segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

E a novela continua...

Os capítulos da novela chamada Hospital Municipal de Araguari se sucedem lenta e tediosamente. Enquanto a novela não termina, a vida dos pacientes araguarinos fica por um fio, podendo acabar na fila do pronto socorro ou numa ambulância a caminho da grande Uberlândia...



Eis a reportagem do jornal O Correio de Uberlândia sobre o nosso Elefante Branco:


Em Araguari, hospital continua fechado
Unidade não tem alvará de funcionamento e não deve ser aberta neste ano
Repórter
Atualizada: 22/01/2010 - 23h19min



Por falta de alvará de funcionamento e da aquisição dos equipamentos, nem um paciente foi atendido, um ano depois de concluídas as obras do prédio do Hospital Municipal de Araguari. O hospital, que começou a ser construído em 2001, custou até agora, segundo o secretário municipal de Saúde, Dilson Martins de Deus, cerca de R$ 4,5 milhões aos cofres públicos — R$ 2,2 milhões da União e R$ 800 mil do estado de Minas. “Não posso afirmar que vai funcionar neste ano”, disse.
Entregue à população em dezembro de 2008, pelo então prefeito Marcos Alvim, o prédio apresentava irregularidades na estrutura, nos sistemas elétricos e de gases medicinais. Os problemas foram detectados em vistoria dos técnicos da Superintendência da Vigilância Sanitária de Minas Gerais no início de 2004.
Em novembro do mesmo ano, uma equipe da Controladoria-Geral da União (CGU) fez uma auditoria e verificou que as irregularidades persistiam. Os relatórios foram encaminhados ao Ministério da Saúde que, em julho de 2009, enviou técnicos para fazer outra auditoria nas instalações e equipamentos.
“A tubulação dos gases é de chumbo, o que não é permitido pela Agência Nacional de Saúde. A voltagem do transformador de energia é incompatível com os equipamentos e pode danificá-los, e o tamanho das portas que dão acesso a alguns quartos e banheiros não permite a passagem de uma cadeira de rodas”, disse o secretário. A Vigilância Sanitária Estadual da Gerencia Regional de Saúde (GRS), em Uberlândia, confirmou as informações.
O ex-prefeito Marcos Alvim disse que parte das irregularidades foi corrigida. “Eu fiz cerca de seis modificações, não me lembro bem. Mas ainda restaram algumas para a administração seguinte fazer”, afirmou.
Adequações  não podem ser feitas
Os projetos para corrigir as irregularidades, segundo o secretário municipal de Saúde de Araguari, Dilson Martins de Deus, já foram concluídos e aprovados pela Gerência Regional de Saúde (GRS), em Uberlândia. O secretário afirma ainda que o governo de Minas liberou R$ 485 mil necessários para fazer os ajustes.
“No entanto, não podemos iniciar as obras de adequação porque os técnicos do Ministério da Saúde que estiveram aqui no ano passado disseram que não poderemos mexer em nada até que o relatório final esteja concluído e aponte o caminho a ser tomado”, disse Dilson Martins. Mesmo sem autorização para funcionar, até o início deste mês  no local eram realizados exames de raios X que estão suspensos porque o aparelho quebrou.
Hospital seria referência para municípios
Tão logo fosse inaugurado, o Hospital Municipal de Araguari, segundo a Gerência Regional de Saúde (GRS), em Uberlândia, poderia ser transformado em uma unidade de referência aos atendimentos de média complexidade para os pequenos municípios da região. Isso possibilitaria a implantação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) na unidade, o que desafogaria o setor de UTI do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC/UFU), que tem hoje 34 leitos e é referência para os municípios da região Triangulo Norte, com uma população de 1,2 milhão de habitantes. “Mas enquanto o Hospital de Araguari não começa a funcionar não podemos iniciar a tramitação com o estado para que ocorra a regionalização e novos leitos de UTIs sejam abetos”, disse o diretor da GRS, Daltro Catani Filho.

3 comentários:

Anônimo disse...

O Hospital Municipal foi conseguido através do então Deputado Odelmo Leão, para quem não se lembra, e qual era construtora responsavel? O projeto final não teria que ter aprovação do Ministério da Saúde? Como foi liberada esta construção que hoje esta condenada? Através de quem? São perguntas que deveriam ser respondidas ao povo araguarino.

Marcos disse...

Concordo com você, Anônimo. Essa história está muito mal contada.
Estou buscando esclarecimentos maiores sobre o assunto. Sei que, pelo que consta do Correio de Araguari (edição de hoje), a obra está condenada. Estou na busca de maiores informações junto ao Ministério da Saúde para confirmar essa notícia. Ainda no ano passado,com base em notícias veiculadas na imprensa de Araguari, ingressei com uma denúncia junto à Controladoria-Geral da União. Os danos e os responsáveis estão sendo apurados.
Apenas para relembrar postagem anterior neste blog, quero dizer que a Administração atual, além de colocar o hospital em funcionamento, tem a obrigação de apurar responsabilidades. Parece que até agora não fez nenhuma coisa nem outra.

Anônimo disse...

A atual administração de Araguari deveria lembrar que precisa de administrar a cidade. Cuidar das vias urbanas; reabrir o ginásio poliesportivo, terminar a obra do corrego que é uma vergonha. Caso isso não aconteça teremos que chamá-los de incompetentes, pois enquanto os câes ladram as carruagens passam.