sexta-feira, 19 de março de 2010

Pensamento do Dia (válido inclusive para a cidade de Serras Azuis)

Certos vereadores não têm assessores, mas sim laranjas e capangas. Assim, se necessitarem de um assessoramento técnico, jurídico ou contábil, ficarão frustrados. Diversamente, se precisarem ocultar alguma transação financeira ilícita ou assustar algum adversário político, poderão contar com a eficiência de suas assessorias.

Obs.: Fiz algumas alterações no dia de hoje (23/03) a pedido de um comentarista anônimo. De fato, a redação original estava muito "generalizante". Acredito que, a partir da atenuação feita, o pensamento traduz melhor a realidade fática. 

8 comentários:

Edilvo Mota disse...

Assessoramento técnico, contábil e jurídico são imprescindíveis para a tarefa (pouco executada) de fiscalização do Executivo.

Inclusive na construção de hospitais.

Aristeu disse...

Tem algo muito errado na estrutura de uma Câmara Municipal. Os atos dos vereadores de fiscalização passam pelo crivo ou parecer do fiscalizado. O veto executivo que volta à Camara para ratificação, com certeza, será abençoado por uma maioria conquistada, inclusive, de modo escuso. Cada ato edil individual deveria receber mais atenção e poder.

Aristeu disse...

Se quiser publicar será primeira mão.

Tudo se resolve num clique

Pacifique, abdique, falsifique,
justifique, crucifique, indique,
descomplique e fique chique
Sempre através de um clique!

Estou preso na minha casa
Existe quem me critique,
Mas liberdade é dar asas
A um alvoroço de cliques.

Hoje para comprar cachaça
Que vem direto do alambique
Daquelas feitas sem trapaça
Basta que eu dê um clique.

Para que eu monte um som
Daquele que dá tremelique
Não preciso ser tão bom
Basta que eu dê um clique.

Se o computador travar
Não precisa dar chilique
Para de novo recomeçar
Basta que eu dê um clique.

Pra convencer a namorada
A ir num gostoso piquenique
Falar das flores e caminhada
Basta que eu dê um clique.

Se alguém abriu meu e-mail
E começou a dar chilique
Digo alto: isto é feio!
E apago tudo num clique.

Meto a mão e abro a carteira
Também abro na net-butique
Compro tudo de primeira
E pago tudo num clique.

Edilvo Mota disse...

O talento do Aristeu
Não há quem o justifique
More num fausto palacete
Ou em casa de pau-a-pique

Dos sagazes comentários
Há quem não se justifique
Uns querem que ele evapore
Eu quero que ele fique

Liberdade de expressão exige
Que você se sacrifique
Competência e coragem
Rompem o mais forte dique

Fazer versos depois dele
Talvez até me complique
Mesmo assim eu me arrisco
E quiçá até rubrique

Aristeu disse...

Acróstico ao Senhor Saúde

Eis que nasce um poeta
De calibre e potencial,
Inusitado e profeta,
Lúcido e colossal,
Vigilante que projeta
O custo do nosso mal!

Anônimo disse...

Esse é meu primeiro contato com este blog, até estava gostando do conteúdo,porém, este comentário sobre assessoria foi deprimente.
Se for alguma razão pessoal que o fez tecer esse comentário, poderia torná-la pública e além do mais, citando nomes e especificando qual ou quais assessores se enquadram nestas características.
Trabalho na Câmara, sou pai de família, cumpro minha jornada de trabalho com assiduidade e não aceito esta injustiça, pois, ao generalizar sua crítica o senhor tropeça na injustiça e desconsidera seu diploma de advogado.
Ao nivelar por baixo a função de assessoria o senhor se esquece que também é servidor público (só não explica onde)e menospreza sua própria função.
E ao lançar tão ínfames ofensas num blog o senhor se mostra despreparado para executar tal papel, e por derradeiro, ao ofender uma classe sem citar nomes o senhor se mostra que será um eterno aprendiz de blogueiro, e com essa conduta sem leitores muito em breve.

Anônimo disse...

Veja se tem coragem de publicar o comentário que eu postei, senhor eterno aprendiz.

Marcos disse...

Caro Anônimo, Surpresa!!!! Estamos numa democracia e sou compreensivo até mesmo com aqueles que se escondem no anonimato.
Não só publiquei o seu comentário, como também mudei a postagem, dando uma amenizada e afastando a generalização. Obrigado pela ajuda.
Mesmo mitigando o peso da caneta, a constatação é grave. Não é derivada de devaneio, mas de informações que recebo acerca do caráter médio dos nossos edis. Além disso, minhas conclusões derivam da falta de transparência do Poder Legislativo, não muito afeito a uma tal de prestação de contas.
Nesse ponto, você pode me ajudar novamente. Já que trabalha na Câmara, bem que poderia conversar com a doce Presidente da Casa e pedir que ela examine o requerimento que fiz, solicitando informações sobre os gastos daquela Casa. Se você tiver realmente esse espírito probo e colaborativo que demonstra, com certeza, irá me ajudar.
Para facilitar sua tarefa, cópia do requerimento e do aviso de recebimento pela Câmara encontram-se neste blog, mais precisamente em http://observatoriodearaguari.blogspot.com/2009/11/omissao-do-legislativo-e-executivo.html .
Desde já agradeço.