domingo, 6 de setembro de 2009

Falta de transparência na Câmara de Vereadores de Araguari

Segundo informação do jornal Correio de Uberlândia, um vereador da vizinha cidade ganha R$ 8,7 mil por mês, acrescidos de R$ 9 mil de verba indenizatória. Isso para participar de dez sessões mensais, representando eleitores de uma cidade de mais 600 mil habitantes.
Enquanto isso, em Araguari, cidade seis vezes menor que a nossa rica vizinha, a única informação que se tem é que os vereadores recebem R$ 7 mil reais por mês para participar de quatro sessões. Não se sabe quanto os nossos nobres representantes gastam com a tal verba indenizatória.
Essa disparidade de números, de plano, nos permite concluir que os gastos da Câmara de Araguari não são razoáveis. Há uma desproporcionalidade salarial gritante quando se comparam o porte das duas cidades e o número de sessões mensais. Pior, a falta de transparência da Câmara de Araguari não nos permite saber quanto é a tal verba indenizatória e o que ela vem custeando.
Mesmo à mingua de informações claras do Legislativo araguarino, é possível perceber que a tal verba deve estar sendo formalmente gasta com o pagamento de assessoria, combustível, divulgação do mandato, etc. Muito provavelmente, não há prestação de contas desses gastos, sendo possível, inclusive, que parte desses recursos acabe caindo, por vias oblíquas, nos bolsos dos próprios vereadores.
São essas as ilações que podem ser feitas enquanto o Legislativo não for minimamente transparente. A propósito, na condição de cidadão, requeri essas informações da Presidência da Câmara de Vereadores de Araguari. Sinceramente, duvido que ela vá se dignar a responder ao meu pedido. Como eu ainda acredito em Papai Noel, Cuca e no Fluminense, não custa nada esperar...

2 comentários:

Aristeu disse...

Transparência é uma palavra apolítica a começar do modo de eleições secretas que fazemos.

Wilson José Prado disse...

Quem cuida, manuseia, trabalha com dinheiro público precisa dar satisfação ao povo. Em Araguari, a Câmara Municipal continua sendo uma verdadeira "caixa-preta". Até as publicações de extrato de contrato de serviços contratados pela Câmara são obscuras. Publicam todos os dados menos o nome da Câmara. Vide Diário de Araguari, pág. 04 de 11/09/09.