quinta-feira, 23 de julho de 2009

Não precisa explicar; eu só queria entender...


Só estou tentando entender....

1. Será que vale a pena restaurar esses imóveis da extinta RFFSA e adaptá-los para uso de órgãos públicos? Qual o custo disso? Por serem imóveis antigos, os custos de adaptação e manutenção não são altos? Quanto foi gasto na restauração desses bens e quanto teria sido gasto na construção de uma sede própria para a Prefeitura? Se a intenção é economizar, por que, ainda, permanece a Prefeitura locando imóveis pela cidade?

2. Se o motivo da não-realização de licitação para alugar o prédio pertencente ao Clube Recreativo Araguarino foi o fato de o imóvel se adequar perfeitamente às necessidades da Administração Pública, por que ele ainda tem que passar por reformas? Por que essas reformas/adaptações tem que ser custeadas pelo erário? O preço dessa adaptação está sendo abatido dos aluguéis? Quando da devolução do bem, a Prefeitura (entenda-se: o cidadão-contribuinte) terá que arcar com as despesas necessárias a que o imóvel retome sua concepção original?

Um comentário:

Aristeu disse...

Tenho a prova plena de que construir um imóvel novo é uma ação muito mais cautelosa e econômica que restaurar. Dar vida a dinossauros só mesmo na sétima arte. A coisa de gestão pública é tão interessante que um imóvel, por aqui, foi doado pela prefeitura a um clube de futebol e o clube nada fez no local, agora, para retomada do imóvel, haverá desembolsos do dinheiro público, acredite se quiser.