segunda-feira, 15 de março de 2010

Eleições no Bairro Vieno



Domingo, dia 08/03, os moradores do Bairro Vieno foram às urnas para eleger o novo Presidente da Associação daquele Bairro. Sagrou-se vencedor o senhor Euclides Batista Oliveira, que teve 218 votos contra 21, destinados ao senhor João Faria Filho.
Desejamos boa sorte ao novo Presidente. A tarefa do eleito não será fácil, sobretudo em razão da má vontade e omissão dos sucessivos governantes com os moradores daquele Bairro. Na verdade, o Poder Público tem, hoje, uma imensa dívida com o povo do Vieno.
Acreditamos no trabalho do senhor Euclides e, desde já, nos colocamos à sua disposição para ajudá-lo no que estiver ao nosso alcance.

6 comentários:

Aristeu disse...

Sei de seu profundo interesse por estes moradores do Vieno. Estive com seu pai visitando os lotes de sua propriedade no local. Aqueles três lotes de esquina, totalizando 1200 m2, são ideais para se construir um pavilhão. Tal pavilhão versátil poderia tornar-se cinema, salão de bailes, salas de aula, oficinas, depósito e tantas outras coisas de apoio à comunidade tão carente. Eu consigo o arquiteto...

Edilvo Mota disse...

Como secretário de saúde, convivi de perto com as agruras do bairro Vieno.

A idéia era priorizar aquele bairro na instalação de um novo PSF (agora ESF) visto que seus moradores dependem do PSF(ESF) do bairro São Sebastião, já superlotado também com a inclusão dos moradores do residencial Alan Kardec.

Na época, o presidente ainda era o Kojac. Mas, a cada tentativa eu ouvia sempre a mesma desculpa: "não há verbas, a folha de pagamentos está comprometida, no limite".

Cheguei até a sugerir, como moeda de troca, a demissão de cargos de confiança que eventualmente não trabalhavam, pra desafogar a folha. Me tornei alvo da ira de alguns...

Dá pra entender, agora, porque eu não era exatamente idolatrado pela cúpula do governo e porque fiquei, literalmente, isolado e exilado na campanha eleitoral??!!

Detalhe: na solenidade de posse do Kojac, na paupérrima sede da associação, eu fui o ÚNICO agente público a comparecer (não era véspera de eleição, claro).

Marcos disse...

Realmente, Edilvo, a sua proposta, se fosse acolhida, teria mudado e muito a realidade do bairro. Aquele pessoal necessita do mínimo para viverem com dignidade. É um direito deles e de qualquer outro cidadão.
Sobre as resposta da Administração, nenhuma novidade. O jornal oficial do governo atual chegou a afirmar, de forma absurda, que o dinheiro destinado a gastar 50% da receita com pagamento de pessoal é verba carimbada, ou seja, é obrigatório gastar esse percentual. Esqueceram que, abaixo de um limite máximo de gastos, há uma infinidade de percentuais. Logo, argumentos falacioos, como esse, vão sendo usados, na maior "cara-de-pau", para negar direitos essenciais àqueles realmente necessitados.
Quanto à idéia do Aristeu, já está pré-aprovada. Há ainda a possibilidade de ceder um dos terrenos para o centro espírita que faz um belo trabalho social naquela área. Vamos tocar essas idéias em frente se Deus quiser.

Edilvo Mota disse...

Parabéns, Marcos.

Veja só a magia da internet.

Mesmo sem conhecê-los pessoalmente, já me tornei fã de carteirinha seu e do Aristeu.

Parabéns, mesmo, pela iniciativa e conte com esse modest(íssimo) amigo aqui naquilo que os parcos resquícios de competência me permitirem.

Sandrinha disse...

De acordo com o sr Euclides o vereador Raul José conseguiu uma verba no valor de 500.000 e o chefe do executivo vai doar mais 100.000 para fazer a pavimentação do bairro
agora é aguardar...
Sinceramente espero que isso seja verdade e não promessas que nunca serão cumpridas

Alessandre Campos disse...

O arquiteto já está a disposição.