quarta-feira, 4 de agosto de 2010

14 Figurinhas Carimbadas

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) recebeu 1.752 pedidos de candidaturas e indeferiu 245. 14 desses indeferimentos decorreram da aplicação da Lei Ficha Limpa.Outros 23 candidatos podem ficar de fora da eleição devido a pedidos feitos pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) ao TRE-MG com base na referida lei.
Anotem aí os nomes dos 14 candidatos barrados pela Lei Ficha Limpa em Minas Gerais:
1) Adilson da Vale Verde (deputado federal, PTN)
2) Antônio Carlos Bouzada (deputado estadual, PC do B)
3) Athos Avelino Pereira (deputado estadual, PPS)
4) Carlos Alberto Pereira (deputado federal, PDT)
5) Eduardo Santos Porcino (deputado estadual, PV)
6) Francelino Silva Santos (deputado estadual, PMDB)
7) Leonídio Henrique Correa Bouças (deputado estadual, PMDB)
8) Maria Lúcia Soares de Mendonça (deputado estadual, DEM)
9) Patrícia dos Santos Martins Rocha (deputada federal, PMN)
10) Pedro Caminhas Pinduca (deputado estadual, PP)
11) Ronaldo Canabrava (deputado estadual, PMN)
12) Silas Brasileiro (deputado federal, PMDB)
13) Wellington Magalhães (deputado estadual, PMN)
14) Alfredo Pastori Neto (deputado federal, PSL)

2 comentários:

Aristeu disse...

Isto mais me parece "boi de piranha". Enquanto barram peixes pequenos os graúdos dominam os mares de lama. Alguns conhecidos meus estão adesivando totalmente o parabrisa traseiro do veículo particular, com propaganda eleitoral, em troca de vinte litros de gasolina por semana. Até a eleição terão recebido, cada um, em torno de 600 reais. O que a gente pensa ser uma manifestação democrática e simpática nada mais é do que a política de nossa gente brasileira. E assim se sucedem com carretas e passeatas... Isto é só o que a gente toma conhecimento.

Edilvo Mota disse...

O Aristeu tem razão. Ontem à noite, quando ia dar aulas, vi aquele montão de gente balançando bandeiras de "ão" e de "im".

Pensei (às vezes faço isso): triste país que condena, pela inação e pela omissão, seu povo a mendigar trabalho temporário, sacudindo bandeiras que desconhece e balançando o futuro da nação. Enquanto o enriquecimento ilícito prospera.

Macunaíama morreria de inveja de nós...