quinta-feira, 18 de março de 2010

Aleluia!!!!

Bem-vindo à Terra, senhor Limírio Martins!
Agora, só falta exigir que, também, o Secretário de Saúde cumpra a sua jornada de trabalho na Prefeitura...


Como funcionam os postos de saúdes dos bairros? Um médico contratado pela Prefeitura, devidamente “concursado”, tem por obrigação cumprir uma carga horária de quatro horas/dia no posto de saúde para onde o mesmo for designado para prestar serviços. Obscuramente não entendemos o porquê o médico só atende 08 pacientes por dia e 04 retornos, “que não existem”, nos postos de saúde. Em quatro horas de serviços prestados cada médico atenderia no mínimo 40 pacientes e com certeza o pronto socorro não seria sobrecarregado.


Os gestores da saúde pública em Araguari devem tomar atitudes sérias e corajosas, esquecendo que são companheiros, bem como o corporativismo da classe, em benefício do povo. Estes médicos que atendem nos postos de saúde são verdadeiros enganadores, não trabalham, não cumprem horários, fazem do seu serviço na rede pública de saúde verdadeiros bicos, permanecendo em seus postos de trabalho às vezes por apenas 30 minutos e vão para seus consultórios fazer atendimentos particulares.


O Secretário de Saúde precisa tomar medidas drásticas e moralizadoras contra tais profissionais, que se julgam verdadeiras estrelas, verdadeiros deuses, inatingíveis por seres comuns, por simples mortais. Por que não mandam estes funcionários para a rua e deixam que estagiários de medicina, sob orientação de seus professores, atendam o povo. O SISTEMA EXIGE MUDANÇAS JÁ! O que não pode continuar é essa classe elitizada recebendo sem trabalhar e o povo morrendo nos corredores dos hospitais.
Extraído da Coluna Salada Mista do Correio de Araguari, edição de 18/03/2010

9 comentários:

Anônimo disse...

Enfim alguem do governo reconhece o deficitário sistema de saúde de nossa cidade ! O que falta mesmo é Direção e vontade de resolver as coisas, tem muito profissional na Secretaria de Saude que tem vontade de acertar as coisas mas são impedidos pelos "chefes" que se acham os donos da verdade e no fim não resolvem nada.

Aristeu disse...

Eu já acho que o Limírio perdeu algum parente muito querido na porta de um Posto de Saúde ou então quer vaga de estagiários para alguns universitários dos quais seja padrinho. Ou será candidato?

Alessandre Campos disse...

Engraçado quando se diz que os médicos ou funcionários concursados não trabalham e fazem bicos e, que, no pensamento do próprio Limirio, não deveria existir estabilidade no serviço público, pois assim, as demissões poderiam acontecer a qualquer momento.

Mas será que os inúmeros cargos de confiança da prefeitura não são meros bicos, os quais atrapalham mais, que trabalham?

O Limirio como Diretor de Imprensa exerce um "bico", pois afinal de contas a profissão dele é de radialista (Rádio Araguari em 3 horários) e colunista de jornal (Correio de Araguari).

Outra pergunta: Por que cargos de confiança da Prefeitura não assinam o ponto e comprovam que trabalham oito horas diárias? Quantas laudas de material jornalístico o Diretor de Imprensa tem que produzir por dia?

Obs.: Quando se aponta um dedo para o outro, tem quatro dedos apontando para si mesmo, portanto, antes de pisar no rabo alheio, recolha o seu!

Aristeu disse...

Não adianta assinar ponto. Os de confiança, no local do emprego público, fariam o serviço particular. O Limírio, por exemplo, poderia radiar por link telefônico e a prefeitura ainda arcar com as despesas de transmissão.

Marcos disse...

Aristeu, eu sei do seu espírito provocador de debates...rs
No caso, o Alessandre tem toda razão. A Prefeitura está recheada de comissionados, alguns verdadeiramente inúteis, na medida em que nem vão trabalhar.
Vou ser bastante sincero e duro. Araguari não difere em nada de Brasília no que pertine à ocupação de cargos públicos. A Prefeitura vem sendo usada como uma espécie de prêmio aos cabos eleitorais e apadrinhados dos governantes de ocasião.
Digo mais, isso não é privilégio do atual governo. Vem de longa data, na medida em que sucessivos governantes insistiram (e ainda insistem) em burlar a regra do concurso público.
Não estou dizendo que o simples fato de ser concursado transforma o servidor em um santo. Mas, a experiência demonstra que boa parte dos comissionados serve, justamente, para a servir aos donos do poder e não à sociedade.
Vamos aos exemplos: aqui em Brasília, a esmagadora maioria dos envolvidos no mensalão do DF não era de servidores efetivos. Outro exemplo, aí em Araguari, os executores de contrato (fiscais da execução das obras e serviços contratados) não são servidores efetivos.
Ora, o raciocínio é singelo: um servidor efetivo tem muito mais medo de perder o emprego e a carreira do que um comissionado, que sabe que, no final do mandato, terá que voltar para casa. Nesse quadro, quem tem mais chances de se corromper?
Bem, o tema é interessante e amplo. Por isso, voltarei a ele outras vezes.

Edilvo Mota disse...

Esse blog do Marcos, definitivamente, é ímpar na qualidade das postagens e dos comentários (ressalvadas intervenções medianas como as minhas, claro).

A imposição de jornada de 8 horas para TODOS os servidores (inclusive comissionados) está inscrita na Lei Complementar 041/2006, que instituiu em Araguari o Plano de Cargos e Salários. Mas... dantes como agora, ningúem se preocupa em cumprir a lei. Isso é coisa de CDF que nem eu e outros otários.

Quanto ao fato de o atual gestor da saúde dar expediente no próprio consultório particular, é notório e de domínio público. Segundo relatos de servidores (concursados) da saúde, até as notas de empenho são levadas à clínica privada para assinatura. O fato de (virtualmente) ser bom moço e devidamente amadrinhado não torna secretário, ou outro cargo comissionado qualquer, imune aos rigores da lei.

Quando "passei" pela administração pública cuidei de seguir a lei e ganhei fama de indigesto.

Porém, creio que aqueles que entram na administração pública pela janela (caso de cargos comissionados, como eu fui) devem uma atenção maior à lei, justamente por estarem, provisoriamente, cuidando (nem todos) do que não é seu. Aqueles que não se atentam a isso, acabam seduzidos pela canto doce da sereia chamada corrupção, na leda ilusão de que não serão alcançados, cedo ou tarde, pelas garras da justiça.

Onde floresce uma arruda, muito mais há de surgir.

Anônimo disse...

A SAÚDE DE ARAGUARI NUNCA FOI BOA MAS AGORA,ELA PIOROU ESTÁ UTI,O GOVERNO SE PREOCUPA MAS EM PAGAR PESSOAS QUE ERA CONTRA SEU GOVERNO PARA FICAR APOIANDO,PARA NÃO FALAR ENGANANDO E O POVO COBRANDO.

Edilvo Mota disse...

Parece que agora a coisa muda. Recebi informação de inúmeras pessoas que, nos próximos dias, o prefeito nomeará como secretária de saúde a assistente social Iara Cristina Borges. Há anos ela presta serviço na SMS, notadamente no setor de Atenção Básica, como coordenadora do PSF.

Curiosamente, o prefeito daria mostras de desprendimento político, haja vista que Iara foi, durante anos, convicta e ardorosa aliada do grupo político de Marcos Alvim.

É esperar pra ver...

Anônimo disse...

Façam o teste, vão até o Posto de Saúde do Bairro Santa Helena de madrugada e vejam quantas pessoas são realmente atendidas por dia. Aqui em Araguari se não tiver dinheiro para pagar particular MORRE !!! Isso quando além de pagar cai nas mãos dos conhecidos AÇOUGUEIROS (vide antigo hospital Santa Catarina) que agora estão atendento no hospital Santa Marta (tipo Dr. C.....nha)