sábado, 4 de julho de 2009

Pisadas de bola não araguarinas

O almoço não é de graça, mas o prato é cheio sempre....
1º Sarney: pego com a boca na botija em diversas ocasiões (como ele tem sede!), o nosso Senador continua sangrando e não quer largar o osso. Parece um cão sarneynto. Como escritor, deveria ter colocado a culpa no mordono e pronto!
2º Essa é velha! Rubinho Barrichelo. Há duas semanas, o nosso solerte piloto conseguiu chegar à frente do companheiro de equipe, mas ainda não foi dessa vez que ele conseguiu uma vitória. Rubinho me dá saudades do Airton Senna...
3º Lula: nosso letrado Presidente continua trocando os pés pelas mãos tanto aqui como lá fora. Aliás, como viaja o nosso Lula. Depois da aposentadoria, além dos benefícios que legamos aos ex-presidentes, Lula poderá ir à Lua usando as milhagens adquiridas durante o mandato. Agora, a pisada de bola do momento é a defesa do indefensável Sarney. Como bom nordestino, Lula deveria saber que não existem bodes expiatórios de bigode....
4º A Câmara, que acaba de inocentar o Deputado do Castelo. Acho que a Câmara foi até tímida. Poderia ter incluído verbas do PAC para reformar o tal castelo. Além disso, poderia tombá-lo, incluindo-o no patrimônio histórico nacional. Seria uma espécie de monumento à corrupção tupiniquim, uma pérola do anedotário nacional.
5º Nossos legislativos. Em todos os níveis, é justamente nesse período que antecede o recesso que os legislativos produzem os seus melhores excrementos, digo: atos. Nesses períodos, diante da iminência das merecidas férias e do esquecimento da mídia, são editadas as leis mais absurdas, absolvidos pelos conselhos de ética os maiores corruptos, autorizados os maiores rombos nos orçamentos. Um exemplo disso foi o nosso constitucionalista Michel Temer, que afirmou não ser possível punir o Deputado que pagou, com dinheiro público, passagens aéreas para a Galisteu (ela até merece...). Disse o Presidente da Câmara que, sob o ponto de vista ético, ele não poderia adotar nenhuma medida punitiva. Como seria bom se cada brasileiro pudesse colocar esses políticos no vaso sanitário e retirá-los do cenário com uma simples descarga...

Um comentário:

Aristeu disse...

Sarney faz bem o papel de marido infiel - nega sempre! O maior problema é que, depois de tanto tempo na política suja, pra ele e tantos outros, tais atos passam a ser éticos, necessários, verdadeiros e até justificáveis. No Brasil é assim: nós mesmos nos acostumamos com esta série de imprompéries.
Não aceito que mal falem do Rubinho, afinal, convenhamos que ele deva ser adepto do lema cristão: Os últimos serão os primeiros. Ele também me lembra muito o Ayrton Senna... quando pára nos boxes...
Não esperemos que o Lula se aposente para mandá-lo à lua. Ele tem que viajar e muito - Já pensou defecando o tempo todo no mesmo local?
Este negócio de castelo pega mal mesmo, ainda mais que a Monarquia não mais existe por aqui. O fato de ter um castelo não desabilita nosso parlamentar. Se a Câmara o inocentou também devemos ceder afinal são nossos legítimos representantes e assinamos tal procuração... Burrice nossa então...
Como somos o País do futebol podemos levar ao campo político as mesmas táticas de dentro das quatro linhaso. Quem é que não gosta de fazer um gol no adversário no último minuto? Jogada simples e eficaz. Quanto à descarga sanitária política não é medida conveniente. Sabe-se tecnicamente que o esgoto deve ser tratado antes de remetê-lo ao meio ambiente. Nós não nos livraríamos dos mesmos, ao contrário, poluiríamos todas as nossas bacias e talvez os oceanos.
Quanto à Adriane do Aristeu fique sabendo que lugar de estrela é no céu e, se o recurso é público, também é meu e está autorizada a despesa. kkkk