quarta-feira, 4 de junho de 2014

Pronto Socorro é alvo de mais reclamações


Fonte: TV Vitoriosa.

Pitaco do Blog

Quando o cidadão tem que procurar a imprensa para ter direito à saúde pública, é porque há algo de errado (aliás, de muito errado) está acontecendo na cidade. Em Araguari é assim. Faz tempo. Recorrer às vias normais não resolve. Numa cidade onde Prefeitura, Câmara de Vereadores e Ministério Público deixam a desejar, resta à imprensa (ou a parte dela) defender os interesses dos cidadãos. Agora, na hora de pedir votos...

Veja outros posts sobre problemas da saúde pública em Araguari clicando nos links abaixo:

O paciente vai morrer? Não posso fazer nada!






sábado, 31 de maio de 2014

Balança Araguari, "terra da piada pronta"!



Alguns políticos continuam insistindo em transformar Araguari na "terra da piada pronta". Quer um exemplo? Na sessão de terça-feira, 27, os vereadores Paulo do Vale e Lúcio Flávio (Queijeirinha), com o "apoio" do também vereador José Donizetti Luciano, apresentaram requerimento solicitando o envio de ofício ao senhor Mauro de Oliveira (Mauro Imóveis) parabenizando-o por "elevar o nome de nossa cidade e toda a região em contexto nacional, enfatizando as nossas qualidades tanto na área ambiental, cultural, como econômica e social". Eles se referiam ao "sucesso" feito pela "música" "Balança Araguari" no Youtube.

Meus caros vereadores, os senhores estão de sacanagem com a população?  Perderam a noção do ridículo? Pior: estão elogiando uma pessoa que deveriam estar investigando? 

Refrescando-lhes a memória. O senhor Mauro Imóveis criou uma empresa, ao que tudo indica, para ser "laranja" da empresa do seu filho, Márcio de Oliveira, proprietário da empresa Fivela de Prata (laranja é aquela fruta redondinha igual ao queijo de Minas). Curiosamente, a empresa foi criada logo após a eleição do prefeito Raul Belém. Desde o início do mandato do atual prefeito, esperta que nem um gato, a empresa do senhor Mauro Imóveis ganhou duas licitações na Prefeitura. A segunda delas foi a da organização do Carnaval 2014. Empresa de sorte, participou sozinha da licitação. Com um modesto capital social de R$ 5 mil, conseguiu um contrato de R$ 138,5 mil, fora as receitas que extraiu da festa. 

Esse assunto foi denunciado aqui no blog. Também foram encaminhadas denúncias ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, que investigam o caso. Na minha opinião, estamos diante de indícios da prática de crime, de ato de improbidade e de ato tipificado na Lei Anticorrupção. 

Se esses vereadores entendem que, em vez de ser investigado, o senhor Mauro Imóveis deve é ser elogiado, é porque concordam com esse tipo de conduta. Seriam todos farinha do mesmo saco? Essa conduta dos senhores me envergonha.


Clique aqui e leia o resumo do requerimento formulado pelos citados vereadores.
Clique aqui e leia o post sobre as suspeitas de irregularidades na contratação da empresa do senhor Mauro Imóveis para organizar o Carnaval 2014. A propósito, existem diversos outros posts sobre as irregularidades na realização desse e de outros eventos pela Prefeitura.
Clique aqui e leia a reportagem do Gazeta do Triângulo noticiando a abertura de processo no Ministério Público para investigar os gastos com o Carnaval 2014.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Moradores do Portal de Fátima reclamam de buracos nas ruas


Fonte: Linha Dura, TV Vitoriosa.
Pitaco do Blog

Mais do mesmo. É a incompetência da Prefeitura nos bairros. É a distribuição do "Bolsa-Cratera". A competência só aparece na hora de enfiar a mão no bolso do contribuinte. Além de cobrar impostos, o município de Araguari cobra a inconstitucional taxa de conservação. Esses tributos, em tese, deveriam servir para realizar manutenção nas vias públicas. Entretanto, servem somente para fazer mais um buraco nas finanças dos cidadãos araguarinos.


Portal de Fátima: moradores reclamam da cobrança de taxas


Fonte: Linha Dura, TV Vitoriosa.

Pitaco do Blog


Em Araguari, vigora o princípio da imoralidade tributária. O governo cobra os tributos que quiser, da forma que melhor lhe aprouver. Não conhece limites. Não se sujeita à lei ou a alguma espécie de fiscalização. Nem importa, como no caso das taxas de limpeza e de conservação, que algum serviço tenha sido prestado ao cidadão. No caso do Portal de Fátima, a reportagem escancara essa atuação patológica dos nossos governantes de ontem e de hoje.

Pior do que isso, as tais taxas de limpeza e de conservação são inconstitucionais. Taxas só podem ser cobradas pela prestação de serviços públicos específicos e divisíveis. A varrição, a capina e a conservação de uma via pública não são divisíveis, sendo, obviamente, usufruídas por todos os cidadãos. Não é possível, por exemplo, capinar a rua somente em frente ao imóvel de Fulano ou de Beltrano. Em uma cidade administrada honestamente, essas taxas não existiriam. Os serviços de capina, varrição e conservação deveriam ser pagos com o dinheiro dos IMPOSTOS. Nunca de taxas.

Mas, não pensem que somente o governo municipal é responsável por esse tipo de imoralidade tributária. Existem, também, os que pecam por omissão. Os órgãos de controle têm sua parcela de culpa. Falo da Câmara de Vereadores, que, em Araguari, é um poder submisso ao Executivo. Os vereadores, em sua maioria, vivem de joelhos perante o rei. Dizem que são da "base". Refiro-me, ainda, ao Ministério Público (MP). É desse órgão o dever de verificar a legalidade desse tipo de cobrança e a qualidade dos serviços prestados. Nas hipóteses de ilegalidade do tributo e de falta de prestação dos serviços, caberia ao MP ajuizar as ações judiciais cabíveis na defesa da ordem jurídica.


quarta-feira, 21 de maio de 2014

Curral eleitoral

Esta é a imprensa que temos em Araguari. Um jornal tentando vender a ideia de que somente os candidatos de Araguari são bons para a cidade. Pior: um jornal onde o principal colunista tem que pedir autorização do chefe para publicar os nomes daqueles candidatos considerados "sem futuro". Na visão do colunista e, por tabela, do jornal Gazeta do Triângulo, um candidato honesto e competente do PSol, por exemplo, não poderia se candidatar, uma vez que não teria condições de ser eleito e "roubaria" votos de outros candidatos da cidade. Deveria ser melhor "roubar" votos do que dinheiro público, penso eu.
"QUEM É QUEM?
Vou aguardar apenas a autorização da direção da Gazeta do Triângulo para citar aqui os nomes daqueles que estão pleiteando uma candidatura a estadual ou a federal, mas sem condição de vitória e, mesmo assim, não se preocupam com a cidade e atrapalham a votação geral. Vale lembrar que recentemente, por poucos votos não tivemos o nosso próprio eleito." Fonte: Radar, Gazeta do Triângulo, 20/5/2014.

sábado, 17 de maio de 2014

Blatter e a preguiça tupiniquim

Blatter, presidente da FIFA, disse que falta vontade de trabalhar ao brasileiro
 (Folha de S. Paulo, 17/5/2014)

Senhor Joseph Blatter, somos mesmo um bando de preguiçosos. Apesar de sermos esses seres "macunaímicos", trabalhamos o suficiente para, com o fruto do nosso suor, encher o bolso de dirigentes da FIFA (inclusive o seu) e de políticos e empresários desonestos, todos faturando alto com a Copa de 2014. O senhor pode-se considerar um cara de sorte. Como dizia um velho bordão humorístico: "brasileiro é tão bonzinho!". A maioria do nosso povo é pacífica e nem tem ideia do que rola por baixo dos panos nessas negociações entre a FIFA e os políticos brasileiros. Se a população "soubesse da missa a metade", com certeza o senhor não teria condições de colocar os pés no chão brasileiro. Aliás, nem haveria Copa nem o suado dinheiro público iria para o para os ralos das prioridades invertidas e da corrupção.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Desabafo

Além dos comentários nos posts, o blog recebe algumas mensagens via e-mail. Preservando a fonte (para evitar algum tipo de retaliação), vou reproduzir algumas aqui para que tenhamos uma ideia do que pensam os cidadãos araguarinos:

"É uma vergonha mesmo essa porcaria de governo onde existem tantos cargos de assessor especial com salario de 3 a 4 mil reais e muitos cargos que ocupados por quem não é concursado não têm ensino fundamental completo, e tem q ser amigo do prefeito ou vice, tem é que falar mesmo denunciar esses ladrões porque quem trabalha ganha é salário comum."

"Desde que me entendo por gente, o pronto socorro de Araguari nunca prestou, só que agora com a nova administração piorou mais ainda. A nossa cidade está a beira de um colapso, a saúde então...nem se fale. Realmente não sei o que será da nossa população daqui em diante com tanta sujeira jogada embaixo do tapete quem vem se desvencilhando mais e mais ..."

"Então meus amigos, como anda o transporte coletivo em Araguari, esta 100%? Já FORAM IMPLANTADAS NOVAS LINHAS? OS HORÁRIOS FORAM AMPLIADOS? Cadê o combatente Observatório que não apresenta novas criticas?"

"Venho mostrar minha indignação com esta gestão municipal de nossa cidade. Este prefeito que nada está fazendo com os impostos que pagamos, também esta cambada de vereadores que aceitaram extorquir o cidadão brasileiro. Aqui também, a exemplo de Brasília, está repleto de bandidos."

QUESTIONAMENTOS RELEVANTES SOBRE ARAGUARI

coluna "VISÃO JOVEM"
QUESTIONAMENTOS I


- Na condição de jovem cidadão araguarino interessado no desenvolvimento efetivo da cidade que me viu nascer, faço alguns relevantes questionamentos.
- Vocês, meus prezados conterrâneos araguarinos, já procuraram saber se os “pretensos candidatos ao cargo de Deputado Federal ou Estadual” já efetuaram relevantes realizações em prol do desenvolvimento de Araguari? Já pesquisaram se eles possuem a imprescindível ficha-limpa?
- Tendo em vista que o ex-prefeito de Araguari/MG Marcos Alvim; conforme noticiado em diversos meios de comunicação; já foi denunciado por improbidade administrativa e por crimes cometidos durante a construção do Hospital Municipal previstos no Código Penal Brasileiro (artigos 299 e 312), na Lei 8.666/93 (Lei de Licitações – artigo 92) e na Lei 201/67 (Lei dos Prefeitos – artigo 1º, I e XI); e tendo em vista que ele, o ex-prefeito Marcos Alvim, parece ser “pretenso pré-candidato” ao cargo de Deputado Federal, questiono respeitosamente: qual foi o desfecho desses processos que envolvem “assunto público tão relevante”? Os referidos processos já transitaram em julgado? Qual foi a decisão emanada pelo Poder Judiciário para o caso do “inutilizado/inutilizável Hospital Municipal”? Como se portaram os vereadores naquela época em que foi “inaugurado” o “Hospital Municipal inutilizável”? Tais vereadores foram omissos? Algum deles é “pretenso candidato” atualmente? Respeitosa e cordialmente, peço que me respondam.


***


QUESTIONAMENTOS II


- Prefeito de Araguari, cordial e respeitosamente pergunto-lhe: quantas pessoas ocupam “cargo comissionado” no Governo municipal vigente? Qual o exato valor do gasto de verba pública para pagar o salário destes referidos “comissionados”?
- Prefeito de Araguari, cordial e respeitosamente pergunto-lhe novamente: qual foi o valor exato do gasto de verba pública utilizada na realização do Carnaval Araguari 2014? E qual foi o valor exato da verba investida em saúde pública no mesmo período da “folia carnavalesca”?
- Senhores membros do Poder Legislativo municipal e detentores de cargos no Poder Executivo municipal, por gentileza, me respondam: até quando aquele enorme espaço, situado adjacente ao atual Pronto-Socorro (que deveria ser o Hospital Municipal) continuará inutilizado? Qual foi o valor exato de verba pública gasta na construção daquela edificação? Quanto tempo ela está inutilizada e quanto tempo provavelmente ficará?
- Senhores membros do Poder Legislativo municipal e detentores de cargos no Poder Executivo municipal, por gentileza, me respondam mais uma vez: Araguari realmente perdeu a oportunidade de ter um “Frigorífico de Peixes”?
- Prezados conterrâneos, respondam-me, por favor: por que Uberlândia (que possui quase a mesma idade da nossa querida Cidade Sorriso) cresceu tanto e Araguari não conseguiu crescer, desenvolver, evoluir na mesma proporção? Qual o motivo desta desdita, deste grande infortúnio?
________________________
* Rafael Kesler. Araguarino, 24 anos, bacharelando em Direito, licenciando em Letras, premiado por duas vezes consecutivas no Concurso Nacional de Contos Abdala Mameri, colunista do jornal Diário de Araguari. 
Contato: rafaelkesler1234@hotmail.com

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Prefeitura e imprensa: relações nebulosas

Da coluna "Em Resumo", Gazeta do Triângulo, 14/5:


"TEMPO NEBULOSO
Algo muito estranho está acontecendo pelos lados do Palácio dos Ferroviários. Alguns funcionários do primeiro escalão estão amordaçados para repassar informações para a imprensa araguarina ou parte dela. Enquanto existe grande favorecimento para alguns órgãos de comunicação, outros passam muita dificuldade para receber míseras informações sobre as ações realizadas pelo povo palaciano. Qual seria o motivo de tal favorecimento e da mordaça? Com a palavra os responsáveis…"

Pitaco do blog

É de causar estranheza esse tipo de informação. Não pelo fato (favorecimento) em si. Mas, pelos supostos discriminados. Ora, a Gazeta do Triângulo, o maior jornal da cidade, está longe de receber tratamento discriminatório negativo por parte do poder público, em especial por parte desse "governo" que aí está. Senão, vejamos.

O Gazeta do Triângulo (Araguari Comunicações Ltda.) tem bons contratos com a Prefeitura. É o responsável pela publicação dos resumos de atos e contratos oficiais. Foi, ainda, contratado para fornecer 30 (trinta) assinaturas anuais à Prefeitura Municipal. Há ainda relatos de que profissionais desse veículo é que recebem informações privilegiadas de integrantes do governo.

Ademais, um episódio recente mostra que a discriminação existente não prejudica o jornal, mas sim outros veículos de comunicação, sabidamente mais independentes. No mesmo contexto em que a jornalista Leilamar Costa, Rádio Alternativa FM, foi destratada pelo secretário de Governo, Oliro Júnior, sendo impedida de entrevistar o prefeito, Raul Belém, uma outra jornalista teve melhor sorte. Refiro-me a Talita Gonçalves, curiosamente integrante do Gazeta do Triângulo, que, mesmo sem agendar a tal entrevista, foi bem recebida pelo referido secretário no gabinete do prefeito.

Enquanto presidente da APROCIMA, o senhor Márcio Marques deveria-se preocupar com o que realmente é importante. Falo, especialmente, das promíscuas relações entre o poder público e alguns veículos de comunicação social. Está na hora de abrir essa "caixa-preta". Por que jornalistas estão tendo seus direitos cerceados? Por que são ameaçados por agentes politicos impunemente? Por que alguns jornalistas têm informações privilegiadas devido à proximidade com os poderosos e por ocuparem cargos de confiança no serviço público? Por que as licitações para contratar serviços de publicação de atos oficiais contêm exigências para afastar determinadas empresas? Por que o poder público não divulga os valores pagos aos diversos veículos de comunicação social via contratos de publicidade e propaganda? Por que a Prefeitura adquire, sem licitação, assinaturas de determinados jornais e não de outros? Por que, enfim, a APROCIMA não veio a público repudiar, institucionalmente, as condutas do prefeito, Raul Belém, e do dito cujo secretário por suas condutas agressivas contra profissionais de imprensa da cidade?

Clique aqui e veja o video em que o prefeito, Raul Belém, faz ameaças ao jornalista Anderson Magrão, da TV Vitoriosa.

Clique aqui e veja a entrevista concedida pela jornalista Leilamar Costa à Rádio Onda Viva, relatando a forma desrespeitosa como foi tratada pelo secretário de Governo, Oliro Júnior.

Vieno: melhorias, por ora, só no papel




Pitaco do Blog

A reportagem fala de obras anunciadas, mas não realizadas. A questão não é bem assim. As obras não foram realizadas na extensão prometida no outdoor. Isso, contudo, não muda o panorama final, que é de abandono aos moradores do Bairro Vieno.

No final da gestão Marcos Coelho, o município anunciou o asfaltamento de algumas ruas daquele bairro. Apenas algumas vias. Não todas. Pavimentar as ruas do bairro é, sem dúvida, uma ótima medida. À época, questionamos não o asfaltamento em si mesmo, mas a ausência dos serviços de drenagem profunda (galerias pluviais). A drenagem das águas pluviais é medida prévia à pavimentação e essencial, sobretudo pelas condições geográficas do bairro. Naquela localidade, a simples construção de sarjetas e meios-fios não resolverá o problema dos alagamentos, sobretudo após a impermeabilização das vias. Como dito, o panorama final não  mudou: os serviços foram mal feitos (incompletos e sem drenagem).

Na gestão atual, já foi alardeado o asfaltamento do restante do bairro. Primeiro, a Prefeitura conseguiu aprovar, na Câmara de Vereadores, a toque de caixa e sem o estudo necessário, a autorização para obter um empréstimo junto ao governo federal a fim de realizar as obras. Agora, na sexta-feira, 9/5, obteve aprovação para contrair outro empréstimo, agora junto ao governo estadual, para realizar os mesmos serviços.

Resta-nos aguardar a solução definitiva dos problemas dos moradores sofridos do Bairro Vieno. Não custa lembrar: o asfalto, por si só, não irá melhorar a qualidade de vida daqueles cidadãos. Fazem-se necessárias outras benfeitorias urgentes: drenagem pluvial, coleta de esgoto, iluminação das vias faltantes, equipamentos urbanos essenciais (escolas, posto policial, posto de saúde, área públicas de lazer, etc.). Além disso, o que se tem, por hora, são somente autorizações para obtenção de empréstimos. Falta concretizar os projetos.

Clique aqui e leia nossos questionamentos quanto às falhas no projeto de asfaltamento de algumas ruas do Vieno na gestão anterior.

Clique aqui e veja nosso post sobre os problemas de alagamento de vias no Vieno que continuaram mesmo após o asfaltamento (sem a devida drenagem pluvial).

Clique aqui e veja a notícia veiculada na imprensa local sobre o empréstimo junto ao governo federal para o asfaltamento de ruas do Vieno na gestão atual.

Clique aqui e veja a recente Lei nº 5.385/2014, que autorizou a Prefeitura a obter empréstimo junto ao Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais para asfaltar as vias do bairro.




quarta-feira, 14 de maio de 2014

Caos na saúde: vereadores confirmam irregularidades no PSM

Lista feita por médicos com os principais problemas constatados no PSM. Essas falhas, no final das contas, acabam prejudicando a parte mais fraca: os usuários do SUS.

Deficiências no atendimento da saúde pública levaram o prefeito, Raul Belém (PP), o vice-prefeito, Werley Macedo (PDT), e os vereadores Wesley Lucas de Mendonça (PPS) e Eunice Mendes (PMDB) ao Pronto Socorro Municipal (PSM) no início da tarde de terça-feira, 13. De acordo com informações recebidas de usuários e de profissionais de saúde, em vez de quatro, apenas dois médicos atendiam no local. Além disso, outros problemas foram relatados aos agentes políticos: falta de medicamentos, demora no atendimento (pacientes esperando há mais de 4 horas para serem atendido), insuficiência do espaço físico destinado aos profissionais de saúde, baixa remuneração dos médicos.

Ouvida pelo jornal Observatório, a vereadora Eunice Mendes, integrante da Comissão de Serviços Públicos da Câmara, afirmou que as informações passadas por médicos, servidores e usuários do PSM são convergentes. Confirmam a ocorrência de diversos problemas na gestão e funcionamento daquela unidade. Entre as falhas, a vereadora destacou a falta de medicamentos, ocasionada, segundo ela, pela demora na realização de licitação. Lembrou o caso da licitação anulada no ano passado em razão de possíveis fraudes praticadas por investigados pela Operação Tarja Preta. Por fim, a vereadora disse que solicitou o comparecimento da secretária de Administração, Mirian de Lima, à Câmara para falar sobre os atrasos nas licitações e irá encaminhar uma denúncia ao Ministério Público relatando os problemas verificados no PSM.

Também entrevistado na ocasião, o vereador Wesley Lucas de Mendonça, presidente da Comissão de Serviços Públicos e membro da Comissão de Saúde da Câmara, reconheceu que a população está sendo penalizada em razão dos problemas recorrentes da saúde pública. Afirmou, ainda, que irá se reunir com as secretárias de Saúde, Lucélia Aparecida Vieira Rodrigues, e de Administração, Mirian de Lima, para tentar solucionar o problema da falta de medicamentos e outros produtos essenciais na Saúde, ocasionada pela demora nos processos de licitação.

Os problemas do PSM parecem não ter fim. Vejam alguns de nossos posts sobre o assunto:
- Fevereiro de 2011, aparelho de mamografia do PSM é encontrado "escondido" em um galpão da Prefeitura. Enquanto isso, as mulheres ficavam sem o exame, mas a Prefeitura pagava pela manutenção mensal do equipamento parado (clique aqui).
- Abril de 2011, servidora Mirian de Lima, ex-diretora do PSM e atual secretária de Administração, denunciou o mau atendimento naquela unidade e irregularidades na execução de contratos de compra de refeições e na manutenção de mamógrafo (clique aqui)
- Dezembro de 2011, no bojo das apurações das irregularidades ocorridas no PSM, veio a público a informação de possível omissão de servidora, que afirmou não poder fazer nada para evitar a morte de pacientes no local (clique aqui).
- Junho de 2012, o aparelho de raio-x daquela unidade estava quebrado (clique aqui).
- Março de 2013: veio a público a notícia da contratação irregular de servidores (funcionários informais) no PSM (clique aqui).
- Abril de 2013: servidora denunciou a existência de larva de mosca varejeira na refeição servida aos funcionários do PSM (clique aqui).
- Maio de 2013: faltam médicos no PSM (clique aqui) e pacientes reclamam do mau atendimento na unidade (clique aqui).
- Janeiro de 2014: paciente passa 3 dias "internada" no PSM e demora na realização de exames (clique aqui).



Santiago: moradores querem melhorias em ruas



Fonte: TV Vitoriosa

terça-feira, 6 de maio de 2014

Fátima: moradores cobram infraestrutura



Pitaco do blog


As raspas de asfalto foram mero paliativo. Mesmo assim, foram exploradas politicamente como se fossem um grande benefício aos moradores. Obviamente, o produto foi seletivamente usado nas regiões mais carentes da cidade. O resultado aí está. As vias já estão esburacadas. O povo continua esperando o asfalto de verdade.

Já falamos deste assunto aqui:



segunda-feira, 5 de maio de 2014

CAMPANHA: VAMOS DESCARTAR POLÍTICOS RUINS?


Rafael Kesler*




Época de eleição chegando, portanto, vamos falar de política.

Assim como o fétido lixo é e deve ser descartado; homens e mulheres que precariamente exercem a política também podem e devem ser descartados de seus respectivos mandatos. 

O leitor pode perguntar: não seria esse termo “DESCARTAR” muito forte, violento, agressivo? Respondo convicto: não. É designação verdadeiramente apropriada quando colocamos em consideração o mal que a “política insatisfatoriamente praticada por pessoas indubitavelmente sem caráter e/ou incompetentes” causa na vida de milhares e milhares de brasileiros. 

Detentores de mandatos eletivos que não satisfazem os interesses do povo e que desrespeitam escancaradamente os preceitos do nosso arcabouço jurídico são mais lesivos que armas de fogo, SIM. Suas danificas ações ou perniciosas inações literalmente podem matar, prejudicar ou ferir incontáveis indivíduos no cotidiano oprimido deste país gigantesco e desestruturado. 

A lógica é a seguinte: “políticos e mulheres políticas descartáveis” não se preocupam com estradas e rodovias esburacadas, sem infraestrutura e perigosas, portanto, pessoas morrem frequentemente nesses locais; “políticos e mulheres políticas descartáveis” não se preocupam em resguardar a segurança da população, portanto, o índice de criminalidade só cresce, de forma vertiginosa, e, como conseqüência, pessoas morrerem ou são feridas diariamente nas desorganizadas ruas, estradas e rodovias deste violento Brasil (onde parece prevalecer a fórmula preconizada por Hobbes, o homem é o lobo do próprio homem); “políticos e mulheres políticas descartáveis” não se preocupam com o estado de saúde da sociedade, portanto pessoas morrem ou tem suas condições agravadas nos desumanos e defasados hospitais, “postinhos” e pronto-socorros brasileiros. 

Pessoas morrem por causa dos “políticos e mulheres políticas descartáveis”. 

Pessoas sentem-se vulneráveis e inseguras por causa dos “políticos e mulheres políticas descartáveis”. 

Pessoas são prejudicadas diariamente pelos atos ou omissões dos “políticos e mulheres políticas descartáveis”. 

Ora, por qual motivo então eu não faria a seguinte proposta, ou melhor, o seguinte convite: “VAMOS DESCARTÁ-LOS DA VIDA POLÍTICA?!”. 

Se você está cansado de ver “políticos e mulheres políticas descartáveis, descarados, desavergonhados” tentando se reeleger ou mesmo serem eleitos, faça o seguinte: não permita que isso aconteça. 
________________________ 

* Araguarino, 24 anos, bacharelando em Direito, licenciando em Letras, premiado por duas vezes consecutivas no Concurso Nacional de Contos Abdala Mameri, colunista do jornal Diário de Araguari (às terças, quintas e domingos). 
Contato: rafaelkesler1234@hotmail.com

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Falhas no atendimento no Posto de Saúde do Maria Eugênia






Acreditem se quiserem. O atual prefeito, Raul Belém, quando era vereador, apresentou um requerimento no sentido de que as unidades de saúde passassem a ter um cartaz afixado na entrada contendo os nomes e o horário de atendimento dos médicos. Pelo jeito, ele se esqueceu dessa ideia. Agora, parece mais fácil confeccionar placas padronizadas para todas as unidades com os dizeres: "Hoje não haverá atendimento por falta de médico." Aproveitando o embalo, pode-se colocar também uma enorme placa em frente ao Palácio dos Ferroviários, dizendo: "Hoje não haverá atendimento por falta de prefeito."