segunda-feira, 15 de março de 2010

Credo do Verão Passado


O pseudônimo do autor é Corinthians, mas não tenho dúvida de que, na verdade, ele é flamenguista.
Sobre a qualidade da poesia, não é preciso dizer nada. Basta senti-la.
Do autor não posso dizer o nome. Apenas posso afirmar que o roubei provisoriamente do Portal de Araguari. E agora, Alô Ísio? Ares teus ou Ares meus?

CREDO DO VERÃO PASSADO
Autor: Corinthians

Numa viagem elipsoidal
Dispúnhamos de quatro estações,
Mas nosso comportamento bestial
Trouxe-nos duras transformações

Virou bagunça o espaço,
O Sol acerta-nos em cheio,
As fortes chuvas de março
É inferno de veraneio!

A Terra, às águas blindada,
Inunda mais que permeia
E pessoas desgovernadas
Vão enfrentar outras cheias.

Amazonas vira rego,
Pede arrego Itaqui,
Não demora há emprego
No deserto de esquis.

Só se faz com protetor
Uma relativa nudez.
O Santo ou o bloqueador
Só não filtra a estupidez.

O grande amor de verão
Pode ser com o Doutor...
Piores verões virão
E haja câncer e tumor!

Esta visão pessimista
É de um mero escritor.
Concorda assim o Cientista
E que não o Criador! 

Nenhum comentário: