quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

A Política e a Roda

Para o bem ou para o mal, a política acaba fazendo a roda girar. À medida que se aproxima o pleito, ao mesmo tempo em que os ventos começam a soprar favoravelmente, alguns icebergs aparecem no horizonte.Por isso, boas e más notícias começam a pipocar na mídia.
Do lado bom, vem a informação de que a licença ambiental para a duplicação da BR-050 (trecho Uberlândia-Divisa MG/GO) já foi obtida. Claro, alguns políticos precisam faturar com esse fato. Não sei como ainda não apareceram fotografias de algum deputado beijando a tal licença e comprovando, por meio do exame de DNA, ser o pai da criança.
Do outro lado, ressurge com maior força a questão das graves irregularidades cometidas pelo governo Marcos Alvim na construção do Hospital Municipal. Pelo que consta no jornal governista (Correio de Araguari), o Ministério da Saúde detectou o óbvio, ou seja, a existência de diversas falhas na "obra". Ao final, aquele órgão concluiu que mais de três milhões e setecentos mil devem ser devolvidos pelo município à União e ao Estado. É óbvio, alguém irá pagar a conta e, ao que tudo indica, os antigos gestores terão um certo trabalho para reparar, ao menos em parte, o prejuízo que causaram à população araguarina. 
Assim caminha a cidade...


4 comentários:

Aristeu disse...

Ninguém pode ficar tanto tempo no poder. Acaba fazendo o que não deve. Se a política é a roda da vida então que nossos pleitos sejam anuais. Dá tempo de consertar e também conservar. Parece-nos duro uma eleição, mas o cidadão deve estar disposto a votar todo dia.

Alessandre Campos disse...

Conforme o Jornal Gazeta do Triângulo desta quinta-feira (28/01), o Deputado Estadual Luiz Humberto Carneiro (PSDB) reivindicou e foi atendido pelo COPAM que anunciou a liberação da licença ambiental prévia da duplicação da BR 050.

Se a "criança" tem pai, resta-nos saber quem será a mãe!!!

Wilson José Prado disse...

Vejo com tristeza a situação do Hospital Municipal e também recentemente a queda do córrego com a corrosão dos tubos de canalização, cuja recuperação ficou em 10 milhões e 600 mil reais. É muito dinheiro público jogado no esgoto,sem ninguém apurar nada.

Marcos disse...

Wilson, também fico triste com isso. Infelizmente, o dinheiro público é dinheiro de ninguém.
Nesses dois casos (Hospital Municipal e recuperação da canalização do córrego), faltou justamente fiscalização. O grande responsável foi o Poder Executivo, que, deliberadamente, ou não não fiscalizou a execução dos serviços. Além dele, a Câmara também tem culpa, sobretudo os vereadores da base do governo à época, que, supostamente em nome da fidelidade ao partido, não exerceram o dever de fiscalização inerente à função.
Acredito,por fim, que também a imprensa araguarina deveria ser mais incisiva nesses casos e menos parcial. O dever desse quarto poder é justamente levar os fatos ao conhecimento da população para que ela formule o seu juízo e ajude a cobrar responsabilidades, se for o caso.
Hoje, temos muitos mecanismos para ajudar na fiscalização dos gastos. Infelizmente, a maioria não os conhece ou não tem acesso a eles. Enquanto isso, os criminosos (isto mesmo!) vão desenvolvendo as táticas de rapinagem do dinheiro público. Lamentável.