sábado, 4 de julho de 2009

Pisadas de bola locais

Faltaram as pisadas de bola da semana passada. Vamos cumulá-las. Vamos separá-las por nível: locais e as demais.
Locais:
Marcão: nosso Prefeito, descumprindo promessa de campanha, resolveu manter a terceirização dos serviços de coleta de lixo e limpeza urbana. Pior: fez isso sem licitação e, aposto, sem comprovar previamente que a terceirização é mais econômica que a prestação direta do serviço. É impressionante como os governos se sucedem sem que se altere a prática administrativa. Talvez os reais detentores do poder sejam os donos das empreiteiras e só mude o boneco do ventríloquo.
2º Câmara de Vereadores: até agora, a Câmara não instalou a CPI do Hospital Muncipal. Isso demonstra uma total incapacidade de fiscalizar. Parece que a moda agora na Câmara é a realização de audiências públicas. Daqui a pouco, teremos uma para tapar buracos na ruas ou pedir a capina de canteiros de avenidas.
3º Câmara e Marcão: além da ausência de investigação pelo não- funcionamento do Hospital Municipal, ambos nem sequer falam da questão da Home Care, aquele empresa que geriu o fornecimento de remédios na gestão passada. Ao que parece, a única cidade onde essa empresa não cometeu crimes foi em Araguari. Como estamos cercados por represas, Araguari é mesmo uma ilha.
4º Parte da imprensa de Araguari: Jornais (Correio de Araguari, Contudo e Acontece) e Rádio Onda Viva estão sendo usados principalmente para fins eleitoreiros. Com isso, prestam um desserviço à população, veiculando informações tendenciosas e, por vezes, mentirosas. É preciso que se faça algo para acabar com essa postura inconseqüente. Pior: não se exige mais diploma para jornalista e a Lei de Imprensa é inconstitucional.
5º Câmara de Vereadores: nossos edis já estão de recesso. Depois de participarem de 24 sessões e de receberem 42 mil reais no primeiro semestre, nossos combativos vereadores ganharam um merecido descanso. Deveriam fechar totalmente a Câmara nesse período. Quem sabe, assim, ela seria útil. Pelo menos, não teríamos gastos com cafezinhos, internet, etc.

6 comentários:

Aristeu disse...

Amigo Marcos, promessas de campanha podem ser cumpridas até o fim do mandato, não há a necessidade do imediatismo. De imediato é muito difícil. A desmamada se faz gradativamente. O lixo, por exemplo, o trâmite de um sistema desonesto a um outro, com certeza, desonesto também, pode deixar a cidade sem a devida coleta e lixo, sem recolher, um dia sequer, já causa repulsas.
Audiência Pública é um ato democrático de grande valia, às vezes exime a necessidade de apurações desgastantes e sem resultados aparentes. Pode dar origem a atos administrativos mais eficazes e de efeito imediato, porque prender, tomar bens, cassar, são punições por demais severas e de difícil cumprimento.
É bem possível que a tal "Home Care" não tenha cometido crimes em Araguari, pois ela pode ser de lá. Morei em Realengo, RJ, e os bandidos, que eram de lá, só roubavam noutros lugares. Em casa não se costuma roubar.
Quanto à Imprensa, apesar de haver profissionais da área, normalmente os patrões são políticos e são a eles que os empregados devem satisfazer. Você ja tentou liberar uma rádio comunitaria? Pode ter certeza que o Senado, juntamente com a ANATEL, só fazem a maioria das concessões políticos, então fica difícil não tê-los como principais clientes.
Se os vereadores araguarinos fizeram 24 sessões, eles estão de parabéns, porque na minha cidadela foram feitas somente 14 atas, com faltas e atrasos equitativamente distribuidos.
Durma com um barulho desses.

Aloisio Nunes de Faria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aloisio Nunes de Faria disse...

Ô Aristeu, para seu controle esse atual governo já entrou desmamado e os bezerrinhos que ficaram - se sobrou algum - ou já foram para o pasto ou estão de regime. A informação sobre a manutenção da terceirização, está correta apenas em parte. A verdade é que o governo já realizou 75% de economia com empreiteiras. O prefeito explicou bem claramente porque não acabou com tudo. A queda de arrecadação em maio foi de 20% e em junho de 31%. Esta tem sido a causa. Vi e chequei esta realidade com meus próprios olhos. Portanto, é a falta de dinheiro e não de leite que provoca o adiamento temporário do fim deste câncer que roeu as finanças do município nos últimos oito anos. Por outro lado, defendo que o governo deve manter a contratação da coleta do lixo. É o único serviço que funciona 100% bem em Araguari. Só precisa continuar mantendo a fiscalização, como vem fazendo.

Marcos disse...

Como sempre, o Aloísio traz informações importantes.
Dificilmente, eu mudaria minha opinião contrária á terceirização. O motivo é simples: o argumento de que o Estado (em qualquer nível) não executa bem esses serviços vale, também, para a fiscalização e regulação. Em outras palavras, se o Estado executa mal, por que seria eficiente na fiscalização?
Essa mudança de política (opção pela terceirização), de plano, traz algumas dúvidas: i) para aonde foram os antigos servidores que trabalhavam na limpeza? ii) igualmente, onde estão os antigos equipamentos públicos usados no serviço?
As respostas são simples. Os servidores estão desviados de função, provavelmente fazendo aquilo para o que não foram admitidos ou treinados. Os equipamentos foram sucateados (intencionalmente?!) ou vendidos a preço de banana.
Eu sei perfeitamente que não se muda esse quadro da noite para o dia. Entretanto, em 25 anos de serviço público, sempre vi essas questões sendo empurradas com a barriga. Há sempre a alegação de que não houve tempo para mudar a forma de prestar o serviço ou para fazer a licitação. Afirma-se ainda que o encerramento do contrato irá gerar desemprego, etc.
Quanto à qualidade dos serviços e da fiscalização, não tenho como concordar ou discordar do Aloísio, pois não tenho passado muito tempo em Araguari. Contudo, de cara, já discordo de a coleta ser feita em dias alternados. Por exemplo, se um casal de idosos (meus pais, por exemplo) esquecerem de colocar o lixo na rua no dia certo, terão que conviver com ele por quatro dias.
Por fim, deixo uma dúvida que sempre me atormentou nessas terceirizações. Depois de certo tempo de prestação desses serviços, a Administração (normalmente os tribunais de contas) acabam descobrindo que o dinheiro gasto com essas empresas daria para comprar os equipamentos, fazer as devidas manutenções, contratar e pagar os empregados públicos e ainda sobraria dinheiro e os próprios equipamentos. Temos casos absurdos aqui em Brasília, em que foram desviados centenas de milhões.

Aloisio Nunes de Faria disse...

Quais os antigos servidores a que vc se refere no ítem i)? Existiam? Quanto aos equipamentos, consta que foram vendidos em leilão às empreiteiras como sucatas. Com os fantasmas e os equipamentos leiloados, consta que teve gente que ficou rico em Araguari, passando de simples peão para o status de empreeiteiro da noite para o dia.

Marcos disse...

Aloísio, você tocou novamente em pontos importantes.
Não sei se existia uma carreira própria do pessoal da limpeza urbana, mas com certeza alguns funcionários municipais faziam esse serviço antes da terceirização, que, diga-se de passagem, começou no governo anterior.
Sobre os equipamentos, existem vários comentários na cidade de que foram vendidos a preço de banana. Pior, dizem que foram posteriormente locados à Prefeitura no governo anterior.
Aqui, entra um ponto complicado. Todo servidor que tiver conhecimento de irregularidade deverá comunicá-la a quem de direito ou adotar as medidas de sua competência. Esse é o mal do governo atual: que eu saiba, até agora, ninguém levou o assunto às instâncias devidas (Ministério Público, Tribunal de Contas, etc.).
É óbvio que esse pecado é muito menor do que os que foram cometidos no governo anterior. Entretanto, não deixa de ser um pecado.
Concordo com o Aristeu quando ele disse, ao comentar outro post, que o mais importante é botar o negócio para funcionar. Contudo, convém lembrar que, além de oferecer um bom serviço de agora em diante, é importante recuperar os prejuízos causados aos cofres públicos pelos antigos gestores.
Por fim, quero dizer que procuro ser o mais imparcial possível em todas as opiniões que posto aqui. Se, por acaso, não estou questionando tanto a gestão anterior é porque só comecei a acompanhar a gestão municipal com mais atenção a partir deste ano. Na condição de apaixonados por Araguari, temos a obrigação de lutar por uma cidade mais justa, sem privilégios indevidos, obviamente.