sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Uma síntese da "política" brasileira

R$ 1 milhão para eleger um deputado federal no PSC

Do Estado de S. Paulo
''Quem não é alugado que atire a primeira pedra''

Dirigente afirma que seu partido aceita ''todo mundo'' em suas fileiras e, ''se tiver recursos, melhor''

De Leandro Colon:

O presidente do PSC, Vitor Nósseis, um dos fundadores da legenda em 1985, diz ser fundamental que um novo filiado tenha, além de potencial político, uma boa estrutura financeira para vencer a eleição.


"É sempre bom, né? Como vou dizer o contrário? Se os recursos forem lícitos, serão bem-vindos", afirma. Ele ressalta que a ideologia da legenda é "colocar o homem em primeiro lugar".


Como convencer um parlamentar a ir para o PSC? O que o partido oferece?

O partido não oferece, mas pede. Pede ajuda para que as pessoas se candidatem a deputado federal. A lei estabelece que o tempo de televisão e o fundo partidário serão divididos segundo o número de deputados. Primeiro a pessoa tem de simpatizar com a sigla e o símbolo, depois com as propostas, partindo do pressuposto do cristianismo, de que não segrega. Uma coisa ecumênica.
É importante que o deputado tenha um poder financeiro para ajudar o partido?

É sempre bom, né? Como vou dizer o contrário? Se os recursos forem lícitos, serão bem-vindos. Como vou fazer as coisas sem recursos? Num relacionamento entre marido e mulher, se o dinheiro sai pela porta, a mulher sai pela janela.

Vocês convidam ou o deputado se oferece?

Os deputados procuram mais do que são procurados.

Quanto um deputado precisa gastar para ser candidato pelo PSC?

De R$ 1 milhão para cima, com expectativa de vencer.

De onde vem esse dinheiro?
Deles, né? É o deputado que chega com o dinheiro.

Ou seja, para um deputado ser candidato pelo PSC tem que ter pelo menos R$ 1 milhão?

Sim, se ele quiser se eleger. R$ 1 milhão é o que falam à boca grande e pequena, mas depende do Estado, pode ser menos.

Não teme que o PSC seja taxado de partido de aluguel?

Quem não é alugado que atire a primeira pedra. Esses partidos são alugados de certa forma com vários cargos.

Mas no PSC o deputado chega com dinheiro e vira candidato...

Você tem recursos, gostou do partido, da proposta, tem recursos lícitos e vai ser candidato. Não tem problema nenhum. Aceitamos todo mundo. Se tiver recursos, melhor.

Qual é a ideologia do PSC?

Depois do criador, colocar o ser humano em primeiro lugar. Queremos participar do processo de tomada decisão de poder para colocar o ser humano em primeiro lugar. A caminhada faz o caminho. Uma caminhada tem que ser uma consciência concreta da minha proposta ideológica.

O que o PSC defende na política econômica?

Eu vou falar da boca para fora e não vai adiantar nada. Você quer que eu defina se sou de esquerda, direita, não é? Depende. Tem coisas boas nos dois lados. Eu penso a economia de uma forma rudimentar e primária. Tenho três valores: oferta, procura e real. Se eu quero comprar um celular, é um preço. Se você quiser me vender, é outro preço. E quando busco para comprar, tem um valor real. E partir daí tem que ir balizando as coisas.

Em relação ao pré-sal, o que pensa o partido?

Para falar a verdade, não me informei bem, porque está muito oba-oba. Vejo que o negócio está lá, enfiado, não sei quantos metros abaixo do fundo do mar, depois tem uma camada de sal e, depois, o petróleo. Esse petróleo será refinado de maneira econômica? Vou conseguir botar esse refinado para mover os veículos ou continuar comprando gasolina de fora?

4 comentários:

Aristeu disse...

Falar de esquemas, solidamente fora da ética, virou algo tão natural quanto confissões sexuais em saunas de clubes ou em parágrafos literários de Eros Grau.

Antonio Carlos Gomes Siqueira disse...

Há um grande engano em relação ao que o cara falou, na minha opinião. Ele disse o que todo mundo sabe. É preciso dinheiro para se eleger. Um Deputado Federal custa isso ou até mais. Quanto voces acham que o Mercadante gasta numa campanha. Ou o Suplicy. É muito dinheiro mesmo!Não tem nada de espúrio nisso. Nas condições existentes na eleição no Brasil esta é a realidade. Não tem amador , só profissional. Esse gasto vai desde o comite de campanha,as pesquisas, a televisão, o estúdio, o cara que faz o jingle, a turma da Internet, o marketeiro, o fotógrafo e um sem número de ajudantes , muitos deles voluntários.
Quer discutir por que é tão caro? Podemos começar com o voto obrigatório, mas existem muitos motivos. Um Deputado Federal, de Minas por exemplo, tem que percorrer o estado todo. São mais de 600 municípios. Como fazer isso? Sem grana? nem pensar.
Então amigos da rede globo......menos ....menos.

natal fernando disse...

Muito interessante “O sentido em que a informação flui” nas campanhas militares para a guerra, nas campanhas religiosas para conquistar fieis pela fé e agora na organização de outra atividade milenar, a atividade política, e do exercício do poder na era atual -http://www.demopart.com.br Talvez, em sentido paralelo, a sociedade também esteja desenvolvendo, de forma intensa, outra campanha para o resgate da ética, que também se pode dizer que é uma campanha política de natureza não partidária, mas praticada pela maioria da população não filiada a partidos políticos, mas que deve ser atentamente observada pelos que buscam o poder.

Aristeu disse...

Quem me dera se o custo dos nossos políticos restringissem apenas ao custo da campanha... Quem é rede globo?