sexta-feira, 31 de julho de 2009

Infância morta.

Os absurdos, de tão comuns, já não chocam a maioria das pessoas. Este caso, contudo, vai um pouco além. Apesar de ser comum, nas grandes cidades, ver crianças trabalhando nos lixões, à desumanidade dessa cena aliou-se a estupidez da morte. Definitivamente, não podemos achar normal aquilo que não.
Menino adormece e morre esmagado
Com frio depois de catar entulhos, Carlos André cobriu-se com papelão em meio à escuridão; trator passou por cima de sua cabeça
| MAURÍCIO GONÇALVES - Repórter
Aos 12 anos de idade, Carlos André Silva Santos passou a noite trabalhando no Lixão de Maceió e dormiu lá mesmo. Não acordou. Foi esmagado por um trator às 4h da manhã de ontem.
O motorista da máquina que compactua o lixo garante que não viu o menino quando deu marcha a ré. Na escuridão, Carlos tinha se coberto com papelões para se proteger do frio, e o pneu passou por cima da cabeça dele.
Esta morte chama a atenção para uma prática cada vez mais comum entre as crianças que moram nas favelas Vila Emater 1 e 2, entre Jacarecica e o Sítio São Jorge. Todas as noites, uma multidão de meninos sobe para trabalhar nas montanhas do lixo produzido pelos moradores de Maceió. A exploração do trabalho infantil faz parte da rotina deste que é o lugar mais nocivo da cidade.
fonte: http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=150528&ass=11&data=2009-07-31

Um comentário:

Aristeu disse...

Cruz credo! Criança vira lixo e nem reciclável é!