segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Concurso público... do outro lado do rio Paranaíba



Você tem padrinho na atual Administração? É parente de algum político? Foi cabo eleitoral de algum candidato na eleição passada? Se a sua resposta às três perguntas for negativa, você dificilmente conseguirá trabalhar no serviço público em Araguari.

Para a sua sorte, bem pertinho daqui, uma cidade em franco desenvolvimento estará realizando concurso público para o preenchimento de 104 vagas. É isto mesmo! Do outro lado do Paranaíba, em Catalão-GO, estão sendo oferecidas vagas para médicos, odontólogos, fiscal de obras, agente de fiscalização ambiental, fiscal de vigilância sanitária, técnico em laboratório e técnico em enfermagem. Além da consciência tranquila por não terem entrado no serviço público pela porta dos fundos, os aprovados receberão salários que vão de R$ 1.096,92 a 2.214,17, conforme o grau de escolaridade.

Para quem quiser dar adeus (ou uma "banana") aos políticos que trocam cargos por votos, o edital está disponível em: http://concursos.correioweb.com.br/documentos/20090821175626950.pdf

Boa sorte!

9 comentários:

Aristeu disse...

Você é meu amigo? Apaga esta postagem porque está aumentando a minha concorrência. Deixa o pessoal do além Paranaíba pra lá.

natal fernando disse...

Creio que o ritmo de crescimento de Catalão não se pode comparar com o de Araguari, mas não acredito que tenham políticos diferentes. Felizmente, com ou sem essas mazelas as duas vão crescer.

Aristeu disse...

O Prefeito de Catalão chama-se Velomar Rios, interessante nome pq parece um truque de palavrasemendadas, e ele é muito bom. Para o catalano, talvez perca apenas para aquele que o indicou - Adib Elias. Não esqueça nunca que em Política o melhor não é sinônimo de pureza.

Marcos disse...

Com certeza, Natal, as duas cidades estão crescendo.
Aqui, adoto uma filosofia do meu pai. Diz ele que os políticos não precisam ajudar Araguari a crescer; basta que não atrapalhem o crescimento (natural) da cidade. Afirma, ainda, que, quando os políticos ajudam, temos um desenvolvimento como o de Uberlândia.
Agora, acredito que, mesmo não sendo os políticos dos nossos sonhos, os administradores da cidade devem, no mínimo, tratar todos os cidadãos de forma igual. Por isso prezo tanto o concurso público, a redução de cargos em comissão, a redução do salário dos vereadores, o cumprimento efetivo da jornada de trabalho, principalmente, pelos médicos e outros profissionais de saúde do serviço público, etc. É um mínimo do qual não podemos abrir mão.

natal fernando disse...

Realmente, nesse mundo da administração pública não se pode desejar a pureza desejada nem pelas nossas belíssimas leis, mesmo com todos os fiscais nas ruas. Mas estamos caminhando para o cumprimento desses sonhos e cada vez mais os municípios vão se enquadrando aos deveres que o desenvolvimento econômico e cultural impõe aos cidadãos e seus administradores. O próprio aperfeiçoamento da legislação já amarra os atos do político ao cumprimento de regras de controle e a margem de manobra está cada vez menor para eles. Somos de um país novo em termos de administração pública e fomos obrigados a criar uma LEI de responsabilidade pública que é novíssima. Os administradores agora que começam a aprender a administrar dentro dos seus limites. Como a riqueza natural é abundante, felizmente ela criará as condições de qualidade de vida para todos apesar dos tímidos administradores. Dessa forma, Goiandira acabará colando em Catalão... Os Rios sempre vão em direção ao Mar...

Marcos disse...

Goiandira é grande! É impossível uma cidade onde more um tal de Aristeu ser uma cidade pequena. O coração dele é tão grande que não caberia em qualquer cidade.
A propósito, o mundo será muito melhor no dia em que todos os políticos tiverem, no peito, um coração de Aristeu.

Aristeu disse...

Marcos,

Gostaria que estas matérias fossem submetidas em apreciação pela Cientista Política mais próxima da gente. Um comentário dela pode nortear ou desnortear-nos.

natal fernando disse...

O Aristeu, que ainda não conheço, às vezes parece estar em posição de sentido, às vezes na posição de descansar e às vezes na posição acelerado marche, ou melhor, evidentemente continua impregnado das virtuosas qualidades adquiridas na caserna, estampando sempre o brilho do verniz social peculiar da nossa gente. De todo modo, humano como os políticos também são, mas sem pretender fazer comparações com essas raposas, também dele não podemos esperar que seja de elevada pureza. Mesmo sendo o melhor coração de Goiandira, foi lapidado pelas asperezas da vida país afora e, certamente, descobriu que para gerenciar uma cidade ou um grupo de soldados, o ócio ou a indolência é o pai de todos os males. Essa cidade é uma ilha de selecionada gente, mas como todas as demais cidades país afora, infelizmente também serão vítimas da televisão, da tecnologia da informação, etc. A esperança é que de tanta espiritualidade e devoção talvez as suas orações fervorosas consigam impedir que os políticos extingam a pureza desse povo de Deus. Se ao menos isso não for matéria de ciência política, devemos submeter o assunto ao Papa...

natal fernando disse...

Esclarecendo: não conheço Aristeu e conheço Goiandira.