domingo, 9 de maio de 2010

"Rodovia da Morte" e omissão dos políticos geram protestos

Recebi do eficiente repórter João Carlos (Rádio Planalto AM e Alternativa FM) notícia sobre a realização de um protesto contra a omissão da classe política em relação ao aumento do número de acidentes graves na BR-050, corretamente chamada de "Rodovia da Morte".
Agradeço pela informação e, para não omitir detalhes, reproduzo, na íntegra, o texto recebido:
  "Em conseqüência de vários acidentes e atropelamentos deixando vitimas gravemente feridas, ate mesmo com vitimas fatais no trevo  da cidade ,a comunidade se mobiliza: moradores dos bairros Amorim, Novo Horizonte e bairros adjacentes.
Sensibilizados com a dor dos familiares resolveram se unir e exigir mais segurança naquele local. Em um periodo  menor que seis meses duas vitimas fatais, batendo um recorde de vários anos, na ultima segunda feira o garoto Paulo Roberto Soares  de 12 anos  faleceu no local quando tentava atravessar a rodovia conduzindo sua bicicleta, dois dias após um senhor de 77 anos ficou gravemente ferido também vitima de atropelamento no mesmo trecho.
          O que tem causado indignação na comunidade é que a mais de dois anos os pardais instalados para  controlar a velocidade dos condutores de veículos não funcionam e com isto tem colocado em risco a todo momento vidas de trabalhadores, pessoas que precisam atravessar a pista para  várias  atividades e  ninguém se preocupa com tal situação. A moradora do bairro Novo Horizonte Clarice Janaina dos Reis Dias disse que a população tem que realmente fazer alguma coisa pra chamar atenção das autoridades , "não podemos ficar assistindo tudo de braços cruzados amanha pode ser um de nossos filhos ou ate mesmo outros familiares que passam pelo local, os acidentes tem aumentado  e se continuar deste jeito a população do  bairro vai acabar", frisou a moradora.
           Nossa reportagem procurou falar com a mãe do garoto Paulo Roberto Soares mais ela disse nem ter palavras para manifestar a dor que esta sentido desta perda de seu filho mais que agradece a comunidade pelo apoio recebido e disse da importância deste protesto em defesa das vidas que por ali transitam," não quero que aconteça com  outras crianças o que aconteceu com meu filho" finalizou a mãe com muita tristeza.  Como forma  protesto a comunidade  vai se reunir no local dos acidentes e interditar a rodovia  por duas horas e queremos contar com o apoio das autoridades com objetivo de realizar um movimento pacifico e ordeiro  exigindo que os diretores do Departamento Nacional de Infraestrutura ( DENIT) possam atender nossa  reivindicação .Já enviamos oficios para Secretaria de Serviços Urbanos(transito),e Policia Militar e precisamos do apoio da Policia Federal, finalzou os moradores. O protesto dos moradores esta marcado para as 17:00  horas do dia 10 de Maio, com previsão de duas horas de paralisação da BR 050."
 Antes de encerrar, quero parabenizar os moradores dos bairros adjacentes à BR-050 pela consciência política que estão demonstrando com a realização dessa manifestação. Se não houver exageros durante o evento, esses moradores estarão nos proporcionando um um belo exemplo de cidadania, exigindo os  seus (nossos) legítimos direitos diante de uma classe política omissa e corrupta. Aliás, seria bom se toda a cidade se mobilizasse em torno da questão, uma vez que a "Rodovia da Morte" não escolhe suas vítimas somente entre os moradores dos bairros vizinhos.

3 comentários:

Aristeu disse...

Em viagens pelo País, em direção a destinos diversos, normalmente a gente passa por inúmeras cidades que sequer sabemos os nomes devido à alta velocidade desenvolvida nos referidos trevos. Como chegar-se em Brasília deveria acontecer nas outras cidades, pois ali a gente passa por barreiras físicas e eletrônicas, uma atrás da outra, o que nos permite nunca esquecer as localidades pós Luziânia como: Padre Mignone, Cidade Ocidental, Jardim Ipê, Jardim Ingá, Valparaísos diversos, Gama, Núcleo Bandeirante e finalmente Brasília, mas existem também inúmeros atropelamentos...

Edilvo Mota disse...

E pensar que um "saudoso" político da terrinha se re-re-reelegeu prometendo a duplicação; ganhou até nome de trecho da rodovia.

Mas as mortes continuam acontecendo, sob a mesma omissão da "categoria".

Anônimo disse...

O problema é o seguinte... A culpa é sempre do pedestre. Haja visto que não pode esperar o fluxo diminuir, e se arrisca em travessias suicidas. Ha de se fazer é uma passarela! E investir na educação no trânsito, sendo que o "maldito" do pedestre, também faz parte do trânsito.