sábado, 20 de fevereiro de 2010

Matutando


Motivos e Objetivos
A partir de hoje, quero publicar alguns textos curtos refletindo a minha opinião sobre temas afetos à nossa Araguari. A escolha do nome Matutando é justamente para demonstrar que nós, cidadãos araguarinos, temos mais dúvidas do que certezas sobre o que acontece na nossa cidade.

Eu preciso entender...
Como uma Prefeitura incapaz de prestar um serviço de saúde minimamente razoável consegue gastar com Carnaval?!

Pão e Circo?!
Já que a legislação eleitoral veda a realização de showmícios, o negócio dos governantes-candidatos agora é fazer festas às custas dos cofres públicos. Seria a volta da velha política do Pão e Circo?!

Resultado do Carnaval

Pela primeira vez, tivemos dois ganhadores: o Arrastão do Miranda e a cerveja venceram.


Ainda o Carnaval
Com o pedido de prestação de contas feito pelo vereador Werley Macedo ao Poder Executivo, o Carnaval araguarino ainda vai dar samba...

Todo ano, eles fazem tudo sempre igual
Começo de ano, tem sempre aquela discussão sobre a ajuda aos araguarinos que estudam em Uberlândia e Catalão. Impressionante como não aparece uma viva alma para defender a criação de um campus da UFU em Araguari e acabar com essa lenga-lenga... Também pudera, criar faculdade pública em Araguari é o mesmo que acabar com várias boquinhas...


8 comentários:

Aristeu disse...

Sempre soube que você é fera, mas Pantera Cor de Rosa é propaganda enganosa.
Também gosto de matutar e a curta distância entre Araguari e Uberlândia impede uma UFU deslocada. Há a necessidade urgente de transformar esta distância em via expressa, isto sim.
Também quando Jesus nos ensinou a pedir o Pão Nosso de cada dia deve ter esquecido do circo, Aquele Grande Mágico!

Marcos disse...

Aristeu, essa impossibilidade de a UFU instalar um campus em Araguari, a meu ver, não existe mais. Tudo depende, é claro, da própria Universidade, que tem autonomia para fazê-lo ou não.
Apenas, quero lembrar que a UnB já possui campus nas cidades satélites de Planaltina e Ceilândia, próximas de sua sede, em Brasília.
Os fatores para o assunto sequer ser cogitado, me parece, são outros. Vou citar só um deles: um senador e um deputado federal bem votados em Araguari possuem faculdades particulares. Qual interesse eles teriam em brigar por esse campus?

Anônimo disse...

Uma vergonha o carnaval do jubão. fizeram campanhia e nos pagamos.

Aristeu disse...

Eu não acho que este senador e este deputado sejam o que se pinta. Acredito até que se a UFU acampar tal projeto eles doarão toda a estrutura por eles montada em Ar, água, ri... kkkkkkk

Edilvo Mota disse...

Marcos e Aristeu.
Em 2001, eu era diretor da hoje morimbunda Adesa (Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Araguari). Participando de um seminário sobre Orçamento da União, no Campus Santa Mônica da UFU, sugeri a expansão dos campi das federais. A proposta foi encaminhada pelo nosso grupo à plenária e aprovada. No caso da UFU foram sugeridas 3 cidades: Araguari, Ituiutaba e Monte Carmelo. O deputado federal Gilmar Machado encampou a idéia e conseguiu aprovar a emenda.
Nos anos seguintes, no mesmo seminário, sempre cobrei a execução; o deputado sempre dizia que dependeria de VONTADE POLÍTICA dos municípios.
Em 2005, no mesmo seminário, conversamos eu, o secretário de governo Jair José Ferreira, o deputado Gilmar Machado e o reitor da UFU, Arquimedes Ciloni; o reitor disse que a cidade deveria apresentar o pleito para análise da reitoria. Em 2006, estive em reunião com o reitor, na UFU, juntamente com o prefeito Marcos Alvim. O reitor renovou a orientação de que Araguari apresentasse o pleito e as condições, para análise. Nada foi feito...
Ituiutaba já instalou seu campus avançado e parece que Monte Carmelo vai no mesmo caminho.
Na verdade, sobre este assunto, além do meu (precário e inútil) esforço pessoal, ninguém se mexeu; nem prefeitura, nem câmara, nem sociedade.

Marcos disse...

A contribuição do Edilvo é sempre rica e proveitosa.
Acredito que a luta pela vinda de uma universidade pública para a cidade não deveria ser o projeto apenas de um governo (no caso, Marcos Alvim). Deve, isto sim, ter continuidade e ser um projeto da cidade. Araguari merece há tempos um campus.
Vejam bem, a Administração Municipal "faz graça" para diversos tipos de empresários. Doa terrenos, concede isenções, etc. Por que não fazê-lo para trazer para Araguari algo que realmente iria mudar a cara da cidade e beneficiar imensamente os nossos filhos?
Sinceramente, afora a iniciativa do governo anterior, não vi ninguém se movendo para trazer esse campus da UFU. Ao contrário, o que se viu, num passado distante, foi a cidade perder, por birra, uma faculdade pública de direito, que poderia ser hoje uma grande universidade.

Edilvo Mota disse...

Prezado Marcos,

Pra ser sincero, não houve esforço "do governo" pra trazer a expansão do campus da UFU. Na verdade, iniciei essa luta sozinho (em 2001 quando ainda não fazia parte - e nem pensava em fazer - do governo).
A visita ao então reitor da UFU, Arquimedes Diógenes Ciloni, em 2006 foi agendada pessoalmente por mim que convenci o então prefeito a comparecer. Pra você ter uma idéia do "esforço" oficial, no dia da reunião, em Uberlândia, a secretária de Educação não compareceu, porque tinha "outro compromisso agendado".
Sem qualquer crítica pessoal a quem quer que seja, nunca houve qualquer interesse da comunidade araguarina, incluídos o governo municipal e a câmara, nesse assunto.
O próprio deputado Gilmar Machado, além do ex-reitor Arquimedes, podem confirmar isto.

Outro exemplo (péssimo) foi minha tentativa (2007) de implantar em Araguari um laboratório para produção de medicamentos fitoterápicos, em parceria com a REDE FITOCERRADO, composta por profissionais da UFU, alguns deles doutores em farmacologia, biologia, etc. Apesar do aparente interesse do prefeito Marcos Alvim, a desculpa da Fazenda, na época, foi que "não havia dinheiro". Uma fortuna de R$ 240 mil, que poderia, inclusive, ser conseguida através de convênio com Estado ou União, via projeto. A própria Unipac, na iminência de abrir o curso de Farmácia, demonstrou interesse em parcitipar, caso o projeto fosse adiante.

Como você mesmo disse, noutra postagem sua, são tantas histórias...

Aristeu disse...

Quero só elucidar o verbo "acampar", por mim utilizado, como "instalar no campus", ao passo que o verbo "encampar" do Edilvo pareça-me ser "tomar posse", ainda mais sendo o Machado um político que abraçou o projeto do cidadão Edilvo.