quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A "Rodovia da Morte" e a Omissão

A BR 050 continua fazendo suas vítimas. Enquanto isso, os políticos continuam com vagas promessas de duplicação. E a sociedade? Bem, esta assiste a tudo pacientemente, apenas chorando as perda de entes queridos nas curvas mal traçadas e perigosas da rodovia.
Este tema é interessante, pois envolve a participação de segmentos sociais no destino da cidade e região. Em vez da omissão, a sociedade deveria participar ativamente de discussões sobre a questão e, mais que isso, exigir a resolução imediata do problema.
Trago um exemplo da importância dessa participação social. Uma rodovia provavelmente menos importante que a nossa 050 será duplicada em breve com a ajuda de empresários. Trata-se da BR 060, que liga Goiânia à cidade de Jataí, no sudoeste goiano.
Restam, assim, alguns questionamentos. Por que será que os empresários de lá têm interesse em custear parte dessa duplicação? Será que eles gostam de jogar dinheiro fora? É óbvio que não! A exemplo do que acontece aqui, a duplicação daquela rodovia trará inúmeros benefícios à economia da região. Por que, então, os fortes empresários uberlandenses, araguarinos e catalanos não se movem?

Um comentário:

Aristeu disse...

Os uberlandenses devem ter interesse que a BR tenha um ponto final ali, oriunda dos grandes centros. Catalão deve ter interesse de que a BR, oriunda de Brasília, termine a trafegabilidade ali na sua cidade. O pedaço que sobra é interesse exclusivo de Araguari? Parece.