quarta-feira, 28 de julho de 2010

Onde está a verdade?

Enquanto as eleições não chegam, convém conferir os dados dos candidatos no site do Tribunal Superior Eleitoral (www. tse.jus.br). Isso é importante para conhecermos aqueles que querem procuração para nos representar.
Quem se arriscar nesse tour virtual, irá se surpreender. É que alguns candidatos, ao contrário da grande maioria dos políticos, em vez de se enriquecerem, acabam ficando mais pobres. Isso prova que a política pode ser, para uns, uma carreira quase franciscana...
É o caso, por exemplo, do vereador Luiz Antonio Lopes (Porcão). Nas eleições passadas, ele declarou à Justiça Eleitoral que possuía um patrimônio de R$ 224.840,00. No pleito atual, segundo consta do registro no TSE, ele não possui bens, ou seja, o seu patrimônio é zero.
Cuidado! Esses dados podem ser enganosos. A abrupta queda de patrimônio pode não traduzir a realidade.
Talvez seja mesmo fruto de erro na elaboração da declaração enviada à Justiça Eleitoral. Isso porque, conforme recente reportagem do Correio de Araguari, o candidato Porcão é sócio majoritário da empresa Viveiro Valor Verde, que produz e comercializa milhões de mudas de eucalipto clonado e de mudas de café.
Resta a pergunta: onde está a verdade?
Essas informações podem ser conferidas nos seguintes endereços:
1. dados do registro da candidatura de vereador: http://www.tse.jus.br/sadEleicaoDivulgaCand2008/gerenciarregistrocandidatura/manterCandidato!mostrarRegistroCandidatura.action?codigoUECandidato=40690&sqCandidato=21736
2. dados do registro da candidatura de deputado federal: http://divulgacand2010.tse.jus.br/divulgacand2010/jsp/abrirTelaDetalheCandidato.action?sqCand=130000001440&sgUe=MG#
3. reportagem do Correio de Araguari: http://www.correiodearaguari.com/correio/index.php?option=com_content&task=view&id=2621&Itemid=29 

terça-feira, 27 de julho de 2010

Lei da Ficha Limpa barra mais um candidato em Minas

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Minas Gerais indeferiu o registro do candidato a deputado estadual Antônio Carlos Bouzada, do PC do B. É o segundo caso de candidatura suspensa pela Lei da Ficha Limpa no Estado.
O candidato foi considerado inelegível porque teve seus direitos políticos suspensos. O pedido foi feito pelo Ministério Público Eleitoral.
Junto com o ex-prefeito de Ponte Nova (MG) Ademir Ragazzi, Bouzada foi réu numa ação civil pública, protocolada em 1994, que decretou a suspensão de seus direitos políticos por oito anos. A Lei da Ficha Limpa é aplicável até oito anos após o cumprimento da pena, por isso ele ainda não pode se candidatar.
No início dos anos 1990, Bouzada era sócio de uma empresa contratada pela prefeitura da cidade para o fornecimento de 4.100 sacos de cimento. O pagamento foi feito, mas o cimento não foi entregue, o que gerou a ação.
Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/poder/773616-lei-da-ficha-limpa-barra-mais-um-candidato-em-minas.shtml

Pitacos do blog:
Notícias como esta devem servir de exemplo para os eleitores e candidatos araguarinos. Aqueles devem aprender que, apesar dos pesares, compensa fiscalizar a Administração Pública e escolher bem os candidatos. Estes devem ser mais corretos no trato da coisa pública sob pena de se tornarem inelegíveis.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Publicidade = Ilegalidade + Desperdício?

Volto ao tema dos gastos com a publicidade oficial. O município vem gastando corretamente os recursos nessa área? Tanto sob o aspecto legal quanto sob o econômico, a resposta, desgraçadamente, é não!!!! Vamos aos fatos.
Como o Município não possui um Diário Oficial, a publicação dos atos de interesse público (leis, extratos de licitações) vem sendo feita em jornais da cidade.
Até o começo do ano, cabia ao Gazeta do Triângulo realizar o serviço, cobrando R$ 10,00 por centímetro coluna. No dia 10/01, por exemplo, foram pagos R$ 10.000,00 a esse jornal por esse serviço.
O processo licitatório para a escolha do novo contratado acabou restando frustrado. As licitantes interessadas foram inabilitadas. O Gazeta por não ser editado no formato standart (55 cm) e o Jornal Contudo por não produzir duas edições semanais.
Assim, optou-se pela contratação sem licitação do Correio de Araguari ao preço de R$ 3,50 por centímetro de coluna, mesmo valor oferecido pelo desclassificado Contudo.
Aparentemente, o Município fez um bom negócio. Apenas, aparentemente... Alguns aspectos dessa história nos chamam a atenção.
Primeiro, por que uma  diferença tão grande entre os preços cobrados pelo Gazeta e o Correio? Esse assunto merece ser investigado por quem de direito (Câmara, Ministério Público e Tribunal de Contas de Minas Gerais). De duas uma, ou o Correio está cobrando preço muito abaixo do de mercado ou o Gazeta superfaturou os seus serviços.
Segundo, por que a licitação previu condições que sabidamente diminuiriam ou eliminariam concorrentes? Na cidade, existem somente dois jornais em formato standart (Correio e Contudo). Os demais (Gazeta e Acontece) são menores (formato  tablóide). Não é juridicamente razoável excluir concorrentes pelos simples fatos de não serem publicados no formato standart (maior que os denominados tablóides, que vêm abocanhando mercado no  mundo inteiro).  Qual o fundamento para essa discriminação?
Terceiro, se a Prefeitura somente tinha interesse na publicação em jornais do formato standart, por que antes contratou o Gazeta, que não é editado nessa formatação?
Quarto, é moral e legalmente aceitável contratar um jornal cujos sócios ou responsáveis editoriais supostamente se envolveram em atos contrários à lei? Com efeito, há no jornal contratado pessoas que foram (ou estão sendo) processadas por  supostos crimes e/ou atos de improbidade administrativa.
Quinto,  é aceitável, sob o prisma ético, a contratação de veículo de imprensa aparentemente subserviente aos interesses dos atuais detentores do poder? Note-se que o Correio foi criado em janeiro de 2009, coincidentemente no início do mandato do atual prefeito, e, desde então, vem fazendo as vezes de veículo de propaganda do governo e de seus integrantes. Basta ler qualquer edição para se chegar a essa conclusão.
Sexto, mostra-se econômica a forma como são publicados os atos no periódico? Neste ponto, verifica-se que o tamanho da fonte e do espaço utilizados são exagerados. A Prefeitura deve acreditar que todos os leitores do jornal tenham problemas de visão. Na verdade, o espaço utilizado para publicar um ato público serve, folgadamente, para publicar  dois ou três, tornando antieconômica a contratação.
Para facilitar a compreensão do que afirmei,  vejam a foto abaixo tirada das publicações oficiais feitas  no Correio de Araguari (à esquerda) e no Correio Braziliense (à direita). Um simples passar de olhos sobre elas nos permite afirmar que a contratação feita pelo município é extremamente onerosa. Poder-se-ia gastar metade do que vem consumido. Em outras palavras, estão jogando dinheiro público no ralo.

sábado, 17 de julho de 2010

Concurso Público Já!!!!

Alguns fatos nos levam a refletir.
Navegando na net, percebi que a cidade de Caeté-MG, terra natal do vice-prefeito de Araguari e candidato a deputado estadual, uma cidade com apenas 40 mil habitantes, irá realizar concurso público para preencher 349 cargos. Isto mesmo! Um cidade bem menor que Araguari irá oferecer aos cidadãos, em condições de igualdade, 349 oportunidades de trabalhar no serviço público.
Pois bem, parece que essa idéia de justiça e igualdade não contaminou o vice-prefeito de Araguari. Aqui, onde ele tem a máquina púbica nas mãos, continua a indecência no serviço público. Os cargos que poderiam ser ocupados por qualquer pessoa disposta a estudar para ocupá-lo por mérito são entregues aos apadrinhados, parentes e amigos do rei. Assim, as árvores da Prefeitura e da Câmara estão cheias de jabutis comissionados. Para dar uma falsa aparência de moralidade, eles até simulam processos seletivos para estagiários e contratados temporários. Tudo para inglês ver...
Pior que isso é ver que ninguém faz nada. A Câmara assiste a tudo bovinamente, como, aliás, vem fazendo desde sempre. O Ministério Público não age de ofício e, quando provocado, prefere fazer ajustes de conduta que jamais serão cumpridos pelo município. E assim a ilegalidade se perpetua. O que fazer então? Pedir ajuda ao bispo ou ao papa?
Quem quiser ser tratado com um pouco mais de igualdade é só seguir o caminho inverso ao trilhado pelo vice. Vá pra Caeté! O edital do concurso e a relação das vagas estão nos seguintes links:
http://www.fumarc.com.br/concursos/detalhe/cargos-para-nivel-elementar-medio-tecnico-e-superior/23
http://www.fumarc.com.br/imgDB/concursos/retificacao_anexo_I_oferta_de_Vagas-20100715-091356.pdf

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Vice em Primeiro Lugar

Peraí, não é o que estão pensando... Não se cuida de resultado de pesquisa eleitoral. Trata-se, isto sim, da classificação do campeonato de gastos com celular no âmbito da Prefeitura.
O vice-prefeito ocupa o nada honroso primeiro lugar em gastos com aparelho celular custeados por você, contribuinte araguarino. Segundo informações extraídas do site da Prefeitura (www.araguari.mg.gov.br),  o vice, que também é candidato a deputado estadual, gastou R$ 3.145,68 com o uso do celular nos três primeiros meses do ano. 
Os seus (na verdade, nossos) gastos são muito superiores aos dos demais agentes públicos beneficiados com o uso do aparelhinho pago com recursos públicos. Ele deixou para trás até mesmo o prefeito, que gastou "apenas" R$ 1.825,84 nesse período.
Vale lembrar que essa despesa é apenas com o aparelho celular colocado à disposição da autoridade. Ou seja, não inclui gastos com  telefones fixos ou com os celulares de assessores e secretários, que também podem ter sido utilizados pelo atual líder do campeonato.
Restam algumas perguntinhas básicas:
1) Existe um teto de gastos com celular no âmbito do Poder Executivo?
2) Os gastos realizados são razoáveis? 
3) Essa discrepância de valores é indício de que o vice utilizava a máquina pública para fazer campanha eleitoral fora de época?

terça-feira, 13 de julho de 2010

O Poder é Midiático

No mês de fevereiro, a Prefeitura gastou somente com a empresa André Franco Produções e Publicidades a "modesta" quantia de R$ 29.964,67, destinados ao pagamento de serviços de publicidade e propaganda.
Para que você, leitor, possa extrair suas próprias conclusões, trago alguns valores gastos em fevereiro na área de saúde pública para comparação:
- litrotripsia (tratamento de cálculos renais) = R$ 11.180,00
- manutenção de equipamentos hospitalares = R$ 9.768,00
- terapia renal substitutiva = R$ 8.863,44
Minha conclusão: os três gastos com saúde acima totalizam R$ 29.811,44, abaixo, portanto, do que foi gasto com publicidade e propaganda pelo Poder Executivo. Em outras palavras, a Prefeitura poderia até duplicar esses importantes serviços de saúde se reduzisse os gastos com propaganda, muitas vezes desnecessária. 

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Concurso público para o Hospital Municipal...de Uberlândia

O edital do processo seletivo para contratação de funcionários para o Hospital Municipal de Uberlândia foi publicado nesta segunda-feira (12) no Diário Oficial do Município. São 499 vagas para os setores administrativo, de enfermagem e do corpo clínico.
As inscrições podem ser feitas na Avenida Alexandre Ribeiro Guimarães, nº5, no bairro Santa Mônica até o dia 23 de julho. Pela internet as inscrições vão até o dia 25 de julho. A taxa de inscrição varia de acordo com o cargo pretendido pelo candidato.
Fonte: www.megaminas.globo.com


Pitacos do blog: Por que o Hospital Municipal de Uberlândia não se tornou um elefante branco? Por que em Uberlândia os serviços de saúde são prestados diretamente pelo município e não por meio da contratação de hospitais e clínicas particulares? Por que em Uberlândia são realizados concursos públicos? Por quê? Por quê?...
E ainda tem político de Araguari que não sabe por que muitos eleitores da cidade votam em candidatos de Uberlândia...

domingo, 11 de julho de 2010

O Poder é Doce

A Prefeitura de Araguari comprou no mês de março  7 toneladas de açúcar cristal a R$ 2,25 o quilo. Total da doçura: R$ 15.750,00. Pela lógica da Prefeitura, um saco de 5 kg de açúcar sai R$ 11,25. A conta é salgada, mas o poder é doce. Se tivesse um pouco mais de planejamento e cuidado, poderia comprar o produto por um preço mais razoável. Basta ver o preço atual nas gôndolas de supermercado...

sábado, 10 de julho de 2010

Tadinho do Polvo...

 

Façam suas escolhas...

Dez concorrentes a vagas de deputado com domicílio eleitoral em Araguari registraram pedido no TRE PDF Imprimir e-mail
09-07-2010
por Márcio Marques

Araguari registra, nestas eleições, um grande número de candidatos a deputado federal com domicílio eleitoral no município. Levantamento feito pela Gazeta do Triângulo no site oficial do Tribunal  Superior Eleitoral aponta dez candidatos, dos quais três estaduais e sete federais.

Os editais com os nomes dos candidatos aos cargos eletivos estaduais e federais devem ser finalizados hoje pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Entre os nomes a deputado com domicílio eleitoral em Araguari estão três vereadores em exercício, um que é vice-prefeito, dois ex-prefeitos e outro ex-vereador. Após a divulgação do registro de candidatura, abre-se um período de cinco dias para que sejam apresentados motivos para a impugnação de qualquer candidato. O TRE tem até 5 de agosto para decidir sobre os pedidos de registro.

O PSL e o PHS são os partido com o maior número de registros de candidatos com domicílio eleitoral em Araguari.  Além dele, PSB, PSOL, PRP, PT, PMN, PV e PHS registraram chapas de candidatos da cidade de Araguari.

Conheça ao lado um rápido perfil dos postulantes a vagas por Araguari*.

Deputado Estadual

- Juberson dos Santos Melo – PSL – Nascido em Caeté (MG) – Vice-prefeito e Técnico de Segurança do Trabalho – 37 anos.

- Marcos Antônio Alvim – PHS – Nascido em Cascalho Rico (MG) – Psicólogo – 49 anos.

- Sérgio Aparecido Cruz Carvalho  - PSOL - Nascido em Araguari - Vendedor - 49 anos.

Deputado Federal


- Alfredo Pastori – PSL – Nascido em Araguari – Comerciante – 45 anos.

- Auríveo Veiga – PT – Nascido em Itápolis (SP) – Professor – 46 anos.

- José Humberto Soares - PHS - Nascido em Patos de Minas (MG) - Bombeiro - 46 anos.

- Luiz Antônio Lopes - PSB - Nascido em Araguari - Vereador - 50 anos.

- Raul José de Belém  - PV – Nascido em Araguari – Vereador – 29 anos.

- Sebastião Joaquim Vieira – PRP – Nascido em Araguari – Vereador – 38 anos.

- Wanderlei Inácio – PMN – Nascido em Araguari – Comerciante – 65 anos.

Minas Gerais


No estado são 571 candidatos a deputado federal e 1020 a deputado estadual, além de sete candidatos ao governo e 10 ao senado federal.

Brasil


Em todo o território nacional são 2059 postulantes a Assembléia Legislativa, 5558 a Câmara Federal,  802 para deputado distrital, 135 ao Senado, 94 candidatos a governador e 10 a presidência da República.
 
Fonte: www. gazetadotriangulo.com.br

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Ficha Suja?! II

Por estarmos num Estado Democrático de Direito, eu até deveria publicar aqui trecho da coluna Salada Mista (Correio de Araguari), escrita pelo bem resolvido radialista e comissionado da Prefeitura Limírio Martins. Contudo, como o colunista fugiu do tema (sua participação nos atos de improbidade na Câmara), não vou perder tempo nem espaço para lhe ceder a palavra. Quem quiser pode ler o texto assinado por ele em http://www.correiodearaguari.com/correio/index.php?option=com_content&task=category&sectionid=5&id=24&Itemid=34

Mesmo tendo ele enveredado por ilações estapafúrdias, convém aqui fazer algumas considerações sobre os poucos pontos dignos de abordagem.
O primeiro aspecto que desejo rechaçar diz respeito às supostas difamações que ele estaria sofrendo. É absurda essa afirmação! Neste espaço, não ataco pessoas, mas sim condutas. No ponto, as condutas dos envolvidos nos atos de improbidade ocorridos na Câmara, bem como a do senhor Prefeito, que nomeou o referido radialista para cargo público, merecem, sim, ser questionadas. Afinal, conforme decisões públicas (disponíveis em www.tjmg.gov.br), os ex-vereadores causaram deliberadamente prejuízo aos cofres públicos mediante a contratação de servidores fantasmas e de fraudes em contratos e pagamentos.
Outra objeção ao afirmado pelo colunista encontra-se na alegada presunção de inocência. A postagem deixou bem claro que ele e outros já foram condenados em segunda instância por atos de improbidade administrativa. Por se tratar de processo cível, obviamente não se aplica aqui a tal presunção de inocência. Tanto isso é verdade que os improbos já estão sendo executados civilmente para devolver  o dinheiro que surrupiaram dos cofres públicos. Para o azar deles, a reparação por esses danos não prescreve, ou seja, só se livrarão das dívidas quando morrerem, passando esse "legado" para os herdeiros.
 Ademais, dizer que as citações de decisões do Tribunal de Justiça não são importantes é um rematado absurdo. São trechos em que aquela Corte confirma a condenação imposta aos improbos pela Justiça de Araguari.Aliás, por se tratar de decisões colegiadas, podem até sujar as "fichas" de alguns aspirantes a cargos eletivos.
Sob a ameaça de ingressar no Judiciário com ação indenizatória, só posso dizer que é um direito constitucional assegurado a qualquer pessoa. Logo, as portas da Jurisdição estão sempre abertas a todos aqueles que se sentirem lesados. Obviamente, o processo judicial implica a assunção de riscos, máxime quando a demanda se afigura temerária e desprovida de fundamentos. Como diz o ditado repaginado, passarinho que come pedra sabe o bico que tem...
Por fim, quero dizer que o blog está cumprindo o seu papel, trazendo à tona um tema de interesse público que se achava oculto, sobretudo pela omissão de parte da imprensa araguarina, onde se escondem alguns dos envolvidos. Não para por aí, segundo fui informado, o assunto já foi levado ao conhecimento do Ministério Público. Voltarei ao tema em breve, porque ainda restam sujeiras sob o tapete.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Elefante cada vez mais branco

Hospital Municipal de Araguari continua sem ser usado pela população

8 julho, 2010

Construído há seis anos, o Hospital Municipal de Araguari nunca foi usado pela população. Foi inaugurado oficialmente em janeiro de 2009, mas o Ministério da Saúde nunca autorizou a abertura. O motivo: irregularidades na execução da obra e na estrutura. Enquanto isso, quem sofre é a população.
Fechado com arame nos portões e trancas nas portas e janelas. Dentro do hospital tem equipamentos parados que seriam usados em atendimento de urgências e emergências e até internações com 60 leitos. Mas a obra teve irregularidades apontadas pelo Ministério da Saúde na execução e estrutura. Muros desbotados e grades enferrujadas. Nem parece que desde o início da obra, em 2001, foram gastos R$4 milhões na construção do Hospital Municipal de Araguari. Alguns moradores o chamam até de elefante branco.
Com o branco, também foram embora as cores do dinheiro do povo. Pelo menos quem mora no bairro pensa assim. Com o hospital parado, alguns atendimentos sobrecarregam o Pronto Socorro. E para piorar, a Vigilância Sanitária da Gerência Regional de Saúde de Uberlândia interditou, provisoriamente, um equipamento de raio x, um de mamografia e o consultório odontológico do Pronto Socorro da cidade. Foram solicitadas adequações. Quem não tem hospital municipal, ficou sem recurso no Pronto Socorro. A secretária de saúde, Iara Cristina Boarges, diz que está tentando a liberação pelo menos de parte dos equipamentos do hospital com o Ministério da Saúde.
Nesta quarta-feira (07), por telefone, a secretária de saúde disse que aguarda para segunda-feira (12) uma resposta da Vigilância Sanitária do Estado sobre a liberação dos exames de raio x em casos de emergência dentro do Pronto Socorro. Segundo Iara Cristina, foi feito um projeto de reforma do local, mas que depende de verbas estaduais. Quanto aos exames de mamografia, estão sendo realizados em clínicas particulares, mas que o município já está providenciando um outro local para instalar o mamógrafo e o aparelho de raio x para exames que não sejam considerados de urgência. Sobre o consultório odontológico, disse que as adequações exigidas pela vigilância já estão providenciadas.
Fonte: www.megaminas.com

domingo, 4 de julho de 2010

Primeiro shopping da cidade: novela com fim anunciado.

O Bretas Supermercados experimenta processo de expansão. Nessa linha, vem, inclusive, construindo shoppings centers em cidades de médio porte do interior de Minas e Goiás.
Em Araguari, conforme noticiado pelo Gazeta do Triângulo, a promessa é de inauguração em 2012.
Para comparar os empreendimentos prometidos pelo Grupo Bretas, reproduzimos abaixo não somente as reportagens do Gazeta sobre o assunto, mas também a da Folha do Sudoeste, que noticia a construção do shopping na cidade de Jataí-GO, município de porte semelhante ao de Araguari.
Iremos acompanhar o cumprimento dessas promessas.
Novela sobre construção de shopping em Araguari tem data para terminar
Grupo Bretas volta a afirmar que
empreendimento será construído
por Márcio Marques


Em reunião na tarde de ontem ocorrida no escritório central do Grupo Bretas em Contagem, o presidente do grupo empresarial,  Estevam Duarte Assis, afirmou ao vice-prefeito Juberson dos Santos Melo (PSL) que a construção do shopping center em Araguari sairá do papel a partir de 2011.
Reprodução
O shopping deve ser inaugurado em agosto de 2012
No encontro, Estevam repassou ao vice-prefeito o cronograma das atividades do empreendimento em Araguari. Segundo ele, em maio de 2011 será realizado o lançamento oficial do complexo de lojas na cidade; em julho e agosto do mesmo ano, ocorrerão as vendas e aluguéis das lojas; em setembro, acontecerá a terraplanagem e asfaltamento da área a ser construída; em março de 2012 serão iniciadas as obras da estrutura física do complexo; e finalmente em agosto de 2012 a inauguração oficial do sonhado shopping center de Araguari.
De acordo com Juberson Melo, será agendada uma data para que o presidente do Grupo Bretas  compareça na Câmara de Vereadores para melhor explanação sobre o assunto. “Estevam me garantiu que esse cronograma será seguido à risca e que o atraso na construção do empreendimento se deu em conseqüência da crise econômica de 2009, e que o interesse do grupo é muito grande, visto que a cidade está recebendo um grande número de investimentos em moradia e também pela duplicação da BR-050”, finalizou o vice-prefeito.
NOVELA
Em novembro de 2007, no Palácio dos Ferroviários, estiveram reunidos o diretor-presidente do Grupo Bretas, Estevam Duarte Assis, representantes dos poderes Executivo e Legislativo e lideranças de vários segmentos da sociedade, entre as quais da Associação Comercial e da Câmara de Dirigentes Lojistas.
Na oportunidade aconteceu a apresentação do projeto, consistindo na construção de um hipermercado e um shopping com 53 lojas, incluindo três salas de cinema. Estevam Duarte Assis chegou a adiantar que alguns contratos estavam fechados, com empresas como o Ponto Frio, Lojas Americanas, Marisa, Ricardo Eletro e Giraffas.
http://www.gazetadotriangulo.com.br/site/index.php?option=com_content&task=view&id=12497&Itemid=29 


O Shopping de Araguari, segundo apurou a reportagem, representa um investimento da ordem de R$ 20 milhões e compreende 4 mil metros quadrados, devendo gerar aproximadamente 500 empregos diretos.
NOVELA
“Podemos afirmar com 100% de certeza que o shopping será construído. A comunidade araguarina pode ficar sossegada quanto a isso”. A afirmação foi feita em agosto do ano passado por Wintor Passos Júnior, assessor da presidência da empresa. Disse ainda que o projeto inicial está mantido, com aproximadamente 60 lojas, entre elas o Ponto Frio, Lojas Americanas, Marisa, Ricardo Eletro e Giraffas, além de três salas de cinema. “É importante ressaltar que o Grupo Bretas cumpre o que promete e não será diferente em Araguari”, enfatizou.

http://www.gazetadotriangulo.com.br/site/index.php?option=com_content&task=view&id=11847&Itemid=29

Jataí terá primeiro shopping em 2011
Arte mostra como será fachada do empreendimento: investimento
de cerca de R$ 30 milhões
Rhony Barbosa Vasconcelos
Foi lançada no ultimo dia 25 de junho de 2010 a maquete eletrônica do Jataí Shopping, o primeiro shopping center do município, que será construído em uma área de 80.000 metros quadrados, equivalente a oito quadras. O início das obras se dará a partir de janeiro de 2011, com término previsto para novembro do mesmo ano.
De acordo com os responsáveis pelo projeto, será um empreendimento planejado com as mais modernas técnicas de arquitetura e construção, seguindo o conceito lifestyle, que está ligado à maneira como essas construções vêm sendo feitas, priorizando mais os recursos naturais e menos recursos artificiais. O slogan também foi revelado: "Jataí Shopping, antes um sonho. Hoje realidade!"
O local terá 70 lojas, com âncoras como Bretas Supermercados, Lojas Americanas, Cinemas Stadium, do grupo Multicine, Arezzo Calçados, Giraffas, Subway, Harrys Brinquedos, Mônaco Calçados & Esportes, O Boticário, Village Calçados, Magazine Luíza, uma academia de grande porte, entre outras lojas que estão fechando contratos com o grupo Partner Corporate, administrador do shopping jataiense - e de vários outros pelo país.
A Partner Corporate informa que a recepção por parte do empresário jataiense está perfeita e que nos três primeiros dias de apresentação das salas já foram comercializadas 50% das vagas do shopping.
O empreendimento terá ainda agências bancárias e caixas eletrônicos. O supermercado Bretas ficará em uma área de 5.000 metros quadrados. Haverá ainda três salas de cinemas stadium (em que as cadeiras são colocadas em degraus como se fossem arquibancadas de um estádio de futebol) e uma grande praça de alimentação.
Serão investidos na construção do Jataí Shopping em torno de R$ 30 milhões. O município entrou com a contrapartida da doação da área para construção da obra. O shopping terá varias expansões após a sua inauguração. Por esse motivo a área total chega a 80.000 metros quadrados. Nessas expansões será construído um hotel de bandeira internacional da rede Ibis, com um centro de convenções, e, na terceira expansão, será construída uma faculdade, sempre de forma anexa ao shopping.
Para a construção do empreendimento, será necessária a mudança do sistema de energia elétrica: o transformador será de 1.000 a 1.500 KVA O estacionamento será para 700 vagas e serão criados, só na construção, em torno de 400 empregos diretos. Posteriormente, quando em atividade, o empreendimento vai gerar no mínimo 500 empregos diretos e 300 indiretos, ou seja, um total de 800 empregos.
O público-alvo do shopping reside em um raio de abrangência de 150 quilômetros: são 400 mil pessoas, ou seja, quase toda a região Sudoeste de Goiás, que é povoada por mais de 500 mil pessoas.

http://www.folhadosudoeste.com.br/cidade.html