segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Moradores reclamam de passarela



             Os moradores que utilizam a passarela que liga vários bairros, como Independência, aos bairros São Sebastião, Sewa, Vieno e parte alta do Goiás, continuam reclamando e preocupados com a situação da mesma. Com o período chuvoso, o risco de acidentes é constante, principalmente para crianças e idosos. A passarela é escorregadia e não possui segurança. Provocou um acidente com uma senhora, que teve o braço fraturado. Sempre acontecem  acidentes ali. O Corpo de Bombeiros de Araguari já condenou a mesma. Devido ao tempo, começou a enferrujar. Os usuários sentem a passarela balançar quando as máquinas ferroviárias estão funcionando.
             "Nós precisamos com urgência de um viaduto, existe também a falta de segurança por parte de um grande numero de usuários de droga, que usam da passarela para práticas de furtos e assalto a mão armada, cobram pedágios de todas as pessoas que trafegam por ali, a policia já registrou varias ocorrências como estupro, roubos, tráfico e recentemente ocorreu um homicídio onde o corpo foi encontrado nas proximidades, temos muito medo, cadê às autoridades políticas do nosso município para tomar as  devidas providências", afirmou José Maria dos Santos, morador do bairro Goiás parte alta.
Colaboração: João Carlos de Almeida, Rádio Vitoriosa de Araguari

Pitacos do blog:
O pessoal daquela região é simplesmente ignorado pelas autoridades municipais. As dificuldades de acesso aos bairros não é o único problema. Além do mau estado da passarela, os moradores convivem com a falta de transporte público, de infraestrutura, de segurança, de saúde, de educação, etc. Em suma, apesar de o voto deles ser igual ao de qualquer outra pessoa, são tratados como cidadãos de segunda categoria. Um absurdo!!!

2 comentários:

Aristeu disse...

Certamente não era pra haver vida depois da ferrovia.

Anônimo disse...

como araguarino me sinto entrestecido de saber de tais relidade acontecendo com meus patricios alem da ferrovia existe vidas, sim -humanas que merecem consideração como outra igual.