sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Cuidado, Aedes Aegypti!!!

A Secretaria de Saúde informa que vai intensificar o combate à dengue. Perguntas do blog:
Por que somente agora? Quais medidas preventivas foram adotadas? Quais providências para esclarecimento da população foram implementadas? Por que somente agora foi realizada a contratação (mandrake) de agentes para combater a dengue? Por que não foram criadas sanções para os proprietários de imóveis que servem como verdadeiros criadouros dos mosquito.
Sugestão do blog: basta o senhor Prefeito dar a cada comissionado da Prefeitura a tarefa de matar, a tapa, apenas um mosquito. Se cada um deles cumprir sua meta, não restará nenhum exemplar do Aedes Aegypti no município e ainda sobrarão comissionados para matar eventuais insetos que se atreverem a entrar na cidade.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

A Política e a Roda

Para o bem ou para o mal, a política acaba fazendo a roda girar. À medida que se aproxima o pleito, ao mesmo tempo em que os ventos começam a soprar favoravelmente, alguns icebergs aparecem no horizonte.Por isso, boas e más notícias começam a pipocar na mídia.
Do lado bom, vem a informação de que a licença ambiental para a duplicação da BR-050 (trecho Uberlândia-Divisa MG/GO) já foi obtida. Claro, alguns políticos precisam faturar com esse fato. Não sei como ainda não apareceram fotografias de algum deputado beijando a tal licença e comprovando, por meio do exame de DNA, ser o pai da criança.
Do outro lado, ressurge com maior força a questão das graves irregularidades cometidas pelo governo Marcos Alvim na construção do Hospital Municipal. Pelo que consta no jornal governista (Correio de Araguari), o Ministério da Saúde detectou o óbvio, ou seja, a existência de diversas falhas na "obra". Ao final, aquele órgão concluiu que mais de três milhões e setecentos mil devem ser devolvidos pelo município à União e ao Estado. É óbvio, alguém irá pagar a conta e, ao que tudo indica, os antigos gestores terão um certo trabalho para reparar, ao menos em parte, o prejuízo que causaram à população araguarina. 
Assim caminha a cidade...


quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Patrus Ananias e suas pretensões

Ministro Patrus Ananias se diz "candidatíssimo" ao governo de Minas Gerais


Paula Laboissière

Da Agência Brasil

Em Brasília

O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, afirmou que é “candidatíssimo” ao governo de Minas Gerais. Durante entrevista ao programa 3 a 1, da TV Brasil, ele afirmou que a corrida eleitoral, entretanto, vai depender “da vontade de outros”. O programa vai ao ar hoje (27) às 23h.

“Quero governar Minas Gerais, me sinto preparado para isso, depois de seis anos no ministério. Gostaria de ser governador do meu Estado, mas tenho que ter o apoio do meu partido, resgatar os nossos parceiros, forças políticas e sociais”, disse.

Patrus acrescentou que aposta em uma “aliança séria e ética” com o PMDB, "para que o partido seja tratado no nível que merece”. Sobre a pré-candidatura para o mesmo estado do ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel – também petista –, o ministro avalia que o que os separa é a “concepção do partido”.

“Sou militante do PT, acredito no projeto de ser um partido democrático”, disse.

Diante da escolha peemedebista em defender o nome do ministro das Comunicações, Hélio Costa, para o governo de Minas Gerais, Patrus afirmou que “ninguém é dono da verdade ou ganha a eleição sozinho” e que é preciso buscar alianças e “espaço de convergência” no cenário político.

Questionado se abriria mão da candidatura se essa fosse a vontade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro disse apenas que esse pedido não foi feito e que não sabe se será. “Confio na liderança e no discernimento político dele. Estarei onde ele estiver.”

Fonte: http://noticias.uol.com.br/politica/2010/01/27/ministro-patrus-ananias-se-diz-candidatissimo-ao-governo-de-minas-gerais.jhtm

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Mais vítimas da 050

A BR-050 continua cumprindo a sua sina, fazendo vítimas. Na madrugada de hoje, mais uma pessoa ali perdeu a vida. Enquanto isso, a licença ambiental para duplicação da via dorme em alguma gaveta da burocracia brasileira.
Não se discute a necessidade de licença para a realização de obra pública. Questiona-se, isto sim, a demora na obtenção desse documento e, consequentemente, no início da duplicação. Tal situação traduz mais um descaso do governo federal com os cidadãos brasileiros, em especial, com os corajosos usuários de um trecho rodoviário que, há muito tempo, possui licença para matar.
A notícia sobre mais essa vida ceifada com a ajuda da omissão do poder público encontra-se em http://www.correiodeuberlandia.com.br/texto/2010/01/25/43039/chuva_provoca_dois_acidentes_na_br-.html .

E a novela continua...

Os capítulos da novela chamada Hospital Municipal de Araguari se sucedem lenta e tediosamente. Enquanto a novela não termina, a vida dos pacientes araguarinos fica por um fio, podendo acabar na fila do pronto socorro ou numa ambulância a caminho da grande Uberlândia...



Eis a reportagem do jornal O Correio de Uberlândia sobre o nosso Elefante Branco:


Em Araguari, hospital continua fechado
Unidade não tem alvará de funcionamento e não deve ser aberta neste ano
Repórter
Atualizada: 22/01/2010 - 23h19min



Por falta de alvará de funcionamento e da aquisição dos equipamentos, nem um paciente foi atendido, um ano depois de concluídas as obras do prédio do Hospital Municipal de Araguari. O hospital, que começou a ser construído em 2001, custou até agora, segundo o secretário municipal de Saúde, Dilson Martins de Deus, cerca de R$ 4,5 milhões aos cofres públicos — R$ 2,2 milhões da União e R$ 800 mil do estado de Minas. “Não posso afirmar que vai funcionar neste ano”, disse.
Entregue à população em dezembro de 2008, pelo então prefeito Marcos Alvim, o prédio apresentava irregularidades na estrutura, nos sistemas elétricos e de gases medicinais. Os problemas foram detectados em vistoria dos técnicos da Superintendência da Vigilância Sanitária de Minas Gerais no início de 2004.
Em novembro do mesmo ano, uma equipe da Controladoria-Geral da União (CGU) fez uma auditoria e verificou que as irregularidades persistiam. Os relatórios foram encaminhados ao Ministério da Saúde que, em julho de 2009, enviou técnicos para fazer outra auditoria nas instalações e equipamentos.
“A tubulação dos gases é de chumbo, o que não é permitido pela Agência Nacional de Saúde. A voltagem do transformador de energia é incompatível com os equipamentos e pode danificá-los, e o tamanho das portas que dão acesso a alguns quartos e banheiros não permite a passagem de uma cadeira de rodas”, disse o secretário. A Vigilância Sanitária Estadual da Gerencia Regional de Saúde (GRS), em Uberlândia, confirmou as informações.
O ex-prefeito Marcos Alvim disse que parte das irregularidades foi corrigida. “Eu fiz cerca de seis modificações, não me lembro bem. Mas ainda restaram algumas para a administração seguinte fazer”, afirmou.
Adequações  não podem ser feitas
Os projetos para corrigir as irregularidades, segundo o secretário municipal de Saúde de Araguari, Dilson Martins de Deus, já foram concluídos e aprovados pela Gerência Regional de Saúde (GRS), em Uberlândia. O secretário afirma ainda que o governo de Minas liberou R$ 485 mil necessários para fazer os ajustes.
“No entanto, não podemos iniciar as obras de adequação porque os técnicos do Ministério da Saúde que estiveram aqui no ano passado disseram que não poderemos mexer em nada até que o relatório final esteja concluído e aponte o caminho a ser tomado”, disse Dilson Martins. Mesmo sem autorização para funcionar, até o início deste mês  no local eram realizados exames de raios X que estão suspensos porque o aparelho quebrou.
Hospital seria referência para municípios
Tão logo fosse inaugurado, o Hospital Municipal de Araguari, segundo a Gerência Regional de Saúde (GRS), em Uberlândia, poderia ser transformado em uma unidade de referência aos atendimentos de média complexidade para os pequenos municípios da região. Isso possibilitaria a implantação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) na unidade, o que desafogaria o setor de UTI do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC/UFU), que tem hoje 34 leitos e é referência para os municípios da região Triangulo Norte, com uma população de 1,2 milhão de habitantes. “Mas enquanto o Hospital de Araguari não começa a funcionar não podemos iniciar a tramitação com o estado para que ocorra a regionalização e novos leitos de UTIs sejam abetos”, disse o diretor da GRS, Daltro Catani Filho.

domingo, 24 de janeiro de 2010

O que fazer com essa tal liberdade....

Não quero, jamais, ser considerado um crítico da liberdade de imprensa. Ao contrário, além de defendê-la na condição de profissional do direito, de certa forma, valho-me também dela para usar este espaço democrático da blogsfera.
Contudo, na condição de cidadão araguarino e de mero leitor dos jornais e ouvinte das emissoras de rádio da cidade, não posso ficar calado diante de alguns absurdos escritos e falados em nome dessa tal liberdade.
Na edição de 14 passado do Correio de Araguari, o subscritor da coluna Salada Mista, sob o pretexto de defender a liberdade de imprensa na cidade, teceu críticas aos politiqueiros que, segundo ele, tentam silenciar integrantes da imprensa escrita e  falada. Nada mais natural que um jornalista defenda a sua independência e a de seus colegas. Entretanto, como em Araguari o buraco é sempre mais embaixo, a questão erece uma análise mais aprofundada.

Para entendermos o quadro, é preciso saber quem está criticando os denominados politiqueiros. Trata-se, no caso, do senhor Limirio Martins, que além de assinar aquela coluna semanal e apresentar três programas diários na Rádio Araguari, ocupa cargo comissionado na Prefeitura. Com essa informação e considerando outras manifestações dele, já é possível extrairem-se algumas conclusões.
Primeiro, ao que tudo indica, os tais politiqueiros serão sempre aqueles que fizerem oposição ao governo ao qual pertence o referido radialista.  Essa afirmação é comprovada, inclusive, pela manifestação do brilhante jornalista Ronaldo César Borges, na coluna Drops do Gazeta do Triângulo, que noticiou a perseguição que aquela emissora de rádio vem fazendo aos vereadores que votaram contra o projeto Somma, originário do Chefe do Executivo, que, coincidentemente, pertence ao mesmo partido do Senador Wellington Salgado, proprietário da emissora.
Segundo, paradoxalmente, o radialista acaba sendo a maior vítima da praga que ele mesmo combateu, uma vez que, ao assumir cargo comissionado na Prefeitura, deixou-se capturar pelo poder político, abdicando daquilo que é mais caro a um jornalista: a imparcialidade. Qual a credibilidade de um homem de imprensa cujas manifestações são contaminadas pelo seu manifesto interesse em agradar os governantes de ocasião e, com isso, permanecer no cargo público?

Pode até parecer ranhetice desse humilde aprendiz de blogueiro, mas as conclusões acima, sobretudo a segunda, foram também confirmadas pela mais patética cena produzida no jornalismo araguarino. Dias atrás, durante entrevista no programa Salada Mista, na mesma Rádio Araguari, o ilustre radialista perguntou ao Prefeito Marcos Coelho, coincidentemente seu chefe na Prefeitura, se os ocupantes de cargos comissionados teriam aumento de salário. Vale dizer: atuando em causa própria, demonstrou parcialidade e confundiu a relevante missão de um jornalista com o seu mero interesse particular em ter o salário aumentado (recomposto).

Diante disso e já pedindo desculpas pela insistência em temas desagradáveis, encerro esta postagem com algumas perguntas. Esse comportamento  do radialista obedece aos limites da  liberdade de imprensa? Ou, ao contrário, escancara a forma aparentemente velada como o poder político consegue capturar membros da imprensa, tornando-os dóceis e subservientes? Atitudes dessa espécie são ainda exceções ou estão se tornando regra em Araguari? Diante desse tipo de fato, qual o grau de confiabilidade da imprensa em Araguari? Reflitamos...
Fontes usadas na postagem:

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Homenagem à Araguari

Hoje, prometo pegar leve. Para apreciação dos leitores, segue um poema do mestre Jeová Bitencourt sobre a nossa Araguari. Aviso, desde logo, ao Aristeu que os seus comentários só serão aceitos se forem feitos em  versos.
Ótimo final de semana a tantos quantos se atreverem a acessar este blog.

Terra Querida
Jeová Bitencourt

Que amor que eu tenho pela minha terra.
por esta minha Araguari tão linda,
reino de paz que um paraíso encerra,
com suas flores de ternura infinda.

Se é bonito o luar por sobre a serra,
pela beleza com que o céu a brinda,
as estrelas, que à noite travam guerra
de esplendor entrei si, são mais ainda.

Que bem que eu quero à minha Araguari,
a este meu torrão hospitaleiro,
doirado e ardente berço onde nasci.

Ela é divina e tem belezas mil,
é a flor do Triângulo Mineiro,
é um jardim de amor de meu Brasil.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Iniciativa Louvável


Conforme notícia abaixo, será realizada, na cidade de Araguari, coleta de sangue promovida pela Fundação Hemominas. 

A medida é salutar. Contudo, causa perplexidade admitir que, até para doar sangue, o araguarino, em regra, precisa se deslocar até Uberlândia. Isso escancara duas realidades. Primeiro, por mais que Araguari cresça, a dependência em relação à "Grande Udi" tende a permanecer. Segundo, se, para os araguarinos, doar sangue já não é tarefa fácil, é possível concluir que doar órgãos é missão praticamente impossível.
Quinta-feira, 21 de janeiro de 2010
Hemominas realiza coleta de sangue em Araguari
 A Fundação Hemominas promove no dia 23 de janeiro, sábado, das 7h30 às 12h, uma coleta de sangue na cidade de Araguari. A coleta será realizada na Paróquia São Judas Tadeu, na rua das Araras, 840, bairro Independência. A ação conta com a participação da população em geral.
 É a segunda vez que a Fundação Hemominas desloca profissionais até a Paróquia São Judas Tadeu para a realização da coleta de sangue. A expectativa da equipe da Hemominas é que 150 candidatos à doação compareçam ao local.
 Para a responsável pelo setor de captação e cadastro de doadores do Hemocentro Regional de Uberlândia, responsável pela coleta, Ludmilla Martins, a importância dessa ação é "facilitar o acesso à doação de sangue para a população, pois existe uma grande demanda das pessoas para a realização de ações como essa", afirma.
 Podem doar sangue cidadãos com boa saúde, idade entre 18 e 65 anos, peso acima de 50 quilos, que não tenham ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não tenham tido hepatite após os 10 anos de idade, e que não tenham doença de chagas. Outros critérios serão avaliados durante a triagem clínica. Para realizar o gesto de cidadania, o candidato a doação também deve apresentar um documento oficial com foto e dentro do prazo de validade.
 Mais informações: Assessoria de Comunicação da Fundação Hemominas (31) 3280-7440/3280-7455
Hemocentro Regional de Uberlândia - (34) 3222-8801
Agência Minas

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

E vai rolar a festa... Tô pagando!!!



Ano eleitoral equivale à promessa de muitas festividades. Em Araguari não será diferente...
Aqui, os comes e bebes já estão garantidos, ao menos para o pessoal do Palácio. É que a Prefeitura está realizando licitação para contratar pessoa jurídica para fornecimento de coffe break nos eventos realizados pelas Secretarias de Educação, Trabalho e Ação Social, Esportes e Gabinete. Valor estimado das festinhas: R$ 203.032,50 (duzentos e três mil, trinta e dois reais e cinquenta centavos).
Os felizes convidados para as ceias do senhor Prefeito já podem arregalar os olhos, pois o rega-bofe vai ser de responsa. Afinal, serão consumidos, durante o ano, 187.600 salgadinhos e 3 toneladas de quitandas, acompanhados, entre outros, de 15.080 garrafas de refrigerantes de 2 litros cada. Quem quiser saber se vale a pena entrar de penetra na festa pode conferir os outros regalos no site da Prefeitura: http://www.araguari.mg.gov.br/gerenciador/libs/uploads/21624b4c67766c7487.06429865.pdf.. Cuidado, se for convidado, não convém encher os bolsos de salgadinhos ao final da festa, uma vez que, em reunião de políticos, os bolsos, as meias e as cuecas costumam ter outras finalidades...
Como estamos em ano eleitoral, é óbvio que a distribuição dos gastos pelas diversas secretarias tem lá suas peculiaridades. Não é mera coincidência, então, o fato de a Secretaria de Gabinete poder gastar R$ 68.328,00 (sessenta e oito mil, trezentos e vinte e oito reais) em comes e bebes neste ano, ou seja, 33,6% do total gasto pelo Poder Executivo com comilanças. Para fortalecer as candidaturas dos amigos do Palácio, será servido naquela secretaria o seguinte cardápio: 57.600 salgados variados; 17.280 sanduiches completos, 720 quilos de quintadas variadas e 14.400 litros de refrigerante de sabores variados.
O Executivo pode até ter suas razões para efetuar gastos nesta área, desde que o faça com parcimônia, observando-se parâmetros de razoabilidade. De qualquer forma, parece-nos correto afirmar que aquilo que desce redondo para os governantes de ocasião acaba se tornando indigesto para o cidadão comum, que, em vez de um convite para a festança, acaba recebendo mesmo é um belo carnê do IPTU. Tim Tim!!!

Hora de Mudança

Cada lugar se destaca pelas suas peculiaridades. Araguari não é diferente.
Poderia ser conhecida pela sua água, de sabor inigualável, pela hospitalidade de sua gente e beleza de suas mulheres. Mas, nem tudo são flores na bela Araguari.
A cidade, infelizmente, tem uma particularidade triste e marcante. Aqui, o processo eleitoral nunca acaba. Temos sempre um segundo turno das eleições que só termina no pleito seguinte, quando situação e oposição recomeçam nova batalha.
A marca dessas intermináveis contendas é degradante. O debate, se é que assim se pode chamá-lo, desce aos mais baixos níveis, descambando, não raro, para o perigoso campo das ofensas pessoais. Nesse passo, as discussões sobre a melhoria das condições de vida do nosso povo passa ao largo. Nossos problemas, dessa forma, são simplesmente ignorados; o que vale é tão somente a defesa de interesses particulares ou, no máximo, de grupos políticos.
Enquanto o nível dos nossos homens "públicos" permanecer assim, nada mudará. Continuaremos reféns de nós mesmos e permaneceremos enredados na teia que, a cada eleição, criamos para nos sufocar e engolir. O que fazer, então?!
Em princípio, não seria preciso muito esforço para sair dessa situação. Contudo, em Araguari, não se afigura fácil a fuga rumo à melhoria das condições do nosso povo. É que, por obra e força da classe política, as coisas simples acabam se tornando difíceis, quando não impossíveis, na bela Araguari.
Tenho uma sugestão. Que tal amarmos mais a cidade? Não, não me refiro a uma idolatria a prédios e avenidas. Reporto-me ao amor ao próximo, aos demais araguarinos, aos não-integrantes da casta política da cidade. Afinal, todos precisam se beneficiar do progresso experimentado pelos escolhidos para gerir o município ou exercer funções públicas.
Em suma, é hora de se desarmarem os espíritos e os homens. Momento de se cuidar mais da cidade, de se pensar no bem-estar dos cidadãos, araguarinos ou não, que escolheram esta terra para, fazendo a vontade divina, se realizarem como seres humanos. Mãos à obra!

 

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Prudente Afastado da Presidência da Câmara Legislativa do DF

Justiça determina afastamento imediato do presidente da Câmara do DF

Keila Santana
Especial para o UOL Notícias
Em Brasília
O juiz Álvaro Luis Ciarlini, da 2ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal, concedeu liminar nesta segunda-feira (18) determinando o afastamento imediato do deputado Leonardo Prudente (sem partido) da presidência da Câmara Legislativa e do processo de julgamento do impeachment contra o governador José Roberto Arruda (sem partido), ambos envolvidos no escândalo de corrupção do mensalão do DEM.

Para o magistrado, há nos autos um conjunto de elementos que constituem fortes indícios do cometimento de delitos "gravíssimos". "É indispensável que o Poder Judiciário se posicione, neste momento, com firmeza e assertividade sobre esses fatos que, se verdadeiros, podem ser considerados uma verdadeira tragédia imposta pela virtual (e ainda não cabalmente comprovada) irresponsabilidade, egoísmo e absoluta ausência de civismo das partes virtualmente implicadas nesses tristes episódios", escreveu.

Leonardo Prudente foi flagrado colocando dinheiro nas meias, provindo de um suposto esquema de propina que ficou conhecido como mensalão do DEM de Brasília. O vídeo foi feito com ajuda do ex-secretário das Relações Institucionais do Distrito Federal, Durval Barbosa, que denunciou o esquema.

Prudente afirmou que ainda não foi intimado, mas que "decisão judicial não se discute nem se comenta, cumpre-se".

O juiz impôs uma multa diária de R$ 100 mil pelo não cumprimento ou demora no cumprimento da decisão
.
Fonte: http://noticias.uol.com.br/politica/2010/01/18/ult5773u3578.jhtm

Pitaco do aprendiz de blogueiro: a notícia, sem dúvida, é ótima! A decisão veio de um juiz sabidamente conhecedor do direito. No entanto, a nossa alegria, enquanto cidadãos-contribuintes, pode durar pouco. É que, nas caladas da noite, algum magistrado alinhado com a turma (ou seria quadrilha?!) do Arruda poderá revogar essa decisão. A guerra só está começando...

Mais uma Farsa Legislativa

Acontece hoje em Araguari mais um espetáculo deprimente, mais uma farsa. Com direito a imensas comemorações, a Presidente da Câmara de Vereadores irá devolver 150 mil reais ao Poder Executivo. Diz ela tratar-se da economia feita pela Casa durante o ano de 2009.

Como as contas da Câmara são uma espécie de caixa-preta, não é possível afirmar que a gestão daquela Casa realmente primou pela economicidade dos gastos e que, efetivamente, esse é o valor máximo que poderia ser economizado pelos nossos edis durante o ano passado.

Ao contrário, diante da falta de informações à sociedade, pode-se extrair conclusão diversa, no sentido de que aquela Casa gasta mal os recursos públicos. Se não, vejamos.

De plano, temos em Araguari vereadores muito bem remunerados, ganhando 7 mil reais por mês, com direito a um discutível 13º salário e a verbas de gabinete cujo montante, por absoluta falta de transparência da Casa, não é de conhecimento público. Assim, basta comparar os salários desses senhores com a renda média da população araguari para se chegar à triste conclusão de que os nossos tributos não estão sendo bem gastos por aquela Casa, que se transformou numa Ilha da Fantasia.

Vamos além. O nosso Legislativo atua sempre no fio da navalha, ou seja, gasta o máximo permitido pela Constituição e pelas leis. Ora, a autorização para se gastar até certo limite não é o mesmo que se permitir que os gastos sempre atinjam aquele teto. Em outras palavras, a Câmara de Vereadores atua de forma antieconômica e ineficiente na gestão de recursos públicos.

Somente com base nesses dados já é possível afirmar que a devolução de recursos feita pela senhora Presidente da Câmara ao Poder Executivo é simplesmente uma farsa, um ato meramente formal que, não caracterizando a boa gestão da coisa pública, apenas procura esconder a realidade dos gastos do Legislativo. Na verdade, é apenas uma forma de tentar nos fazer esquecer a falta de transparência daquele Poder, traduzida na ausência de publicação dos atos de nomeação de comissionados, na falta de prestação de contas dos gastos dos senhores vereadores com os respectivos gabinetes, com viagens, etc.

Só Acontece em Araguari

Tem coisas que só acontecem em Araguari...
Uma delas é a Prefeitura alardear e comemorar a abertura de uma rua facilitando o acesso de moradores do Bairro Alan Kardec aos demais setores da cidade. Ora, ao se criar um bairro, o mínimo que se espera do poder público é o oferecimento de condições mínimas de acesso da nova população aos demais bairros. Mais do que isso, era de se esperar que o novo bairro tivesse os equipamentos urbanos mínimos necessários à vida digna dos novos moradores. Assim, a existência de escola, posto de saúde e de um posto policial a distância razoável do bairro era para ser uma obrigação do município e não mera promessa de campanha política.
Infelizmente, em Araguari, a realidade é outra. Com os cofres públicos fortemente comprometidos com o pagamento de funcionários comissionados e de empreiteiros, pouco resta para se aplicar na melhoria das condições de vida da população. Assim, coisas banais, como o asfaltamento de ruas ou a construção/reforma de uma passarela sobre a linha férrea tornam-se sonhos praticamente impossíveis para os moradores de bairros povoados por pessoas menos favorecidas. Então, a comemoração da abertura e cascalhamento de um rua, na minha opinião, soa como espécie de declaração de incompetência dos nossos governantes. Afinal, depois de repartir o bolo com os apadrinhados políticos, é só isso que eles conseguem fazer pelos moradores dos bairros mais distantes...

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Guerra e Birra


Continua a guerra suja entre situação e oposição, uma tentando atribuir à outra a culpa pelos buracos que se proliferam na cidade. Em especial, o campo de batalha principal são as avenidas Belchior de Godoy, Mato Grosso e Theodoreto Veloso de Carvalho, vias responsáveis pela ligação entre as rodovias BR-050 e MG-223. Nota-se, pela foto acima, que os efeitos desse conflito podem ser vistos no aumento do número e da dimensão dos buracos produzidos, naquelas importantes vias, pela omissão dos agentes políticos da cidade.

De um lado, o grupo palaciano afirma que os três vereadores de oposição são os responsáveis pelos buracos, uma vez que votaram contra o projeto de empréstimo para revitalização das citadas avenidas. De outro, os oposicionistas asseveram que as planilhas relativas ao projeto contém diversas falhas no cálculo da dimensão das vias, o que poderia gerar um aumento no valor do empréstimo e um sobrepreço na obra.

Diante do impasse, alguns fatos relativamente recentes merecem destaque. Falo sobre dois deles.

Primeiro, o surgimento de outdoors na cidade, imputando aos oposicionistas a responsabilidade pela existência dos buracos nessas vias. Tal fato, que poderia se traduzir numa simples manifestação de pensamento, acabou ultrapassando o regular exercício de um direito do seu autor, na medida em que, ao que consta, os referidos painéis, além de veicularem uma inverdade, foram confeccionado a pedido de um assessor de vereador ligado ao grupo palaciano. Dessa forma, cabe um pedido de indenização por parte dos vereadores "difamados" pela referida midia, que afirma, falsamente, serem eles os culpados pelos buracos que, na verdade, foram criados pela omissão do Poder Executivo. Além disso, considerando que o patrocinador das citadas placas pertence a gabinete de vereador, convém investigar a origem dos recursos que pagaram a veiculação daquela opinião (provavelmente, a "publicidade" foi custeada com recursos da tal verba indenizatória paga aos vereadores ou bancada por empresas interessadas em executar os serviços de recuperação das vias).

Segundo e, na minha opinião, mais grave, o Prefeito Municipal, mesmo sabendo das péssimas condições das vias, declarou que não irá tapar as crateras nelas existentes. Em outras palavras, o Chefe do Poder Executivo, a quem demos procuração para gerir a cidade, está simplesmente fazendo birra por não ter conseguido a aprovação do empréstimo. Como o próprio nome (birra) indica, trata-se de um ato extremamente infantil, visando a acabar com a paciência da população e a empurrar goela abaixo dos oposicionistas a aprovação de um empréstimo com base em projeto defeituoso e possivelmente lesivo aos cofres públicos. Não é essa, sinceramente, a ação esperada de um administrador da coisa pública.

Com essa guerra absurda, quem perde são os usuários das vias e a própria democracia. Aqueles porque continuam se sujeitando a acidentes e danos ao trafegar por aquelas importantes elos entre as rodovias que cortam o município. Esta última porque o que se vê por parte dos governantes de ocasião é justamente a prática de atos lesivos ao jogo democrático. Afinal, quem entra nessa peleja pode até não se conformar com a derrota num processo legislativo, mas jamais poderá fugir ao debate técnico e político proposto pelos três vereadores contrários ao empréstimo nas atuais condições.

Raio-X sempre atual do Brasil

"É algo aterrador... ouvir os crimes monstruosos que se cometem diariamente e escapam sem punição....Não importa o tamanho das acusações que possam existir contra um homem de posses, é seguro que em pouco tempo ele estará livre. Todos aqui podem ser subornados. Um homem pode tornar-se marujo ou médico, ou assumir qualquer outra profissão, se puder pagar o suficiente. Foi asseverado com gravidade por brasileiros que a única falha que eles encontraram nas leis inglesas foi a de não poderem perceber que as pessoas ricas e respeitáveis tivessem qualquer vantagem sobre os miseráveis e os pobres."

Extraído do diário do naturalista Charles Darwin com base em anotações feitas sobre o Brasil e os brasileiros, durante sua passagem no Rio de Janeiro em 3 de julho de 1831.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Ano Novo, Práticas Velhas

A criatividade dos nossos políticos não tem limites. Ou o céu seria o limite? Céu ou inferno?!Bem, se não bastassem os altos salários, acrescidos de diversas verbas ditas indenizatórias (passagens, correios, gastos com atividade parlamentar, etc.), nossos parlamentares ainda não estão contentes. Comprovando o quanto o pensamento político é capaz de voar, a idéia de um deputado federal (de um dos estados mais pobres da federação) é, simplesmente, comprar um jatinho para a Câmara. Eu concordo com a idéia, mas com uma condição: que, na solenidade de entrega do "mimo", com todos os parlamentares presentes, algum terrorista jogue esse jatinho, com o tanque cheio, no prédio do Congresso.Veja a reportagem:Deputado defende compra de jatinho de R$ 43 mi para a Câmara

Daniela Lima - Correio Braziliense

Publicação: 03/01/2010 07:22 Atualização: 03/01/2010 08:12

Ernandes Amorim diz que não quer mais pedir esmolas à FAB - (Carlos Moura/CB/D.A. Press)
Ernandes Amorim diz que não quer mais pedir esmolas à FAB
Para o deputado Ernandes Amorim (PTB-RO), as passagens e diárias pagas com o dinheiro do contribuinte ainda não são suficientes para bancar os trabalhos dos parlamentares. Ele quer mais. Pleiteia a compra de um avião. Ou de um jato, “tipo Legacy”, como sugeriu (um modelo executivo não sai por menos de US$ 25 milhões, ou cerca de R$ 43,5 milhões). O pedido extravagante foi feito em requerimento entregue à Mesa Diretora da Casa em 16 de dezembro e defendido na tribuna do plenário. Segundo o parlamentar, a aeronave serviria a ele e aos 512 colegas, que, diz ele, não têm condições de se locomover para desenvolver os trabalhos das comissões nos estados.
Fica difícil visualizar a dificuldade a que o parlamentar se refere analisando as cifras dos gastos da Câmara com diárias e passagens. Desde o início da atual legislatura, em 2006, as despesas com passagens da Casa nunca ficaram abaixo dos R$ 70 milhões por ano, segundo números do portal Siga Brasil. Em 2009, dos R$ 78,9 milhões empenhados na rubrica, R$ 33,5 milhões haviam sido pagos até o fim do ano. Com diárias — usadas para bancar despesas com hospedagem e alimentação dos parlamentares e seus assessores — outro R$ 1,4 milhão foi gasto em 2009.

Leia mais em: