sexta-feira, 19 de junho de 2009

Ainda a saúde pública em Araguari...

Este tema é candente e, se depender da incompetência dos nossos políticos e administradores públicos, não sairá de pauta tão cedo.
Hoje, a notícia é, ao mesmo tempo, boa e ruim. Se, de um lado, mostra que o Legislativo araguarino consegue fazer coisas boas, de outro, demonstra que as coisas vão mal no Executivo.
Quero me referir ao Requerimento no. 1.312, apresentado, na sessão de 2 de junho passado, pelo Vereador Raul Belém, solicitando ao Chefe do Poder Executivo que seja colocado "em local visível para as pessoas os nomes, horários e especialidades dos médicos que atendem nas UBS e no Pronto Socorro, bem como em todos os lugares em que haja atendimento médico". Trata-se de medida extremamente salutar, tornando públicos os nomes dos médicos e os horários em que atendem em cada unidade de saúde.
Por outro lado, demonstra a total falta de gerenciamento e administraçao da saúde pública em Araguari. Afinal, era desnecessário gastar tinta e papel com esse requerimento se a Secretaria de Saúde já tivesse tornado públicas essas informações essenciais para que o cidadão saiba quem está atendendo ou não e, assim, possa escolher o que for melhor para o seu interesse, nao perdendo tempo em filas.
Além disso, essa medida tem outra inegável vantagem. É que, sabendo o horário de atendimento dos médicos, é possível verificar se determinados profissionais estão efetivamente cumprindo suas jornadas no município e se não estão acumulando cargos indevidamente. Exemplificando, um médico que, além de contratado do município, seja também servidor federal (do INSS, por exemplo) ou do município de Uberlândia não pode, por razões óbvias, estar em dois lugares ao mesmo tempo. Assim, constatado esse fato, o próprio cidadão poderá ajudar na fiscalização, denunciando o mau servidor a quem de direito.
Diante disso, espera-se que o Prefeito determine, com urgência, a afixação dessas informações nas unidades de saúde do município. Mais que isso, em nome da publicidade, da moralidade e da eficiência, aguarda-se que o Prefeito vá além, mandando publicar essas informações nos jornais dos municípios e veiculando-as nas emissoras de rádio da cidade e na internet. Seria, também, salutar que ousasse mais, determinando fosse feita a conferência, nome por nome, dos profissionais de saúde do munícipio, para verificar se nenhum deles acumula indevidamente cargos públicos (com incompatibilidade de horários, por exemplo).

2 comentários:

Aristeu disse...

O próprio prefeito, pra dar o exemplo, poderia afixar aos quatro ventos seus horários de atendimento e o local, ou seja, parte de sua agenda.

Marcos disse...

Verdade, Aristeu. Se somos funcionários públicos, as atividades que fazemos não sao nossas, o interesse que defendemos não é particular. Logo, o horário em que estamos à disposição das pessoas deve ser público, até para que elas saibam onde e quando poderá nos encontrar.