quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Pra quem dar a procuração?

Pelo andar da carruagem, Araguari terá mais candidatos a Deputado do que eleitores... Por falar em carruagem, para a maioria deles, ela vai acabar virando abóbora antes da hora...
Para ajudar o eleitor nessa dificil tarefa de escolher o melhor candidato (ou seria  o menos ruim?!), o Observatório de Araguari traz os nomes e algumas "qualidades" dos pretensos candidatos.
Começo pelo candidato do paço municipal. Jubão, entre outros atributos, sabe muito bem usar a máquina pública. Assim, durante o mandato vem abusando, por exemplo, da nomeação de servidores não concursados e dos gastos com viagens de campanha pagas com o dinheiro público.
Agora, é a vez do Marquinho, o Alvim. Esse candidato já não tem um passado tão alvinho assim. Deixou alguns esqueletos no armário, tais como: as irregularidades na construção do Hospital Municipal e os estranhos contratos com as empreiteiras.
E, na Casa de Madame Sofia, tem ainda o Senador. Pois bem, o nosso Salgado Senador começou bem a vida pública. Na condição de suplente do Senador Hélio Costa, não foi muito sincero com a Justiça Eleitoral, afirmando que residia em Araguari. Interessante que ele era "domiciliado" justamente no local onde era localizada a Rádio Planalto, que era de propriedade do seu amigo Deputado Raul Belém. Por ser muito discreto, esse ilustre morador não era conhecido da vizinhança...

Vamos ficar só nesses três por hoje, mas já dá pra ver que a escolha não será fácil...

5 comentários:

Aristeu disse...

Pois é, se dependesse de mim eu votaria nos deputados ou senadores de outros estados. Outra coisa interessante é que assim como somos obrigados a votar também poderíamos ser votados. Se o Aécio, p exemplo, não consegue sair pelo Partido, quem sabe forma-se um bloco para os sem partidos que colocariam o nome na urna só pra ver no que que dá. Sem campanha e sem nada muita gente boa emplacaria um mandato.

Edilvo Mota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edilvo Mota disse...

Aristeu

esse é um sentimento generalizado entre os de bom senso e bem intencionados (votar em candidatos de bem longe).

O problema é que em todo o país, pra todo canto, sobra candidato local "ruim" e sem condição de representar o lado sério da sociedade.

Então, deve continuar tudo como dantes: votos comprados, promessas vazias e inexequíveis, desconhecimento e descaso com políticas públicas, malas, cuecas e arrudas...

E tome candidato que nunca trabalhou, nunca bateu o ponto, nunca soube o que é dar duro pra receber salário, "representando" as complexas demandas da população, falando pelos cotovelos, gaguejando, tropeçando no "aurélio" e estuprando a lingua mater. E ficando rico, claro!

Com o perdão da (pobre) licença poética, pra descontrair...

Se ainda fosse cédula de "papilim"/
Eu "votava" no Aristeu/
O Aristeu "votava" no Marcos/
E o Marcos "votava" "nimim".

Aristeu disse...

Edilvo, nesta tua eleição
Seremos mais do que prenda:
Todo universo em questão
Com os votos na Legenda!

Marcos disse...

Aos poucos nós vamos conhecendo as qualidades ocultas do Edilvo.
Agora, ele se superou e enveredou pela seara poética...
Como não entendo nada (também) dessa área, passo a bola para o Aristeu, que deve se encarregar de dar uma nota para o poeta Edilvo...
Antes disso...

Também vou me arriscar
na arte de versejar.
Não é essa minha praia,
mas é duro aturar essa laia.

Por falta de rima e competência, é melhor para por aqui...risos