sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Observatório Policial


O grupo de policiamento motorizado (GPMOUR) foi acionado no bairro Independência, para atender uma ocorrência de agressão física. Chegando lá, constatou que o autor fugira, levando uma bicicleta e um vidro de perfume da vitima, que é sua amasia. Após rastreamentos, o acusado Marcelo Gomes da Silva foi preso, mas não se encontrava com os produtos da vitima. O autor informou que havia trocado a bicicleta por uma pedra de crack em um ponto de vendas de drogas na parte alta do bairro Goiás. Após estas informações, a Polícia deslocou-se até a Avenida Paraná n° 30, parte alta do bairro Goiás, em uma casa freqüentada por vários usuários para o consumo de drogas,  local conhecido como "biqueira".
A equipe comandada pelo Cabo Amador Júnior conseguiu fazer a apreensão de 38 pedras de crack, uma porção de maconha e certa quantia em dinheiro, conseguindo fazer a prisão do acusado de tráfico, Vércio Alves Amaral, que negou sua participação no tráfico e afirmou ser usuário. O cabo Amador Júnior, afirmou que sempre que os autores de tráfico são abordados, negam sua participação no tráfico, mas o acusado foi flagrado e as testemunhas afirmaram que o acusado Vércio vende droga no local e as pessoas fazem o uso dentro da casa para não serem flagradas pela polícia.
Após diligencias e uma conversa com os autores, foi possível recuperar a bicicleta da vitima e
ainda foi apreendido um menor acusado de receptação.
Colaboração do Repórter João Carlos de Almeida

2 comentários:

Aristeu disse...

Em cada dez tribunais de juri em funcionamento seis estão relacionados com crimes praticados por consumo de crack, ou seja, esta é a maior pedra no caminho das nossas vidas.

Marcos disse...

O crack é uma droga sem precedentes. Encurta a vida mesmo!
Pior: vem coisa mais violenta aí. Vi uma reportagem ontem em Rio Branco no Acre. Nem sei o nome da nova pedrinha, mas dizem que é o Pelé dos cracks.