; cobrar, sem fazer ilações; respeitar, sem temer; participar, sem morder a beirada do bolo.

É simples assim...

Edilvo Mota disse...

DISTRITO FEDERAL-Publicação do portal Terra.com.br, 10 de novembro de 2010.

PF prende 7 prefeitos baianos suspeitos de fraudar licitações.

A Polícia Federal (PF), atuando em conjunto com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal (MPF), prendeu nesta quarta-feira os prefeitos de sete cidades do interior da Bahia. Eles são suspeitos de fraudar licitações e desviar dinheiro público. Além deles, foram detidas mais 32 pessoas.

Segundo a PF, as cidades são: Itatim, Elísio Medrado, Aratuípe, Lençóis, Cafarnaum, Utinga e Santa Terezinha. A Operação Carcará, como está sendo chamada, apreendeu documentos, automóveis e expediu mandados de busca e apreensão para 20 cidades da Bahia. O prejuízo, conforme a CGU, chega a R$ 60 milhões. O número de prisões pode aumentar nas próximas horas. Os detidos serão levados à sede da PF no Estado.

A investigação teve início a partir de uma denúncia sobre a ocorrência de possíveis crimes relacionados a procedimentos envolvendo a empresa Sustare Distribuidora de Alimentos e outras vinculadas ao grupo comandado por Edison dos Santos Cruz, que tem como atividade o fornecimento de merenda escolar. Foi constatada uma organização criminosa nas empresas que diversificaram os ramos para o fornecimento de medicamentos e obras públicas. A divisão de mercados ocorreu a partir de licitações utilizando notas fiscais frias ou pelo superfaturamento dos preços praticados pelas empresas investigadas.

Segundo a Comunicação Social da Polícia Federal na Bahia, todo o material apreendido será analisado pela Polícia Federal e pela CGU para apresentar um relatório conclusivo ao Ministério Público Federal.

Edilvo Mota disse...

Alguma dúvida sobre COMO ficar rico no cargo de prefeito???